A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

11/12/2014 14:52

Contribuintes fazem a conta e contabilizam alta de até 30% no IPTU em 2 anos

Liana Feitosa
Equipe técnica da prefeitura que elaborou projeto de reajuste. (Foto: Marcelo Calazans/ Arquivo)Equipe técnica da prefeitura que elaborou projeto de reajuste. (Foto: Marcelo Calazans/ Arquivo)

Com a chegada dos carnês do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano), os contribuintes começam a fazer as contas. Em alguns casos, houve aumento de 30% no tributo nos últimos dois anos em Campo Grande. Na semana passada, desde o dia 4, o boleto de cobrança do IPTU 2015 começou a ser distribuído aos contribuintes da Capital.

Veja Mais
Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25
Índice sobe 6% e Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas

O perito criminal Helder Pereira de Figueiredo, por exemplo, pagou R$ R$ 870,64 de imposto em 2013. Já o valor cobrado na tarifa 2015 é 30,79% superior, calculada a R$ 1.138,73.

Se o cálculo comparar os valores de 2015 com o ano vigente, 2014, o valor da tarifa foi de 11,13%, portanto, pouca coisa abaixo dos 12% aprovado pela prefeitura no último dia 18 de novembro. 

No ano passado, o então prefeito Alcides Bernal (PP), optou por um reajuste que apenas considerava o valor da inflação, fazendo com que o imposto subisse cerca de 6%.

"Barato" - No dia 31 de outubro, no entanto, o titular da Seplanfic (Secretaria de Planejamento, Finanças e Controle), André Scaff, chegou a defender um aumento de 32% como sendo o ideal para recuperar defasagens econômicas do município.

Para ele, um imposto muito abaixo desse índice não atenderia as necessidades financeiras da Capital."Temos que usar esse valor do reajuste para investimentos e assim atender a população. Afinal tudo é receita, para pagar funcionário e fazer investimento", disse o secretário ao Campo Grande News no dia 31 de outubro.

No mesmo dia, o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), também apoiou o aumento, mesmo defendendo um percentual mais brando, abaixo dos 32%. "Há anos não é feito nenhum reajuste e com isso a cidade deixa de arrecadar", disse o prefeito na época.

Por isso, na tentativa de potencializar o aumento que ficou abaixo das expectativas da prefeitura, o contribuinte perdeu uma regalia: o desconto de 20% no pagamento à vista, que valia para quem pagasse em fevereiro, agora só valerá para quem pagar à vista um mês antes, em janeiro.

Por enquanto, os contribuintes tem recebido boletos que apresentam reajuste médio de 12%, como foi acordado. No entanto, algumas regiões podem ter aumento maior. "Existem regiões onde, por exemplo, o asfalto é novo, podendo o reajuste chegar a 30%", disse na ocasião.

Prefeitura - Em nota, a assessoria de imprensa da prefeitura afirmou que, caso insatisfeito, o contribuinte pode reclamar. "Todo e qualquer contribuinte tem direito de questionar o valor cobrado de IPTU. Em todos os casos, o contribuinte deve se dirigir à Central de Atendimento ao Cidadão e solicitar uma reavaliação do valor cobrado". A central fica na Rua Cândido Mariano, 2.655.

Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25
Cotado a R$ 3,256 na venda, após dois dias seguidos de baixa, o dólar comercial fechou esta quinta-feira (29) com alta de 1,05%. Com isso, a moeda no...
Índice sobe 6% e Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas
Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas, sendo que 13% não terão condições de pagar suas contas. O índice medido pelo IPF/MS (Instituto de Pesqu...
MS vai receber missão técnica do Chile em frigoríficos de carne bovina
Inspeções federais de outros país no Brasil pode abrir novos mercados para exportação. Chile, Cuba e Bolívia já tem data marcada para suas missões e ...
Gol lança ofertas semanais de passagens aéreas
Para atrair novos passageiros e fidelizar seus clientes, as companhias aéreas garantem preços e condições de pagamento especiais. Cada empresa define...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions