A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

13/11/2016 09:22

Depois da alta da carne bovina, preço do frango fica 50% mais caro

Fernanda Yafusso
Frango congelado teve um aumento de 50% no preço, se comparado ao mesmo período no ano passado (Foto: Fernanda Yafusso)Frango congelado teve um aumento de 50% no preço, se comparado ao mesmo período no ano passado (Foto: Fernanda Yafusso)

Depois de repetidas altas no preço da carne bovina, o frango também começa a pesar no bolso do consumidor. A proteína animal está 59% mais cara do que no ano passado, segundo levantamento do Nepes (Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais). 

Veja Mais
Ladrões arrombam cadeado e furtam carne de caminhão estacionado em rua
Homem diz estar com fome e sem dinheiro ao ser detido por furtar carne

Em outubro de 2015, o quilo do frango congelado da marca Sadia, por exemplo, era vendido por R$ 4,58. Neste ano o valor chega a R$ 7,30 nas prateleiras dos supermercados.

Enquanto que o quilo dos cortes bovinos acém e picanha, tiveram uma variação mínima, de 5%, se comparado ao mesmo período no ano passado.

Depois de substituir a carne bovina, agora o consumidor tenta encontrar alternativas para o frango. O educador físico de 29 anos, Hugo d'Ávila, não abre mão do frango no dia a dia e para economizar, comprou o tipo filé sassami que é mais barato que outros cortes.

"Eu não compro carne bovina regularmente porque está muito caro, só se for para algum prato especial. Já o frango eu gasto por semana em média R$ 17 reais, pois pratico muitos exercícios, e ela por ser rica em proteína me ajuda com os treinos", conta.

Já o técnico de informática, Jorge Miranda de 26 anos, reduziu em 50% o valor reservado para a compra dos alimentos. "Nós moramos em três pessoas e antes gastávamos R$ 100 por mês comprando carne e frango. Com esse valor passávamos o mês inteiro. Hoje além de reduzir pela metade o valor reservado mensalmente, ainda precisamos alternar os pratos do cardápio. Quando não conseguimos comprar a carne fazemos alguma torta com legumes, por exemplo".

Solange conta que não sentiu tanta diferença no preço do frango e não deixa de comprar carne bovina (Foto: Arquivo Pessoal/Solange Barbosa)Solange conta que não sentiu tanta diferença no preço do frango e não deixa de comprar carne bovina (Foto: Arquivo Pessoal/Solange Barbosa)

Outras carnes - Ainda de acordo com dados do Nepes, o preço da carne bovina tem se mantido estável. O quilo do acém, por exemplo, está custando R$ 14,64, quase 5% a menos se comparado ao ano passado, quando chegava a R$ 15,35.

Já o quilo da picanha teve uma variação de 4,86% em relação ao mesmo período no ano passado, chegando a custar R$ 32,26. Neste mês o preço cobrado nas prateleiras chega a R$ 33,83, o quilo.

O quilo do pintado em posta era vendido por R$ 26,69 em outubro,  aumento de 36% se comparado ao mesmo mês do ano passado, quando chegou a custar R$ 19,64.

Solange Barbosa, explica que não sentiu tanto o aumento no preço do frango, mas sim da carne. "Antes eu encontrava o quilo do contra filé por R$ 15 e hoje em alguns supermercados eu vejo que está custando até R$ 22. Já o coxão duro eu não senti tanta diferença no preço".

Carne bovina teve uma alteração de 5% nos preços, de acordo com o Nepes (Foto: Fernanda Yafusso)Carne bovina teve uma alteração de 5% nos preços, de acordo com o Nepes (Foto: Fernanda Yafusso)

Ela explica que pelo menos duas vezes na semana cozinha frango e sempre encontra cortes em promoção, fator que ajuda na hora de encontrar uma alternativa para a compra das carnes.

"Eu e meu esposo consumimos 6 kg de carne mensalmente e percebemos que a variação nos preços é geralmente em dias de promoção. Mas não deixamos de incluir a carne no cardápio, e como o frango está sempre na promoção eu alterno entre coxa, peito, sobrecoxa", explica.

 

Ladrões arrombam cadeado e furtam carne de caminhão estacionado em rua
Ladrões arrombaram o cadeado de um caminhão de placas de Terenos e furtaram várias peças de carne, na madrugada de hoje (26), na Rua Ibira, no Jardim...
Homem diz estar com fome e sem dinheiro ao ser detido por furtar carne
Alegando estar com fome e sem dinheiro, um homem de 25 anos foi detido tentando furtar dois pedaços de carne de um supermercado na manhã deste doming...
Com maior valor desde junho, dólar sobe 1,7% e fecha cotado a R$ 3,47
Com o maior valor desde junho, o dólar comercial fechou cotado a R$ 3,473 na venda, nesta nesta sexta-feira (2) com leve valorização de 0,12%. Na vés...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions