A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

16/06/2015 15:13

Em leve reação de consumo, vendas no varejo crescem 0,5% em abril

Renata Volpe Haddad
Vendas no varejo crescem, mas consumidores estão comprando apenas o necessário. (Foto: Marcelo Calazans)Vendas no varejo crescem, mas consumidores estão comprando apenas o necessário. (Foto: Marcelo Calazans)

As vendas de varejo em Mato Grosso do Sul registraram aumento em abril de 0,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Em comparação com março, as vendas do mês tiveram queda de 0,7%, de acordo com pesquisa divulgada hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O índice que calcula o desempenho dos volumes vendidos ficou em 128 e em relação a março, 131,3.

Veja Mais
Vendas no varejo crescem 3% em Mato Grosso do Sul, depois de apresentar queda
Vendas no varejo sobem 2,1% em MS, enquanto média nacional cai 1,1%

Os números significam que timidamente os consumidores sul-mato-grossenses voltaram a comprar, mas apenas o necessário, deixando de adquirir itens supérfluos. Na relação abril deste ano com o ano passado, considerando o volume de vendas, seis das oito atividades do comércio varejista registraram variações negativas.

O segmento que teve maior variação negativa no mês, foi o de móveis e eletrodomésticos, queda de 16% se comparado ao meso período do ano passado. Este segmento, registrou o maior impacto negativo em abril de 2015. No acumulado do ano e dos últimos 12 meses, as taxas foram de queda 8,9% e 3,9%, respectivamente.

Isso pode ser atribuído à retirada gradual dos incentivos, como a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) direcionados à linha branca, somada a redução da massa de rendimento e ao menor ritmo de crescimento do crédito, segundo o IBGE.

Variação negativa – No Brasil, o volume de vendas do comércio varejista em abril de 2015 teve queda de 0,4% e variação positiva de 0,3% na receita nominal, em comparação com o ano passado. Outros segmentos que apresentaram taxas negativas foram combustíveis e lubrificantes com queda de 0,1%; queda de 0,2% em livros, jornais, revistas e papelaria; -1,2% para material de construção; -3,1% para móveis e eletrodomésticos; -3,8% em tecidos, vestuário e calçados; -5,1% em artigos de uso pessoal e doméstico; e -12,2% em equipamentos e material para escritório, informática e comunicação.

As atividades com resultados positivos foram veículos e motos, partes e peças com crescimento de 4,4%; hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo cresceram 1,9%; e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, tiveram acréscimo de 0,3%.

Vendas no varejo crescem 3% em Mato Grosso do Sul, depois de apresentar queda
As vendas de varejo em Mato Grosso do Sul registraram aumento em março de 3,1 % e o índice que calcula o desempenho subiu para 131,3. Em fevereiro, e...
IBGE apura redução do ritmo de crescimento das vendas no varejo
Embora o comércio varejista tenha registrado taxas positivas na passagem de fevereiro para março, indicando uma recuperação da atividade em relação a...
Nos primeiros 17 dias do mês, vendas no varejo caíram
Pesquisa da ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande) mostra que as vendas caíram 2,03% de 1 a 17 de março deste ano em relação ao m...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions