A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Setembro de 2016

22/09/2016 13:15

Empreendedores iniciantes se reúnem em evento para discutir sobre inovação

Renata Volpe Haddad
StartUp Day reuniu palestrantes, empresários e alunos para fomentar o surgimento de novas empresas do segmento. (Foto: Renata Volpe)StartUp Day reuniu palestrantes, empresários e alunos para fomentar o surgimento de novas empresas do segmento. (Foto: Renata Volpe)

Inaugurado há três meses em Campo Grande, o Living Lab, espaço físico que reúne consultorias de instituições de pesquisa, fomento e orientação empreendedora em um único local, virou ponto de referência e tem sido muito procurado por empreendedores que estão começando a desenvolver projetos empresariais.

Veja Mais
Startup Day vai reunir profissionais e dicas para interessados na área
Criação e fomento de startup em MS ganha espaço inédito no Centro-Oeste

Nesta quinta-feira (22) foi realizado o primeiro grande evento sugerido pelo Living Lab, o StartUp Day voltado para empresários e estudantes que têm alguma ideia ou projeto para desenvolver.

De acordo com a coordenadora do Living Lab, Leandra Costa, a procura pelo espaço tem sido grande, pois, segundo ela, é um local que estimula quem tem ideias e quer montar um negócio. "O Living Lab está ajudando a fomentar novos negócios e é um ambiente propício para isso, que estimula a criatividade e antes, esses empreendedores não tinham um lugar para isso", afirma.

Um dos palestrantes de hoje, Allan Costa, que também é investidor de startups conta que para investir em uma empresa iniciante o passo fundamental é observar o empreendedor. "Além do investidor analisar se a startup é um tipo de empresa que terá retorno financeiro, se será um modelo de negócio repetível e escalável, é preciso prestar atenção em quem está criando essa empresa, pois o empreendedor tem que ter a capacidade de fazer essa startup se tornar um grande negócio", explica.

Como uma proposta inovadora no Brasil, o segmento de negócio de impacto social, caminha lado a lado com a startup, pois é onde o empreendedor cria uma empresa que dê lucros, mas que resolva um problema social ou ambiental.

Conforme a analista do Sebrae, Ligia Oizumi, não há ainda muitos projetos sendo desenvolvidos neste segmento, já que é um modelo novo que chegou no país em 2013. "O propósito dos negócios sociais é resolver um problema e que começou a ser falado no Brasil em 2013. Em Mato Grosso do Sul tivemos a maratona de negócios sociais onde começou a sensibilizar as pessoas sobre o tema e em 2017 e 2018, o Sebrae volta com o projeto para incentivar as pessoas a pensarem em negócios a partir de problemas", informa.

Startup Day vai reunir profissionais e dicas para interessados na área
Empresários ou jovens com interesse em se iniciar nos negócios terão quinta-feira (22), um dia voltado para as Startups. A programação em Campo Grand...
FCO amplia acesso para empresas que faturam até R$ 16 milhões por ano
Foi aprovado nesta semana pelo Ceif (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis) do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions