A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Setembro de 2016

07/11/2014 10:47

Energia e combustível colocam Capital como campeã da inflação no País

Caroline Maldonado
Com o aumento de 3,16%, conta de energia elétrica também pesou no bolso das famílias (Foto: Marcos Ermínio)Com o aumento de 3,16%, conta de energia elétrica também pesou no bolso das famílias (Foto: Marcos Ermínio)
Combustíveis subiram 3,23% e foram responsáveis por 0,18 ponto percentual do aumento do custo de vida (Foto: Alcides Neto)Combustíveis subiram 3,23% e foram responsáveis por 0,18 ponto percentual do aumento do custo de vida (Foto: Alcides Neto)

O custo de vida em Campo Grande teve aumento de 0,79% no mês de outubro, de acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Campo Grande é a cidade com os mais altos índices de preços, seguida de Goiânia, cuja a alta foi de 0,78%.

Veja Mais
Fim de promoções nos combustíveis e carne dobram inflação na Capital
Inflação oficial sobe 0,87% e carne fica 5,06% mais cara na Capital

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) aponta que em Campo Grande, os combustíveis, que subiram 3,23% foram responsáveis por 0,18 ponto percentual do índice do mês. A alta é de 3,82% na gasolina e de 0,83% no etanol. Além disso, a energia elétrica teve aumento de 3,16% em função das alíquotas do PIS/PASEP/COFINS, segundo o IBGE.

Na Capital, o índice apresentou queda de 0,25 % em julho. A retração foi menor em agosto e em setembro, variando apenas 0,07% nos dois meses.

País – Em todo o Brasil, o IPCA do mês de outubro teve variação de 0,42%, abaixo da taxa 0,57% de setembro em 0,15 ponto percentual. Com isto, o acumulado no ano fechou em 5,05% e ficou acima dos 4,38% de igual período de 2013.

Belém (-0,15%) e São Paulo (-0,3) são as únicas cidades que apresentaram queda no índice de preços em outubro . Os grupos alimentação, bebidas e transportes, que levam 43,23% das despesas das famílias tiveram alta, mas são os responsáveis pela desaceleração no IPCA, com menor ritmo de crescimento na taxa de variação de preços de setembro para outubro.

Com relação aos últimos doze meses, o índice foi para 6,59%, abaixo dos 6,75% relativos aos doze meses anteriores. Em outubro de 2013 a taxa havia sido 0,57%. O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980. Participam da pesquisa famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, de dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions