A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

18/03/2015 15:21

Energisa diz que não pode responder por desvios feitos na gestão anterior

Priscilla Peres

A Energisa, atual responsável pela distribuição de energia em MS afirmou, em nota,que nada tem a ver com as denuncias de desvio de R$ 700 milhões na Enersul, já que assumiu a administração da empresa no ano passado e a auditoria se refere ao período de 2002 a 2012.

Veja Mais
Auditoria cita gratificações e contratações irregulares da Enersul
Auditoria aponta desvio de 700 milhões durante 10 anos na Enersul

Desde ontem repercute a divulgação de auditoria realizada pela PwC (PricewaterhouseCoopers) na Enersul e que apontou desvios, bonificações irregulares a funcionários e um tipo de mensalão pago a 35 pessoas. A Assembleia Legislativa irá criar uma CPI (Comissão Permanente de Inquérito) para apurar as irregularidades.

Ainda de acordo com a empresa, o relatório se refere a período até 2012, antes da intervenção federal da Aneel na concessionária, portanto "a Energisa não pode responder pelo que, eventualmente, tenha ocorrido na antiga gestão".

A nota ainda afirma que " a Energisa Mato Grosso do Sul informa que os fatos apontados no relatório da PwC, divulgados ontem, não dizem respeito à atual administração, que assumiu a distribuidora em abril do ano passado e tem cumprido rigorosamente o que foi planejado no Plano de Recuperação para a empresa aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

Hoje, o deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) conseguiu assinatura de todos os deputados que participaram da sessão da Assembleia Legislativa hoje, para a criação de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), que pode ser instaurada amanhã.




Uhum... Capaz que não sabia... agora, a Energisa não responde pelos desvios, mas agora nós que temos que pagar? Tá certo.
 
Heverton em 18/03/2015 15:43:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions