A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

30/07/2014 14:24

Entidade prevê pior "Dia dos Pais" desde 2004 para as vendas

Nielmar de Oliveira, da Agência Brasil

Projeções feitas a partir de levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), indicam que neste ano o Dia dos Pais deverá movimentar cerca de R$ 4,4 bilhões no comércio varejista, gerando crescimento de 4,3% nas vendas, em relação ao ano passado.

Veja Mais
Movimento do Dia dos Pais deve "empatar" com 2013, prevê comércio
Comércio aposta em desconto de 40%, mas prevê movimento "fraco"

Os números divulgados hoje (30) pela CNC, indicam que, apesar do crescimento em relação ao ano passado, esta deverá ser a menor alta nas vendas do varejo para a data desde 2004 (portanto dos últimos 10 anos), quando o Dia dos Pais teve crescimento de 1,6%.

Na avaliação do economista da CNC, Fabio Bentes, o ritmo mais fraco das vendas no próximo Dia dos Pais resultará principalmente do encarecimento do crédito. Segundo ele, “o custo mais alto dos empréstimos, aliado à tendência de encurtamento do prazo médio observada desde dezembro, têm desestimulado a tomada de novos recursos”.

As projeções da CNC indicam que, com expansão de 10,4% sobre o ano passado, apenas o ramo de farmácias, perfumarias e cosméticos deverá ter crescimento maior em relação a 2013, uma vez que todos os demais setores geralmente afetados positivamente pelo Dia dos Pais deverão registrar taxas inferiores.

No caso do ramo vestuário, o crescimento vai desacelerar de 3,6% em 2013 para 2,1%, e, no setor de hiper e supermercados de 3,6% para 2,8%. Juntas as duas atividades concentram 67,1% do faturamento do varejo gerado pela data.

Destacam-se, ainda, o crescimento de 5,4% nas vendas nas lojas de móveis e eletrodomésticos e a queda de 3,8% no setor de livrarias e papelarias.

De acordo com a CNC, o baixo crescimento das vendas do varejo entre o ano passado e este ano, acontece mesmo com um quadro “ligeiramente inferior” na variação média dos preços dos dezesseis bens pesquisados .

Entre os bens ofertados a variação média dos preços será de 4,4%, contra 8% de alta em 2013; e no caso dos serviços, de 10,1%, contra 8,2% de alta em 2013. Produtos como televisores estarão 7,2% mais baratos; aparelhos telefônicos (-6,6%; e CDs e DVDs -3,9%). Por outro lado, a alimentação fora de casa está mais cara 10,2% e segue como uma das principais fontes de pressão sobre os preços.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions