A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

20/10/2015 17:56

Entidades pedem que Reinaldo cumpra promessa e aumente teto do Simples

Priscilla Peres
Reunião aconteceu nesta tarde na governadoria. (Foto: Fiems)Reunião aconteceu nesta tarde na governadoria. (Foto: Fiems)

Representantes de entidades ligadas ao comércio e a indústria pediram ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB) nesta terça-feira (20), para aumentar o teto do Simples do Estado de R$ 2,52 milhões para R$ 3,60 milhões a partir de 1º de janeiro de 2016. A decisão do governador será divulgada na próxima semana.

Veja Mais
Governo reduz despesas e tem saldo de R$ 38 milhões em oito meses
Bancários entram no 25º dia de greve sem previsão de retorno ao trabalho

Segundo informações da Fiems (Federação da Indústria), o governador reconheceu que a ação é uma promessa de campanha e determinou que uma equipe técnica estude o impacto desta medida nas contas estaduais. "Sei que se trata de uma medida importante para as micro e pequenas empresas sul-mato-grossenses, porém, isso vem em um momento em que as finanças do Estado passam por uma queda em decorrência da crise econômica nacional”, disse Reinaldo.

O presidente da Fiems, Sérgio Longen explica que o aumento do teto do Simples é um compromisso assumido pelo governador na época da campanha eleitoral e que deve ser cumprido. “Reinaldo Azambuja precisa assinar o decreto até o dia 31 de outubro para que o novo teto começar a valer a partir do próximo ano. Na nossa avaliação, o estímulo à produção certamente compensará perdas momentâneas de arrecadação”, disse.

Ainda de acordo com Longen, cerca de 130 mil micro e pequenas empresas de Mato Grosso do Sul estão incluídas no Simples atualmente e com o aumento do teto para R$ 3,6 milhões outras 60 mil empresas serão beneficiadas, aumentando a inclusão das empresas.

Já o superintendente do Sebrae/MS, Cláudio Mendonça, completou que o Simples ajuda a reduzir a carga tributária e a burocracia das micro e pequenas empresas, pois permite que elas paguem apenas um imposto único e ficam livre de outros 10 impostos federais, estaduais e municipais. O vice-presidente da Fecomércio-MS, Adeilton Feliciano do Prado, considerou positiva a reunião com o governador. “Ele ficou de avaliar o nosso pedido e dar uma resposta na próxima semana".

Também participaram da reunião o presidente da Faems, Alfredo Zamlutti, o presidente da Famasul, Mauricio Saito, o vice-presidente da FCDL, Ricardo Massaharu Kuninari, o presidente do Sindigraf/MS, Julião Gaúna, o presidente da Biosul, Roberto Hollanda, o presidente do Sindivest/MS, José Francisco Veloso Ribeiro, o presidente do Sindical/MS, João Batista de Camargo, o diretor da Fiems, Antônio Breschigliari, entre outros.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions