A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

17/12/2014 07:54

Estado se destaca com bovinos, mas é o 16º na produção de pescado

Liana Feitosa
Mato Grosso do Sul está no 16º lugar na produção de pescado, com 5,6 mil toneladas. (Foto: Arquivo / Campo Grande News)Mato Grosso do Sul está no 16º lugar na produção de pescado, com 5,6 mil toneladas. (Foto: Arquivo / Campo Grande News)

O Brasil produziu 392,5 mil toneladas de peixes de água doce no ano passado e a região Centro-Oeste foi a principal produtora do país, com 105 mil toneladas, o que representa 26,8% do total cultivado. Mato Grosso do Sul está no 16º lugar, com 5,6 mil toneladas de pescado, e fica atrás, inclusive, do vizinho Mato Grosso, que é o campeão nacional, com 75 mil toneladas produzidas. 

Veja Mais
Após dois dias, negociação 'trava' e greve dos bancários continua
Bancos repetem proposta de reajuste de 7% e negociação prossegue

Os dados são da PPM 2013 (Produção da Pecuária Municipal), pesquisa elaborada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e divulgada ontem (16). O estudo, que apresenta seus índices anualmente, pela primeira vez analisou números da aquicultura nacional, que abrange produções de pescado, tanto de água doce, como de água salgada.

Ao todo, a produção do Brasil resultou em R$ 3,1 bilhões, sendo 66,1% oriundos da piscicultura e 25,0% da carcinicultura (camarões).

Na produção de alevinos, Mato Grosso do Sul chegou a marca de 23 mil milheiros, ficando em 11º lugar no ranking nacional. O levantamento também apresenta os efetivos dos rebanhos bovino, suíno, caprino, ovino, bubalino e equino, galináceos e codornas, quantidade e valor dos produtos de origem animal, como ovos, mel e leite, bem como número de vacas ordenhadas e de ovinos tosquiados. Deixaram de ser pesquisados os efetivos de asininos (jumentos), muares (mulas) e coelhos.

Destaque com equinos - No que diz respeito os rebanhos de animais de grande porte, o Estado é o principal produtor de equinos do Centro-Oeste, com 337 mil cabeças. Apesar de Mato Grosso do Sul ocupar o 6º lugar no ranking nacional, a cidade de Corumbá, a 419 quilômetros da capital, Campo Grande, se destaca com o maior rebanho do país, com 28.317 cabeças.

Em Mato Grosso do Sul, produção de bovinos contabilizou 21,4 milhões de cabeças. (Foto: Arquivo / Campo Grande News)Em Mato Grosso do Sul, produção de bovinos contabilizou 21,4 milhões de cabeças. (Foto: Arquivo / Campo Grande News)

Já a produção de bubalinos do Estado ficou em 14 mil cabeças e, de bovinos, em 21,4 milhões, contra 28 milhões do vizinho Mato Grosso. Portanto, Mato Grosso do Sul é o 4º maior criador de bovinos do país, ficando atrás de Mato Grosso, Minas Gerais e Goiás. Na produção de mel, o Estado se destaca como o maior produtor do Centro-Oeste, apresentando 769 toneladas. 

Bovinos - O Estado também tem duas cidades entre os cinco municípios de maior efetivo de bovinos do país. Corumbá, com 1,8 milhão de cabeças, e Ribas do Rio Pardo, com 1 milhão de cabeças, só perdem para São Félix do Xingu, no Pará, que tem um rebanho de 2,2 milhões de cabeças.

Em números gerais, os dados nacionais apontam que somente o efetivo de bubalinos teve considerável variação positiva em relação a 2012, com aumento de 5,6%. Já o rebanho de bovinos ficou praticamente estável, registrando variação positiva de 0,2%. Ao todo, o país contabilizou 211 milhões de cabeças de gado em 2013.

Na produção de suínos, Mato Grosso do Sul é o 10º colocado, com 1,1 milhão de cabeças, já na produção de lã, está em 4º lugar com uma produção anual de 104 toneladas, contra as 11 mil toneladas do Rio Grande do Sul, o maior produtor do Brasil.

Já em relação à quantidade de casulos do bicho-da-seda produzidos, o Estado está em 3º lugar no país, com uma produção de 100 toneladas. No entanto, o número está bem distante do 2º colocado, São Paulo, com 242 toneladas, e mais distante ainda do campeão Paraná, com 2 mil toneladas anuais.

Para conferir a pesquisa na íntegra, basta acessar este link.

Bancos repetem proposta de reajuste de 7% e negociação prossegue
A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e o Comando Nacional dos Bancários retomaram a 9ª rodada de negociações nesta quarta-feira (28) em São Paul...
Após segunda queda consecutiva, dólar fecha cotado a R$ 3,22
O dólar comercial inverteu o movimento no final da tarde, após operar em alta durante quase toda a sessão. A moeda norte-americana fechou esta quarta...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions