A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

05/08/2015 12:07

Estado se reúne com Sudeco para definir prioridades no uso do FCO

Liana Feitosa
Superintendente da Sudeco, Cleber Ávila, fala sobre objetivo da reunião ao lado de Jaime Verruck, secretário de Desenvolvimento do Estado.Superintendente da Sudeco, Cleber Ávila, fala sobre objetivo da reunião ao lado de Jaime Verruck, secretário de Desenvolvimento do Estado.

Para definir os segmentos que serão prioridade de investimento com recursos do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) em Mato Grosso do Sul, representantes de federações, do governo federal, de instituições financeiras e do governo do Estado se reuniram na manhã desta quarta-feira (5) no Centro de Convenções Albano Franco, na Capital.

Veja Mais
FCO aprovou R$ 950 milhões em seis meses para projetos rurais e empresariais
Programa prevê 50% do FCO para incentivar pequenas empresas

Objetivo - "Essa reunião é anual e existe para apontar as diretrizes para a utilização do FCO no ano que vem, ou seja, é aqui que ajustamos o foco e corrigimos os rumos dos investimentos", contextualizou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Jaime Verruck. 

Para isso, o governo apresentou, para análise dos participantes, quais setores precisam ser priorizados, onde se deve investir mais no próximo ano. "Por exemplo, queremos fomentar o programa de recuperação de pastagem, então esse será um investimento prioritário no Estado", detalha Verruck. Além do programa, setores como a suinocultura e avicultura também estão entre as prioridades do governo para 2016, segundo o secretário.

Utilização adequada - Ainda segundo Verruck, grande parte do capital do fundo tem sido aplicado como crédito imobiliário ou na compra de equipamentos, investimentos que podiam ser conquistados por meio de outras linhas de crédito.

"Grande parte do FCO tem sido usado para compra de maquinário agrícola, por exemplo. Isso não é proibido e nem vamos deixar de usar o FCO para isso, mas podemos aproveitá-lo de maneira ainda mais completa, encontrando outros meios de realmente fomentar a produção e economia local", analisa o secretário. "Tudo isso são ideias que estão sendo apresentadas aqui e serão analisadas", finaliza.

Segundo Verruck, reunião acontece para ajuste de foco na destinação adequada dos recursos do FCO.Segundo Verruck, reunião acontece para ajuste de foco na destinação adequada dos recursos do FCO.

A reunião também contou com a presença do superintendente da Sudeco (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste), Cleber Ávila, que é vinculada ao Ministério da Integração Nacional.

Ouvir propostas - Para ele, a reunião é uma oportunidade para que a Sudeco ouça as necessidades locais. "A programação do FCO é flexível e, dentro do que for dito aqui, vamos analisar quais segmentos podem receber um pouco mais ou um pouco menos de recursos em 2016", adianta.

Ávila ainda falou sobre o papel de destaque que o Estado tem desenvolvido na utilização dos recursos. "Ao longo do anos, Mato Grosso do Sul criou mecanismos de aplicação efetiva do FCO. Acompanho esses avanços desde 2011, quando assumi a Sudeco", afirma.

"Hoje, Mato Grosso do Sul tem um dos melhores mecanismos de aplicação do fundo e nunca deixou de usar o valor total dos recursos. Além disso, o Estado aplica a vitamina direto na veia, ou seja, sempre aplica onde mais precisa", detalha o superintendente. "MS é um ótimo marketing de modelo de aplicação e gestão do FCO", conclui.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions