A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

07/08/2014 19:48

Exportações de MS para a Argentina caíram 72% de junho para julho

Priscilla Peres

As exportações de Mato Grosso do Sul para a Argentina, país que vive uma crise,  caíram 72% em julho, comparado a junho deste ano, passando de R$ 115 milhões para R$ 66 milhões, de acordo com dados divulgados ontem pela secretaria de Comércio Exterior.

Veja Mais
Imposições da Rússia podem beneficiar exportações do Estado
Exportações de MS têm queda de 6% e ficam abaixo de US$ 500 milhões

Em relação ao mesmo período do ano passado, as exportações de julho tiveram leve aumento. Já as importações da Argentina para o Estado aumentaram mais de 90% emn junho (R$ 109.538 ) comparado a julho (R$ 56.136).

Os dados ainda não informam que produtos foram responsáveis pela queda.  A Argentina é o segundo maior importador de produtos de Mato Grosso do Sul, respondendo por 9,13% da balança comercial. De acordo com dados da Secex (Secretaria de Comércio e Exterior), no primeiro semestre do a ano, foram enviados para o país vizinho ao Brasil o equivalente a R$ 261 milhões, com crescimento de 11,15% em relação ao seis primeiros meses de 2013.

Se a crise do país se agravar, o Estado sofrerá com as consequências, que podem ser tanto a queda nas exportações, principalmente de minério de ferro, como nas importações alimentícias, segundo o especialista em comércio e exterior, Aldo Barrigosse. "O momento agora é de análise. Temos de esperar para ver os próximos passos da Argentina e da conjuntura em relação a dívida deles", explica.

De acordo com Barigosse, o minério de ferro é o principal item de exportação do Estado para a Argentina. Nos primeiros seis meses do ano, o item correspondeu por 8,55% da balança comercial, o equivalente a R$ 244 milhões e crescimento de 13% em relação ao mesmo período do ano passado.

Em relação às importações, a Argentina também é uma grande parceira de Mato Grosso do Sul, pois o Estado importa uma série de produtos alimentícios. "Se pensarmos em um cenário de grande crise no país vizinho, eles podem sobretaxar seus produtos para aumentar a arrecadação ou incentivar a indústria local", diz Barigosse, lembrando que qualquer das opções que a Argentine tome durante a crise será prejudicial para o Estado.

Segundo dados da Secex, a Argentina é o 7° país que mais importou do Estado no primeiro semestre de 2014. O país comprou o equivalente a R$ 421 milhões de janeiro a junho, número 32% menor que no mesmo período de 2013.

Exportações de MS têm queda de 6% e ficam abaixo de US$ 500 milhões
As exportações de Mato Grosso do Sul no mês de julho tiveram queda de 6%, segundo os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, co...
Dólar comercial fecha a semana em alta e cotado na venda a R$ 3,25
Apesar do dólar ter fechado em queda de 0,12% no dia, e cotado a R$ 3,252 na venda, a moeda norte-americana fechou a semana com uma leve alta de 0,14...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions