A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

07/01/2016 10:06

Exportações do Estado têm queda de 9%, apesar de consumo da China

Caroline Maldonado
Exportações de carne caíram 40,4%, passando de R$ 583,7 milhões para R$ R$ 347,7 milhões (Foto: Divulgação/Rica Comunicação)Exportações de carne caíram 40,4%, passando de R$ 583,7 milhões para R$ R$ 347,7 milhões (Foto: Divulgação/Rica Comunicação)

Mato Grosso do Sul fechou o ano de 2015 com queda de 9,7% nas exportações em comparação com o ano anterior. O montante caiu de R$ 5,2 bilhões para R$ 4,7 bilhões. O resultado é negativo, embora o país que lidera as compras, a China, tenha aumentado a importação em 12,5%. Sozinhos, os chineses compraram o equivalente a R$ 1,6 bilhão de produtores do Estado. A importação também teve queda e o Estado comprou de outros países 34,6% a menos. O montante caiu de R$ R$ 5,2 bilhões para R$ 3,4 bilhões.

Veja Mais
Apesar de exportações em queda, milho aumenta negociações em 100%
Países desaceleram compras e exportações de MS caem 23% no mês

A Itália, o segundo maior comprador de produtos de MS, reduziu as negociações em 5,4%. A Argentina, terceira da lista, comprou 59,8% a menos; enquanto a Holanda negociou com fornecedores do Estado 36,8% a menos do que em 2014. A Rússia retraiu as importações em 66,3%. Outro importante comprador, Hong Kong, negociou 40,6% a menos com fornecedores de Mato Grosso do Sul.

O resultado das exportações não foi pior, porque países que exportam em menor quantidade aumentaram o volume negociado. As importações feitas pelo Vietnã, por exemplo, saltaram de R$ 88,3 milhões para R$ 170 milhões, o que representa alta de 92,5%. O Egito também elevou o valor referente a negócios fechados com produtores de MS, passando de R$ 84,2 milhões para R$ 123,1 milhões, acréscimo de 46%. A Indonésia também comprou mais, com alta de 51% em comparação com 2014.

O Estado também importou menos em 2015 e comprou volume menor de oito países, que estão entre os dez primeiros da lista. Apesar de os três maiores exportadores, Eldorado Brasil Celulose, ADM do Brasil e Bungue, venderem mais, a balança foi impactada pela retração de outras 17 empresas.

As importações da Bolívia, o maior exportador, caíram 35,4%, de R$ 3,5 bilhões para R$ 2,2 bilhões. As negociações com a China tiveram redução de 30,9%, de R$ 488,5 milhões para R$ 337,2 milhões. O Chile vendeu para MS 45,1% a menos e as compras da Argentina caíram 51,4%.

Exportações de soja cresceram 8% em 2015 (Foto: Marcos Ermínio)Exportações de soja cresceram 8% em 2015 (Foto: Marcos Ermínio)

Produtos - A líder em exportação do ano foi a Eldorado Brasil Celulose, que fechou os doze meses com crescimento de 6,9%, vendendo para fora do país o equivalente a R$ 776,8 milhões. Em segundo lugar, a indústria ADM do Brasil teve crescimento de 7,6% nas exportações.

Carne, minério, couro bovino, papel e algodão são os produtos que apresentaram maior retração nas exportações em 2015. As vendas de carne para outros países caíram 40,4%, passando de R$ 583,7 milhões para R$ R$ 347,7 milhões. O minério de ferro teve queda de 70% nas negociações e o algodão, de 36,8%. A soja, por sua vez, aumentou a exportação em 8% e o milho, em 86%.

Com relação a importação, poucos produtos tiveram crescimento. As negociações de gás natural e cobre refinado caíram mais de 30% e de fios têxteis de poliéster, em 44,7%. Outros produtos, como vestuário e alimentos também fecharam o ano com queda significativa na importação.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions