A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 01 de Outubro de 2016

14/12/2014 10:24

Fim de ano eleva em 30% vendas de materiais para pequenas reformas

Liana Feitosa
Décimo terceiro salário colabora para aumenta de reparos e reformas em casa. (Foto: Arquivo/ Campo Grande News)Décimo terceiro salário colabora para aumenta de reparos e reformas em casa. (Foto: Arquivo/ Campo Grande News)

Aproveitar as férias, comemorar o Natal e o Ano Novo, além de receber amigos e familiares em casa, são práticas comuns nessa época do ano. Para fazer isso com conforto, muitas famílias recorrem aos pequenos reparos e reformas em casa. Em algumas lojas, a procura por materiais de construção para pequenos ajustes chega a aumentar 30%.

Veja Mais
Com investimentos de US$ 80 milhões, JBS inaugura unidade no Paraguai
Em meio à crise, idosos garantem movimento nas agências de turismo

"Nos meses de novembro e dezembro, sempre temos uma média de aumento de 20% a 30% nas vendas. Recentemente, desde o dia 15 do mês passado reparamos que houve aumento na procura por pequenas quantidade de material", conta o Gervaldo Terra, gerente comercial da loja G5, no Jardim Paulista.

"As pessoas vêm para comprar piso, tinta, pequena quantidade de tijolo e telha e, esse mês, aumentou bastante a procura por churrasqueira", completa Terra. "Parece que procuram materiais para área lazer, para deixar a casa preparada para as festas e receber pessoas", analisa.

Procura - A constatação de Terra está correta, segundo o presidente da Sintracom/CG (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Campo Grande), José Abelha Neto. Nesse período crescem os serviços informais, ou seja, trabalhos geralmente menores, contratados por pessoas físicas.

"São serviços como pintura, troca de piso, construção de varanda. As pessoas contratam, geralmente, por causa do décimo terceiro", afirma o presidente. O dinheiro a mais na conta nessa época reforça o setor de construção civil nessa época.

De acordo com Abelha, de 2.500 a 3 mil pessoas trabalham, atualmente, no setor informal de construção. No entanto, é preciso ficar alerta com riscos e cuidados. "O contratante não pode deixar de tomar cuidados com o trabalhador. Um dos cuidados é algo que sempre aconselhamos: que seja assinado um contrato entre as partes, para que o serviço seja concluído sem nenhum problema", orienta.

"Além disso, não podemos esquecer do uso de equipamentos adequados. Se um muro cai ou um acidente acontece, o contratante pode ser responsabilizado", finaliza.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions