A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

23/03/2015 11:04

Governador fala sobre queda na arrecadação e mau uso de recursos

Caroline Maldonado e Leonardo Rocha
Além de melhorar a arrecadação, segundo Reinaldo, é preciso saber gastar e fazer economia (Foto: Marcos Ermínio)Além de melhorar a arrecadação, segundo Reinaldo, é preciso saber gastar e fazer economia (Foto: Marcos Ermínio)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse, na manhã de hoje (23), que apresentará resultados parciais e metas para os próximos anos assim que sua gestão completar 100 dias. Ele ainda falou sobre a queda na arrecadação que quase compromete a folha de pagamento, já que os recursos eram mal utilizados.

Veja Mais
Governo discute modernização de agências fazendárias e nota fiscal eletrônica
Bancários entram no 25º dia de greve sem previsão de retorno ao trabalho

Durante o I Encontro das Agências Fazendárias, em Campo Grande, o administrador elogiou o trabalho da Sefaz (Secretária de Estado de Fazenda) e afirmou que a queda na arrecadação está dentro do suportável, enquanto há outros Estados que estão com dificuldade até para pagar a folha salarial.

Dentre as medidas para economizar, o governador citou a aquisição de uniformes escolares da rede estadual. “Também temos que estudar a melhor forma de promover parcerias público-privadas. Vamos adotar o melhor modelo, assim como baratear as nossas estruturas próprias. A exemplo disso, com nossos pregões, conseguimos uniformes e kits escolares mais baratos”, comentou.

Além de melhorar a arrecadação, segundo Reinaldo, é preciso saber gastar e fazer economia. “O Estado arrecada bem, mas gastava mal”, criticou, ao mencionar a crise financeira no país, que afetou os Estados e municípios.

Na avaliação de Reinaldo, nem todos os municípios do Estado estavam recebendo atenção necessária. “Antes, algumas regiões estavam ricas e outras pobres. Nós diminuímos duas secretarias, mas deixamos o planejamento na Secretaria de Governo”, disse, ao destacar que vai economizar nas áreas em que for possível até ter recursos para investir no que a população precisa mais. O governador citou como prioridade, saúde, segurança e educação, além do desenvolvimento.

Os incentivos fiscais também serão pontos importantes da gestão, segundo o governador. “Muitas empresas querem vir para Mato Grosso do Sul, pois produzimos matéria-prima. Se perdermos, poderemos deixar de atrair as empresas”, afirmou, ao lembrar que fará investimentos para potencializar os portos de Porto Murtinho, Bataguassu e Corumbá/Ladário.

Reforçando o discurso do governador, o secretário Estadual de Fazenda, Márcio Monteiro (PSDB), elogiou o trabalho da secretária de fazenda. "Está acima da média em relação as secretárias de outros Estados", disse. 

Evento – O I Encontro das Agências Fazendárias acontece no auditório da Escoex (Escola Superior de Controle Externo) do TCE (Tribunal de Contas do Estado). Durante todo o dia, representantes discutirão formas de modernizar e melhorar o atendimento aos contribuintes, dentre elas a nota fiscal eletrônica para que os produtores não precisem ir nas agências buscar os talões.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions