A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

14/01/2015 14:56

Governador quer reduzir ICMS do querosene para aumentar voos

Priscilla Peres e Kleber Clajus
Reinaldo esteve na Fundtur junto com Ataide Nery e Nelson Cintra. (Foto: Marcos Ermínio)Reinaldo esteve na Fundtur junto com Ataide Nery e Nelson Cintra. (Foto: Marcos Ermínio)

Entre as ações do governo do Estado para estimular o turismo, Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou hoje que pretende reduzir o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do querosene da aviação, com o objetivo de atrair mais voos regulares e assim o fluxo de turistas.

Veja Mais
Bancários voltam a negociar reajuste e fim da greve nesta terça-feira
Com cautela no exterior, dólar fecha praticamente estável a R$ 3,24

"Secretaria esta fazendo um estudo de quanto seria possível porque entendo que se reduzir aumentamos a capacidade de atrair novos voos regulares para trazer turistas [de outras cidades]. É um incentivo que traz um atrativo a mais para conhecer nosso Estado", disse o governador em visita a Fundação de Turismo nesta manhã.

No entanto, Azambuja ainda não definiu um índice de redução. A pratica de estimular a vinda de companhias aéreas para aumentar o tráfego de voos já foi adotada por vários estados, como o Distrito Federal, Mato Grosso, Goiás e Recife. Com o combustível mais barato, reduz os custos das viagens e as empresas investem mais em trechos menores.

As estruturação dos aeroportos menores também está nos planos do governador. "Nos próximos dias vamos entregar um caminhão dos bombeiros novo para o aeroporto de Três Lagoas que precisar ter estrutura para voos regulares. Vai ser uma dinâmica para favorecer isso", afirma.

Além disso, as metas para o turismo ainda incluem roteiros integrados. No caso, um turista que viesse para o Estado conhecer as cachoeiras de Rio Verde de MT já poderia aproveitar e ir até os sítios arqueológicos de Alcinópolis, por exemplo.

"Precisamos construir pilares que fiquem para o Estado. Há países que vivem do turismo como atividade econômica principal, por que não fazer roteiros políticos integrados, por que não passar pelas aldeias para conhecer outras culturas?", disse Azambuja.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions