A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

23/09/2015 11:26

Imposto e baixa produção são entraves para venda de peixe no Estado

Caroline Maldonado
Superintendente da Pesca e Aquicultura em MS, Luiz Davi Figueiró, acredita que MS precisa aumentar produção de peixe (Foto: Caroline Maldonado)Superintendente da Pesca e Aquicultura em MS, Luiz Davi Figueiró, acredita que MS precisa aumentar produção de peixe (Foto: Caroline Maldonado)

É mais fácil para as peixarias e supermercados colocar à venda peixes que vêm de fora do Estado do que adquirir a carne aqui mesmo. Os vendedores reclamam do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que é de 7%. Para os produtores, há um programa de incentivos em MS, justamente para estimular a atividade, que ainda deixa a desejar em volume.

Veja Mais
Semana do Peixe terá caminhão em bairros e ministério espera desconto de até 20%
Após dois dias, negociação 'trava' e greve dos bancários continua

Pescadores e produtores de peixe em cativeiro produzem, no total, cerca de 13 mil toneladas por ano, conforme estimativa da Superintendência da Pesca e Aquicultura em MS. O número é bem maior em Mato Grosso, por exemplo, onde o imposto estadual é isento também para os frigoríficos, segundo o proprietário do frigorífico Linares, Cleuber Linares.

“Para nós seria muito melhor comprar peixe somente daqui, mas o que vem de fora chega com preço mais competitivo. Então, nós compramos de outros Estados, como Mato Grosso e Rondônia. Se zerasse o ICMS, como ocorre há cerca de 5 anos em Mato Grosso, pelo menos, 7% já ficaria mais barato para o consumidor final e aí poderíamos diminuir um pouco mais os preços”, comenta o empresário, que também é presidente da Associação dos Comerciantes do Mercado Municipal.

O assunto será discutido amanhã (24) em reunião entre o superintendente da Pesca e Aquicultura em MS, Luiz Davi Figueiró, e o secretário de Estado de Fazenda, Márcio Monteiro. Luiz acredita que é difícil haver corte de impostos, mas não descarta a discussão como forma de mudar o cenário que empata o comércio de peixes. “Queremos ver se é possível conseguirmos ficar como Mato Grosso e pensar maneiras de ampliar a comercialização”, disse.

A fraca produção interna e a tributação não são os únicos desafios, pois o interesse do consumidor também é algo que precisa ser estimulado, segundo o superintendente. Essa demanda, no entanto, não é maior justamente por conta do preço, na opinião do vice-presidente da Amas (Associação Sul-matogrossense de Supermercados), Admilson Veratti. “O acesso a compra é um problema, poque falta produção interna e isso reflete no preço”.

XII Semana do Peixe terá descontos de até 25% em peixarias (Foto: Marcos Ermínio)XII Semana do Peixe terá descontos de até 25% em peixarias (Foto: Marcos Ermínio)

Semana do Peixe - Para chamar atenção dos consumidores, o MPA (Ministério da Pesca e Aquicultura) inicia na próxima segunda-feira (30) a XII Semana do Peixe, que até o dia 16 de outubro, terá caminhões estacionados em feiras, além de supermercados e peixarias oferecendo os produtos a preços menores, em Campo Grande e Dourados.

A Amas estima que os supermercados ofereçam descontos de 15% a 25%. Na peixaria do Mercadão de Campo Grande, os peixes devem ficar entre 10% e 20% mais baratos, durante o evento. A peixaria Mais que Peixe não definiu ainda os percentuais de desconto, mas já confirmou participação na campanha, comercializando em caminhão autorizado pelo MPA. 

Em Campo Grande, o caminhão fica na Feira Central, a partir das 8h, entre 30 de setembro e 3 de outubro e de 7 a 10 de outubro. No dia 4, o veículo estará na Feira do Guanandi e no dia 11, na Feira das Moreninhas. Em parceria com o Instituto Guataverá, o Senac (Serviço Nacional do Comércio) dará oficina de capacitação no preparo de pescados no Centro de Convivência do Idoso Vovó Ziza, no dia 1º de outubro.

Em Dourados, o veículo fica de 16 a 18 de outubro em estabelecimentos comerciais de pescado em diversos bairros, sempre a partir das 8h. Nesse período, os comerciantes esperam aumentar as vendas em 30%. Mais informações sobre a Semana que é de âmbito nacional estão na página do evento no Facebook.

Bancos repetem proposta de reajuste de 7% e negociação prossegue
A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e o Comando Nacional dos Bancários retomaram a 9ª rodada de negociações nesta quarta-feira (28) em São Paul...
Após segunda queda consecutiva, dólar fecha cotado a R$ 3,22
O dólar comercial inverteu o movimento no final da tarde, após operar em alta durante quase toda a sessão. A moeda norte-americana fechou esta quarta...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions