A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

07/04/2015 14:55

Indústria de aço projeta crescimento, mas esbarra na falta de mão de obra

Empresa quer atingir capacidade de produção de 800 toneladas por mês, com geração de 50 empregos diretos em Naviraí

Helio de Freitas, de Dourados
Indústria de aço instalada há um ano emprega 14 pessoas, mas meta é gerar 50 empregos com capacidade total de produção (Foto: Divulgação)Indústria de aço instalada há um ano emprega 14 pessoas, mas meta é gerar 50 empregos com capacidade total de produção (Foto: Divulgação)

Em atividade há pouco mais de um ano, a filial da Euroaços em Naviraí, a 366 km de Campo Grande, já produz e vende para várias cidades brasileiras, atendendo os setores da construção civil, indústrias e agropecuária. Entretanto, a empresa está enfrentando dificuldade para conseguir mão de obra qualificada necessária para atingir sua capacidade de produção de 800 toneladas por mês. Para tentar uma solução, a prefeitura da cidade busca parcerias com o Sistema S, para qualificar os trabalhadores.

Veja Mais
Indústria reduz vagas de emprego em 90% no primeiro bimestre do ano
Programa incentiva indústrias de MS a fornecer produtos para as Olimpíadas 2016

Para se instalar em Naviraí, a empresa foi contemplada com auxílio na locação do barracão de três mil metros quadrados, fornecido pelo município, através de uma lei municipal.

Conforme o prefeito Léo Matos (sem partido), o apoio oferecido para a implantação da indústria foi fundamental para geração de emprego e receita. “Estamos com as portas abertas para empresários que quiserem se instalar na cidade. Sempre dentro da legalidade, vamos firmar parcerias fundamentais para o desenvolvimento da cidade”.

Conforme o gerente comercial da Euroaços em Naviraí, Vlademir Molina, atualmente a indústria conta com 14 funcionários, mas quando atingir sua produção máxima vai empregar pelo menos 50 pessoas. Segundo ele, a capacidade de produção das modernas máquinas é de 800 toneladas ao mês em treliças, colunas eletro soldadas em aço e bitolas. “Nossa maior dificuldade é a escassez de mão de obra qualificada para operar as máquinas que processam o aço cru em trefilagem, principalmente na operação da única máquina trefiladora existente no Estado”.

Roberto Pedro da Rocha, gerente de Desenvolvimento Econômico do município, informou que a prefeitura busca parceria com o Sistema S para o treinamento específico de operários para atuarem nesse ramo industrial. “Qualificar a população tem sido uma estratégia da atual administração para atrair novas empresas. A qualificação profissional tem sido uma das metas dessa gestão, a vinda do Senac e Sebrae para Naviraí tem nos ajudados nessa questão”, afirmou.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions