A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

03/11/2014 20:15

Liquidação na fronteira com Paraguai teve gasto médio de R$ 1.100 por pessoa

Liana Feitosa

O consumidor que esteve na Black Friday Fronteira, campanha promocional realizada no começo de setembro, gastou R$ 1.171,81, em média, com compras em Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande. O número foi levantado em pesquisa realizada pelo IPF-MS (Instituto de Pesquisa Fecomércio-MS para identificar o perfil do consumidor que visitou a região durante a Black Friday.

Veja Mais
Bancários completam 21 dias em greve sem previsão para voltar ao trabalho
Paralisação dos bancários completa 20 dias sem previsão de término

Os resultados da "Pesquisa de Percepção e Perfil do Consumidor Black Friday 2014” foram divulgados em Ponta Porã no auditório da Associação Comercial e Empresarial da cidade.

Segundo o presidente da Fecomércio MS, Edison Araújo, o levantamento indicou o movimento gerado na economia dos Brasil e do Paraguai. “Os destaques para o Brasil são nos setores de hotelaria e postos de combustíveis”, afirma.

Números - Foram ouvidas 551 pessoas, sendo que 55,17% do sexo feminino. Do total, a maioria é de Mato Grosso do Sul (72,67%), principalmente de Campo Grande (24,84%), seguidos dos municípios de Dourados (18,22) e Ponta Porã (12,22).

Para participar dos dias de promoção, a maioria usou carro próprio para a locomoção (73,10%) e disse preferir abastecer os veículos no lado brasileiro (59,91%).

A pesquisa apontou que, em média, R$ 41,00 foram gastos pelos visitantes com alimentação. Aqueles que permaneceram na região por mais de um dia optou por hospedagem em hotéis (19,40%), sendo a maioria dos estabelecimentos de Ponta Porã (57,98%).

Além disso, 80% dos entrevistados disseram que os preços oferecidos pela Black Friday atenderam suas expectativas.

“A pesquisa é um instrumento para o empresário conhecer os hábitos e o perfil dos consumidores. O movimento na economia é significativo, embora o valor de movimentação maior seja com produtos importados, parte do movimento de Pedro Juan Caballero volta indiretamente para o Brasil e este movimento financeiro é importante para o desenvolvimento da fronteira”, explicou a economista Regiane de Oliveira, superintendente do IPF-MS, que apresentou os dados.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions