A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

29/07/2016 14:19

Maioria dos prefeitos de MS é reprovada na gestão financeira

Ricardo Campos Jr.

Estudo da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) aponta que 81,2% de 69 prefeituras de Mato Grosso do Sul têm situação fiscal difícil ou crítica, ou seja, seus administradores geriram mal os recursos públicos. Campo Grande ocupou o 39º lugar no ranking estadual, tendo registrado nota zero no quesito liquidez por ter terminado 2015 com mais restos a pagar do que recursos em caixa, tendo o índice recuado 29% frente a 2014.

Veja Mais
Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25
Índice sobe 6% e Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas

Nem todos os municípios foram analisados, porque alguns deles não tinham seus balanços anuais disponíveis para consulta ou estavam com as informações inconsistentes até o dia 12 de julho, quando os dados foram tabulados.

O número é calculado com base em indicadores de receita própria, gastos com pessoal, investimentos em relação à receita corrente líquida, custo da dívida e liquidez (que verifica se as cidades deixam em caixa recursos suficientes para honrar seus compromissos).

Dos municípios analisados, apenas 12 têm boa gestão fiscal. Conforme a federação, embora a maioria das cidades tenha apresentado dificuldades de gestão, Mato Grosso do Sul ficou em uma situação favorável no país, já que dos 500 maiores índices brasileiros, 10 estão no Estado.

Os dados são feitos com base em informações oficiais de 2015 declaradas pelas próprias prefeituras à STN (Secretaria do Tesouro Nacional). O objetivo é avaliar como é administrada a carga tributária paga pela sociedade.

Os mais bem avaliados são Costa Rica, Bataguassu, Nova Andradina, Água Clara, Rio Brilhante, Cassilândia, Paraíso das Águas, Bonito, Maracaju e Paranaíba. Mais da metade dessas cidades apresentou bons índices no quesito liquidez.

Primeiro lugar no estado e 14º colocado no ranking nacional, o município de Costa Rica ocupou registrou excelência em quatro dos cinco indicadores analisados. Entre os 10 mais bem colocados no ranking estadual, Bataguassu foi a que mais avançou de 2014 para 2015, tendo passado de situação fiscal crítica para boa.

Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25
Cotado a R$ 3,256 na venda, após dois dias seguidos de baixa, o dólar comercial fechou esta quinta-feira (29) com alta de 1,05%. Com isso, a moeda no...
Índice sobe 6% e Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas
Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas, sendo que 13% não terão condições de pagar suas contas. O índice medido pelo IPF/MS (Instituto de Pesqu...
MS vai receber missão técnica do Chile em frigoríficos de carne bovina
Inspeções federais de outros país no Brasil pode abrir novos mercados para exportação. Chile, Cuba e Bolívia já tem data marcada para suas missões e ...
Gol lança ofertas semanais de passagens aéreas
Para atrair novos passageiros e fidelizar seus clientes, as companhias aéreas garantem preços e condições de pagamento especiais. Cada empresa define...



Eu gostaria de ter uma informação do Jornal, sobre quem encomendou esta análise e porque com a Federação das Industrias do Rio de Janeiro?
 
Meire Ferraz em 01/08/2016 23:34:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions