A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Setembro de 2016

20/08/2014 15:23

MMX tenta evitar recuperação judicial com arrendamento de unidades

Priscilla Peres

O grupo MMX, de Eike Batista, está arrendando suas unidades com o intuito de evitar uma recuperação judicial, assim como ocorreu com outras duas companhias do empresário, a OGPar, antiga OGX, e a OSX. De acordo com o Valor Econômico, o arrendamento ou a venda das empresas são as opções do time da Angra Partnews, que faz a gestão, para a reestruturação, do grupo EBX.

Veja Mais
Paralisação dos bancários completa 20 dias sem previsão de término
Entre a novidade e a decadência, quadrilátero é retrato do comércio

Em publicação do Valor de hoje, o jornal afirma que caso o grupo não consiga "se livrar" de suas unidades, o futuro da MMX será a recuperação judicial, se levarmos em conta o histórico da administração Eike Batista.

A MMX tem quatro unidades no país. O principal ativo o Porto Sudeste em Itaguaí/Rio de Janeiro foi vendido em fevereiro deste ano para o consórcio formado pela Impala, divisão da trading holandesa Trafigura, e o Mubadala, fundo soberano de Abu Dhabi.

A unidade de Mato Grosso do Sul, MMX Corumbá foi arrendada para a Vetria Mineração, controlada pela Triunfo e ALL, no mês passado, por US$ 500 mil anual. Restam duas unidades do grupo para serem negociadas, a Serra Azul e a Bom sucesso, ambas em Belo Horizonte.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions