A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

23/07/2014 14:50

MRV inaugura na Capital o 1° canteiro de obras que terá capacitação profissional

Luciana Brazil
MRV lança primeiro canteiro de obra alinhado ao Compromisso Nacional. (Foto: Divulgação)MRV lança primeiro canteiro de obra alinhado ao Compromisso Nacional. (Foto: Divulgação)

Campo Grande terá o primeiro canteiro de obras de Mato Grosso do Sul alinhado a um compromisso nacional, firmado entre Governo Federal e entidades sindicais e patronais, que prevê melhorias na construção civil, beneficiando os trabalhadores do setor. A MRV Engenharia, a única construtora do país a aderir ao acordo, inaugura amanhã a primeira obra na Capital, no Parque Castelo de San Marino, no Bairro Pioneiros. Entre os destaques concedidos pelo Compromisso Nacional para Aperfeiçoamento das Condições de Trabalho na Construção Civil estão a capacitação profissional e o aumento na escolaridade. O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e o governador do Estado, André Puccinelli (PMDB) já confirmaram presença na cerimônia de inauguração, que acontece às 10h30.

Veja Mais
Governo reduz despesas e tem saldo de R$ 38 milhões em oito meses
Bancários entram no 25º dia de greve sem previsão de retorno ao trabalho

O Compromisso Nacional visa melhorar as relações nos canteiros de obra e as condições de trabalho. Além das salas de aulas, outras quatro diretrizes norteiam o ajuste. Conforme o diretor de relações institucionais da MRV, Sergio Lavarini, o recrutamento e seleção de trabalhadores por meio do Sine (Sistema Nacional de Emprego) é uma das exigências. “Isso acaba com as contratações irregulares”, explica.

Outra proposta é a presença de um representante sindical no canteiro que possa ouvir as demandas da categoria e resolvê-las junto à empresa. “Este representante, que não é o mesmo representante sindical dos sindicatos, dedica três horas por semana para atender os trabalhadores, em uma sala especial. Isso facilita o diálogo entre a empresa e os funcionários”, conta Sergio.

Criar uma estrutura de relacionamento com a comunidade também está entre as medidas exigidas pelo Compromisso. "Em alguns casos, que envolvam cidades menores ou construtoras maiores, isso precisa ser feito de forma mais rigorosa. Nós fazemos esse relacionamento panfletando na vizinhança, informando sobre a obra". 

A formação de uma Comissão de Saúde e Segurança do Trabalho, com estrutura ambulatorial na construção, completam as exigências. Para cada uma das diretrizes do Compromisso, há medidas que devem ser cumpridas pelas empresas da construção, pelos sindicatos de trabalhadores e pelo governo federal.

"Esse Compromisso Nacional é uma oportunidade de dar transparência à empresa, mostrando o funcionário e dando mais qualidade às obras". O funcionário trabalha de forma mais produtiva, segundo Sergio,  quando pode ser ouvido e quando consegue expor suas reclamações. A capacitação profissional ou até mesmo as aulas que aumentam a escolaridade geram um ambiente m

Sergio frisa o valor das salas de aula nas construções. (Foto: Fernando Ientzsch)Sergio frisa o valor das salas de aula nas construções. (Foto: Fernando Ientzsch)

Atualmente, cerca de 800 trabalhadores estão em sala de aula recebendo capacitação profissional, em parceria com o Senai, e aumento de escolaridade, em parceria com o Sesi. "Já temos 54 salas de aula espalhadas pelo país. Temos salas até mesmo onde não há obra que aderiu ao Compromisso. Isso também é uma forma de atrair o funcionário", lembra o relações internacionais da empresa.

No país, já são 21 obras alinhadas ao Compromisso Nacional, todas elas da MRV. Amanhã, a 22° obra será inaugurada em Campo Grande. Pioneira na iniciativa, a MRV já carrega no currículo mais de 30 mil empregos gerados em Mato Grosso do Sul, desde de 2008, quando a empresa se instalou no Estado. Já são quase 5 mil empreendimentos construídos e entregues pela empresa em Mato Grosso do Sul, um total de investimento de aproximadamente R$ 280 milhões.

O conflito na usina de Jirau, em Rondônia, em março de 2011, onde trabalhadores se rebelaram contra as condições de trabalho e que culminou com a fuga de funcionários e vários ônibus queimados, foi o que motivou a construção do Compromisso.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions