A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

17/03/2016 10:26

MS abate 144 mil cabeças de bovinos a menos no 4º trimestre de 2015

Segundo pesquisa, abate de suínos e frangos cresceu no período

Renata Volpe Haddad
Falta de bois no mercado, faz abate cair 14,7% em MS. (Foto: Marcos Ermínio)Falta de bois no mercado, faz abate cair 14,7% em MS. (Foto: Marcos Ermínio)

Mato Grosso do Sul apresentou queda de 14,7% no abate de bovinos no 4º trimestre de 2015, se comparado com o mesmo período de 2014. No ano passado, foram abatidos 144,76 mil cabeças a menos, de acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em contrapartida, houve crescimento no abate de suínos e frango, no Estado.

Veja Mais
Cresce abate de novilho precoce, mas custo da produção preocupa criador
Água alaga fazendas de gado e abate em frigorífico é suspenso por 5 dias

Mato Grosso apresenta maior queda no abate de bovinos no País, sendo que abateu 252,59 mil cabeças a menos se comparado com o 4º trimestre de 2014.

No ranking das Unidades de Federações, Mato Grosso continua a liderar amplamente o abate de bovinos, seguido por Mato Grosso do Sul e São Paulo, mesmo com a queda na quantidade de abates.

Preços - De acordo com o IPCA/IBGE (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que é o indicador oficial da inflação brasileira, todos os cortes de carne bovina tiveram incrementos de preços no acumulado de janeiro a dezembro de 2015, e quase todos acima do Índice geral da inflação.

O corte capa de filé teve aumento de 18,10% no preço, seguido pela costela, com valorização no valor de 16,42% e filé mignon, com aumento de 16,05%.

Exportações carne bovina - No 4º trimestre do ano passado, 85,9% da carne exportada foi para dez principais destinos, como Hong Kong (17,4%), China (17,1%), Egito (14,2%), Rússia (12,9%), Irã (7,6%), Venezuela (5,7%), Chile (4,4%), Itália (3,2%), Vietnã (1,8%) e Holanda (1,6%).  Nesse período, o produto foi exportado para 72 destinos diferentes.

MS abateu 11,4% a mais de suínos em 2015. (Foto: Marcos Ermínio)MS abateu 11,4% a mais de suínos em 2015. (Foto: Marcos Ermínio)

Abate de suínos – A região Centro-Oeste é responsável por 14,1% dos abates de suínos, no 4º trimestre de 2015. Mato Grosso do Sul abateu 11,4% a mais em relação a 2014.

Em relação a exportação de suínos e na comparação entre os 4º trimestres 2015/2014, Santa Catarina registrou aumento de 15,5% no volume exportado, mantendo-se como principal Estado exportador de carne suína. MS exportou 1,1% a mais em 2015, passando de 3.640.810 kg para 3.681.755 kg de carne suína vendida principalmente para Rússia.

Preços – Houve queda de 11% no preço pago ao produtor da carne suína no fim do ano passado, sendo que os valores médios negociados de outubro a dezembro de 2015 foi de R$3,55/kg, variando de R$3,48/kg a R$3,75/kg. No mesmo período de 2014, o preço médio foi de R$3,99/kg.

Segundo o CEPEA (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), a demanda mais enfraquecida causada pelas recentes altas contribuíram para o cenário de acomodação dos preços, mesmo com o cenário mais favorável para as exportações em novembro do que foi em outubro e dentro do esperado em dezembro.

Já para o consumidor, a carne suína encareceu 4,80% em um ano.

Foram abatidos 2,3% de frangos no 4º trimestre do ano passado e MS também apresentou crescimento de 1,9% na exportação. (Foto: Famasul)Foram abatidos 2,3% de frangos no 4º trimestre do ano passado e MS também apresentou crescimento de 1,9% na exportação. (Foto: Famasul)

Abate de frangos – Houve crescimento de 2,3% no abate de frangos em Mato Grosso do Sul, tendo crescimento de 1,9% nas exportações, saltando de 40.081.135 kg para 40.847.445 kg no fim do ano passado.

No 4º trimestre de 2015 foram abatidas 1,51 bilhão de cabeças de frangos no País, alcançando novo recorde da série histórica iniciada em 1997. A região Centro-Oeste teve participação de 15% no abate, sendo que a região Sul do País, respondeu por 59,8% no abate de frangos.

Na comparação com o 3° trimestre de 2015, o aumento do volume abatido informado pela Pesquisa Trimestral do Abate incrementou a oferta para o mercado interno. Arábia Saudita (21,2%), Japão (11,5%), Emirados Árabes (8,10%), China (7,4%) e Hong-Kong (6,3%) são os principais destinos em termos de participação nas exportações brasileiras de carne de frango.

Preços - Conforme o indicador Cepea, o preço médio do frango resfriado com ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) posto no frigorífico, de outubro a dezembro de 2015 foi de R$ 4,13/kg, variando de R$ 3,97kg a R$ 4,34kg.

No comparativo com o mesmo período de 2014, o preço médio foi de R$ 3,65/kg, representando aumento anual de 12,98%. O índice acumulado do ano até dezembro para o frango inteiro foi de 13,42%, enquanto que para o frango em pedaços foi de 3,43%.

Leite - No 4º trimestre de 2015 a maior parte de aquisição nacional de leite era feita pelo Sudeste com 42,1%. O Sul concentrava 35,5% da aquisição, enquanto que o Centro-Oeste, 13,5%. Porém, em comparação com o mesmo período de 2014, houve queda de 12,2% no Centro-Oeste e 10,6% em Mato Grosso do Sul, do leite cru, comprado pelos laticínios.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions