A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

17/09/2015 08:34

MS deve receber R$ 20 milhões como parcela da Lei Kandir este mês

Caroline Maldonado
Projeto foi aprovado por senadores e segue para sanção presidencial (Foto: Divulgação/Senado Federal)Projeto foi aprovado por senadores e segue para sanção presidencial (Foto: Divulgação/Senado Federal)

O Governo de Mato Grosso do Sul espera receber até o fim deste mês repasse de R$ 20 milhões, referente a compensação pela isenção do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) para os produtos de exportação, conhecida como Lei Kandir. O valor é uma parcela de quatro, que devem ser repassadas aos municípios, conforme projeto aprovado pelo Senado Federal, que aguarda sanção da presidente Dilma Rousseff (PT).

Veja Mais
Reinaldo diz que União deve ao Estado R$ 164 milhões da Lei Kandir
MS tem R$ 74 milhões a receber da Lei Kandir e crise da União preocupa

No total, são previstos R$ 1,950 bilhão para os estados, de acordo com o projeto aprovado na terça-feira (15). As parcelas de R$ 487,5 milhões serão liberadas até o último dia útil dos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro, deste ano.

Uma parte da compensação é feita pela Lei Kandir, de 1996. A outra parte é aprovada todos os anos pelo Congresso Nacional, pois falta uma regulamentação definitiva. Segundo o Senado, o montante será distribuído entre os entes da federação de forma proporcional a coeficientes individuais de participação definidos pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), que reúne os secretários de Fazenda de todos os estados e do Distrito Federal. 

Do valor destinado a cada estado, 75% irá diretamente para os cofres estaduais e 25% vai para os municípios. O rateio entre os municípios de cada estado será baseado em coeficientes individuais de participação na distribuição da parcela estadual do ICMS, em 2014.

Para Mato Grosso do Sul, o montante é de cerca de 3,8% e totaliza R$ 80 milhões, conforme assessoria do deputado Elizeu Dionizio (Solidariedade/MS), que defendeu o projeto, em votação anterior na Câmara dos Deputados.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions