A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

15/09/2016 18:54

No 10º dia de greve, bancos e funcionários seguem longe de acordo

Nyelder Rodrigues
Greve chegou ao 10º dia hoje e reunião entre funcionários e bancos terminou sem acordo(Foto: Divulgação)Greve chegou ao 10º dia hoje e reunião entre funcionários e bancos terminou sem acordo(Foto: Divulgação)

Terminou novamente sem acordo a reunião entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos). O encontro aconteceu em São Paulo (SP) nesta quinta-feira (15) e foi encerrada no início da noite. A greve dos bancários completou hoje 10 dias e não tem previsão para acabar.

Veja Mais
Greve dos Correios é descartada e trabalhadores aprovam acordo coletivo
Em nove dias, greve dos bancários aumenta e continua sem negociação

Esta foi a oitava reunião entre representantes de funcionários e patrões, que pela terceira vez seguida apresentaram proposta de reajuste de 7% e abono de R$ 3,3 mil, valores considerados insatisfatórios pelos bancários.

A categoria quer um reajuste de 14,78%, índice calculado para repor a inflação de 9,78% e também dar ganho real de salário de 5%. Além disso, é pedido atendimento a propostas referentes às condições de trabalho, ignorados pelos patrões.

Os bancários querem criar dispositivos de combate a imposição de metas abusivas de trabalho e ao assédio moral, além do fim das demissões, ampliação das contratações e redução das terceirizações. Outro pedido é para que seja oferecido mais segurança nas agências bancárias e também auxílio educação para os funcionários.

Greve em Campo Grande - Nesta quinta-feira, 136 unidades bancárias não abriram as portas em Campo Grande e região, conforme dados da Seeb-CG (Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região). O número representa 85% do total de agências destes locais.

"É inadmissível que o setor mais lucrativo desse país trate com tanto descaso os seus funcionários, com uma proposta rebaixada de reajuste e nenhum avanço na questão do emprego, saúde, condições de trabalho, igualdade de oportunidades e segurança", reclama o presidente do sindicato, Edvaldo Barros.

A promessa é que já nesta sexta-feira (16) e na próxima semana, o movimento seja intensificado. Em todo o país, a greve já alcança 12.608 agências e 49 centros administrativos. "Exigimos respeito dos banqueiros aos trabalhadores, clientes e demais usuários de bancos", frisa Edvaldo. Não foi divulgado quando ocorrerá a próxima rodada de negociação.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions