A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

10/09/2014 17:08

Olarte afirma que tem dinheiro em caixa para bancar o 13º e salário

Marta Ferreira
Prefeito diz que abono natalino dos servidores não corre risco. (Foto: Marcelo Calazans)Prefeito diz que abono natalino dos servidores não corre risco. (Foto: Marcelo Calazans)

O prefeito Gilmar Olarte (PP), em entrevista ao Campo Grande News por telefone, negou que a Prefeitura corra o risco de atraso no pagamento de salários e do 13º salário deste ano. Segundo ele, há no caixa dinheiro equivalente a uma folha de pagamento, de R$ 100 milhões, suficiente para pagar o abono de antal dos cerca de 19 mil funcionários públicos municipais, que não enfrentam atraso do benefício desde 1996.

Sobre o temor de atraso em outros meses, manifestado por servidores diante das dificuldades financeiras que o município enfrenta desde o ano passado, Olarte também foi taxativo. "Não há esse risco".

Nesta tarde, o prefeito havia comentado que a Prefeitura tem os recursos e que espera, também, pela receita do PPI (Programa de Pagamento Incentivado), que dá descontos para contribuintes em dívida com o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). Na conversa por telefone, Olarte disse que o pagamento do funcionalismo não está na dependência do dinheiro do PPI que, segundo ele, é esperado para dar folego nas finanças do município.

Veja Mais
Para cortar gastos prefeitura suspende 5ª Gospel e Noite da Seresta
Após dois dias, negociação 'trava' e greve dos bancários continua

O prefeito disse que, quando assumiu, em março do ano passado, em substituição ao prefeito cassado Alcides Bernal (PP), a situação financeira era muito preocupante e a prefeitura estava "parada". De acordo com ele, havia R$ 380 milhões em dívida e pouco mais de R$ 200 milhões em caixa. Além disso, disse que no ano passado, deixaram de entrar no caixa municipal mais de R$ 300 milhões. "Melhoramos a arrecadação, pagamos as dívidas que foram deixadas, pagamos o que estava em atraso". Para ele, a situação financeira está entre "70% e 80%" equacionada.

Situação contornada - Agora, segundo ele, o momento é de recuperação e a determinação de corte de gastos, de até R$ 100 milhões, determinada esta semana, é para que o município chegue ao fim do ano com as contas em ordem e não exatamente porque está faltando dinheiro para as despesas. "É para trazer tranquilidade financeira", afirmou, sobre o dinheiro a ser arrecadado com o PPI.

Olarte estima que esse valor fique em, no mínimo R$ 40 milhões e no máximo R$ 100 milhões. Na entrevista, ele conclamou a população a procurar a central de negociação, no prédio da antiga Câmara de Vereadores, na rua Artur Jorge. "Queremos fazer economia, queremos puxar recursos, para atender a necessidade da população", encerrou o prefeito.

Para cortar gastos prefeitura suspende 5ª Gospel e Noite da Seresta
O projeto da Prefeitura de Campo Grande de cortar gastos para conseguir fechar as contas no azul, incluiu a suspensão da realização da Quinta Gospel ...
Bancos repetem proposta de reajuste de 7% e negociação prossegue
A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e o Comando Nacional dos Bancários retomaram a 9ª rodada de negociações nesta quarta-feira (28) em São Paul...
Após segunda queda consecutiva, dólar fecha cotado a R$ 3,22
O dólar comercial inverteu o movimento no final da tarde, após operar em alta durante quase toda a sessão. A moeda norte-americana fechou esta quarta...



Lógico que tem... rsrs
Quando ele foi cantar para os ex-prefeitos, ali ficou sabendo que tinha.
Afinal, todo político quando entrega o mandato diz: "Colocamos as contas em dia e com muito dinheiro sobrando em caixa".
E outra, em campanha política, tudo é possível. Até dar um "terror psicológico" para o servidor analisar em quem vai votar... penso eu.
 
Wagner Cabriote em 11/09/2014 09:01:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions