A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 01 de Outubro de 2016

12/05/2016 08:36

Para ambulantes, Caravana da Saúde é oportunidade de dinheiro extra

Mariana Castelar
Ambulante comemora as vendas e diz que chegou a vender quase 300 cocadas em um dia (Foto: Silas Limas)Ambulante comemora as vendas e diz que chegou a vender quase 300 cocadas em um dia (Foto: Silas Limas)

Não são só os pacientes que têm tirado bom proveito da Caravana da Saúde, que acontece em Campo Grande. Ambulantes enxergaram uma oportunidade no evento e correram para vender seus produtos. Com café, água, sucos, refrigerantes, salgados e até cocada, trabalhadores comemoram as vendas e chegam a lucrar até R$ 500 em um dia.

Veja Mais
Linhas extras de ônibus vão atender pacientes da Caravana da Saúde
Com Caravana da Saúde, avenida ficará parcialmente interditada

João César, de 44 anos, trabalha vendendo cocada nas feiras de bairro da Capital e conta que foi levar os pais para serem atendidos pelo projeto, mas quando chegou ao local viu que quase não tinha vendedor ambulante, e viu ali uma oportunidade.

“Na segunda e terça vendi quase 300 doces. Vendo cocada porque é o que sei e gosto de fazer. Venho da terceira geração de uma família que vive disso”, explica João. Ele afirma que ficará por lá até o final da Caravana.

Já Mark Henrique de 17 anos, montou uma espécie de sociedade com a amiga para vender seus produtos durante o evento de saúde. “Minha amiga me chamou para ajudar a vender só os salgados, minha irmã ouviu e propôs uma sociedade. Então eu vendo as bebidas e ela a comida”. 

Sem opções, população recorre aos ambulantes para matar a fome e sede (Foto: Silas Limas)Sem opções, população recorre aos ambulantes para matar a fome e sede (Foto: Silas Limas)

Chegando a vender mais de 300 salgados na seguda-feira (09), primeiro dia da Caravana da Saúde, o ambulante Antônio Lopes, de 21 anos, disse que o movimento está bom e comemora as vendas. “Tem gente o dia todo, então chego às 6h e fico até umas 17h”.

Oferecendo um cafezinho aos clientes, o desempregado Maicon Stanlei, de 28 anos soube da Caravana e resolveu ganhar um dinheiro extra. “ Vendo café, suco, salgado, água e estou feliz da vida. Para quem está desempregado, conseguir vender 150 salgados em um dia está bom demais”.

A idosa Maria de Lourdes, de 70 anos conta que ao sair do atendimento estava com fome e ao ver os salgados, não pensou duas vezes. “Gente velha é igual a criança, sente fome toda hora”. No local, há cerca de 6 ambulantes e os preços dos produtos variam de R$ 1,50 a R$ 3.

A Caravana da Saúde começou na terça-feira (10) e vai até o dia 29 de maio. Os atendimentos estão concentrados no Pavilhão Albano Franco, que fica na Avenida Mato Grosso, nº 5017, no Carandá Bosque. A estimativa é de que 35 mil pessoas sejam atendidas até o fim da etapa na Capital.

Desempregado, Maicon Stanlei conta que está desde terça-feira e para ter boas vendas chega às 5h da manhã e fica até 18h (Foto: Silas Limas)Desempregado, Maicon Stanlei conta que está desde terça-feira e para ter boas vendas chega às 5h da manhã e fica até 18h (Foto: Silas Limas)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions