A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

12/11/2014 18:13

População diz que parcelamento é alternativa para IPTU mais caro

Priscilla Peres
Psicóloga acredita que os aumentos sejam reflexo da conjuntura nacional. (Foto: Alcides Neto)Psicóloga acredita que os aumentos sejam reflexo da conjuntura nacional. (Foto: Alcides Neto)
Professora afirma que reajuste do IPTU não condiz com o salário dos trabalhadores. (Foto: Alcides Neto)Professora afirma que reajuste do IPTU não condiz com o salário dos trabalhadores. (Foto: Alcides Neto)

Os vereadores de Campo Grande aprovaram ontem o reajuste de 12,58% do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para 2015, além disso o prometido desconto de 25% para pagamento a vista não entrará em vigor. Diante disso, a população reclama do valor do aumento e afirma que o jeito será recorrer ao parcelamento.

Veja Mais
Prefeitura pode desistir de desconto maior para pagamento de IPTU
Prefeitura terá de refazer orçamento com índice menor do IPTU, diz secretário

Para psicóloga Gisele Vieira Neto, 43, os reajustes que estão ocorrendo em Campo Grande e as dificuldades financeiras são generalizadas e refletem um movimento pós eleição. "Eu sou autônoma, não vou receber 13° salário e pra mim a melhor maneira é parcelar a dívida, caso contrário não consigo pagar", diz.

Ela afirma que o desconto para quem paga a vista não é suficiente. "Não compensa, por que não consigo todo o dinheiro de uma vez só, por isso pagar aos poucos é melhor", afirma Gisele, que acredita que a dificuldade para pagar as contas não acontece só com ela. "Muita gente está nessa situação também, esta tudo muito caro atualmente".

Já a professora municipal Tania Marcia Ferreira, 47, afirma que o reajuste de 12,58% não condiz com a realidade do reajuste dos trabalhadores. "Estamos lutando pra conseguir um aumento de pouco mais de 8%, que já esta garantido em lei e está difícil, e agora vamos ter que arcar com esse aumento de 12%. É muita diferença com o reajuste salarial", diz.

Ela lembra que o reajuste do IPTU não vem sozinho. "Ainda tem o aumento do passe de ônibus e da gasolina. Vou gastar muito mais para ir trabalhar e tem o passe do filho que também está mais caro. Até esse ano eu paguei o IPTU a vista, mas agora não tem mais como, está tudo caro demais", afirma ela que estima que irá pagar mais de R$ 1.000 só de imposto em janeiro.

A empresária Angélica Ruiz, 42, revela que não aguentou a alta carga tributária do Estado e nem a burocracia empresarial e por isso está de mudança para João Pessoa/PB, onde seu filho mora. "Tenho uma loja de calçados e aqui tudo é muito caro e muito difícil, e agora tem esses reajustes. Já fiz as contas e compensa ir embora, vou gastar menos e ganhar mais por lá", diz.

Reajustes - Desde a semana passada, os campo-grandenses receberam três más notícias para o bolso. No dia 30 de outubro, começou a valer o aumento de 3% para a gasolina e 5% para o diesel. Hoje, a tarifa do transporte coletivo da Capital passou de R$ 2,75 para R$ 3, reajuste de mais de 10%. E em janeiro de 2015, o IPTU ficará 12,58% mais caro.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions