A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

20/08/2016 10:05

Postos são suspeitos de prática desleal para baratear preço dos combustíveis

Anny Malagolini
Mato Grosso do Sul é apontado como o terceiro Estado com a gasolina mais barata do país (Foto: Fernando Antunes)Mato Grosso do Sul é apontado como o terceiro Estado com a gasolina mais barata do país (Foto: Fernando Antunes)

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio da 43ª Promotoria de Justiça de Campo Grande, instaurou inquérito civil para apurar possível prática de ‘dumping’ em postos de combustíveis da Capital. A prática ilegal se refere à disputa desleal, quando um produto é colocado à venda a um preço inferior ao do mercado para prejudicar o concorrente e atrair clientela.

Veja Mais
Competição reduz preço médio que é usado para taxar gasolina em MS
A 135km de Campo Grande, litro da gasolina está R$ 0,71 mais caro

Em levantamento da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), Mato Grosso do Sul é apontado como o terceiro Estado com a gasolina mais barata do Brasil. Em Campo Grande, o litro do combustível chega a ser vendido a R$ 3,12.

Em pesquisa realizada em 31 postos de combustíveis da Capital, o preço médio do litro da gasolina para o consumidor é de R$ 3,16. A variação do produto chega a 10,6%, e por isso ainda há locais em que o combustível custa R$ 3,49 o litro. Já o município de Paranaíba está em primeiro lugar no ranking dos mais caros. A gasolina mais barata encontrada custa R$ 3,84,

Há um ano, as suspeitas de práticas ilegais nos postos do Estado levou a assembleia legislativa de Mato Grosso do Sul a criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do combustíveis, onde foram analisados mais de 20 mil documentos

A conclusão do levantamento constatou ampla variação de preços, não só em Campo Grande como também em municípios do interior do Estado. Em Dourados, por exemplo, a margem de lucro chegou a 54%. 

Segundo o relatório, em outubro de 2015, era gritante a disparidade dos preços praticados no mercado de venda direta de combustíveis em Campo Grande para o restante dos municípios do Estado, sendo que as diferenças praticadas chegavam a um patamar de R$ 0,60 (sessenta centavos) em média, para a segunda maior cidade do Estado, Dourados-MS e, em outras localidades, essa diferença era ainda maior.

Foi concluído ainda que as próprias distribuidoras vendiam os combustíveis a um preço, dependendo do endereço.




Peraí? Eu vi isso mesmo? O Ministério Público está de brincadeira mesmo!
Ao invés de proteger os menos favorecidos, salvaguardar os direitos difusos está preocupado com alguns empresários que se sentiram lesados por não mais conseguirem ditar ou implantar o modelo que a pouco tempo atrás nos colocava entre as capitais mais caras do país em valores de combustível. Qual seria a explicação de alguns municípios colados em Campo Grande estarem com preço da Gasolina acima dos R$ 3,70? Eu mesmo respondo: a simples falta de concorrência, local onde tem apenas três ou quatro postos é muito mais fácil de combinar os preços. Mas isto o MP não vê, por que será?
 
Matrix em 21/08/2016 07:45:44
E o outro lado da moeda? Quando os empresários combinam de aumentar os preços pra lesionarem os clientes? O empresário que baixa o preço pra atrair os clientes está no direito dele, afinal estamos ou não num País livre, caso contrário vamos acabar com capitalismo, se ele é um intermediário do produto e estiver satisfeito nem que seja ganhando 1 centavo por litro.Porque o Ministério Publico não vai ás ruas perguntar pros motorista, se eles estão achando desleal alguns postos de gasolina baixarem os preços pra atrair clientes, garanto que pelo menos 95% vão apoiar e até pedir pra baixar mais e eu seria um deles porque sei o quanto pesa no meu orçamento mensal o valor do combustível.E já que é Mistério Publico tem que atender ao interesse do publico em geral; não á alguns empresários....
 
Ronildo Fernando de Mello em 20/08/2016 11:56:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions