A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Setembro de 2016

05/05/2015 12:10

Preço da cesta básica sobe 1,7% e a mais cara chega a R$ 132,50

Pesquisa do Procon mostra que em Dourados metade dos 28 itens pesquisados apresenta diferença de preço superior a 100%

Helio de Freitas, de Dourados
O feijão apresenta variação de 163% entre o estabelecimento com preço mais caro e o mais barato (Foto: Eliel Oliveira)O feijão apresenta variação de 163% entre o estabelecimento com preço mais caro e o mais barato (Foto: Eliel Oliveira)

O preço da cesta básica subiu 1,7% no mês de abril em comparação a março deste ano em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Pesquisa mensal do Procon divulgada nesta terça-feira revela o que as donas de casa já sabiam: quase todos os principais produtos que compõem a cesta básica do brasileiro estão mais caros, mais um reflexo da crise financeira e econômica do país.

Veja Mais
Energia e tomate pesam no bolso e inflação de abril é a maior em 4 anos
Boletim Focus: mercado financeiro estima que inflação vai a 8,23% este ano

O levantamento de preços feito ontem em dez supermercados da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul verificou o preço de 28 itens da cesta básica, de alimentos a produtos de higiene e limpeza. Além do aumento de preço de alguns itens, não detalhados na pesquisa, o Procon constatou uma grande variação entre os produtos mais caros e os mais em conta.

A cesta mais barata (somatório dos 28 itens da pesquisa) foi encontrada por R$ 85,82 no hipermercado do shopping center da cidade. Já a mais cara – R$ 132,05 – é vendida em um hipermercado de uma rede nacional. A diferença entre a mais cara e a mais barata é de 54%, segundo o Procon. Nos outros oito estabelecimentos os preços variam de R$ 97,92 a R$ 117,76.

Entre os produtos pesquisados, os campeões de diferença de preço são o fubá pacote de 1 kg, que pode ser comprado por R$ 1,38 ou até por R$ 5,58 (diferença de 304,35%) e o macarrão, também pacote de 1 kg, que custa de R$ 1,38 a R$ 5,29. O Procon afirma que ao fazer a pesquisa não leva em conta as marcas dos produtos.

Foram encontrados 17 produtos com diferença superior a 100% entre o estabelecimento com menor preço e o que tem o maior valor. O feijão, por exemplo, varia 163,49% - custa de R$ 1,89 a R$ 4,98. O extrato de tomate 350 ml pode ser encontrado de R$ 0,89 a R$ 2,89 – uma diferença de 224,72%.
O diretor do Procon, Rozemar Mattos, disse que o consumidor deve ficar atento às especificações contidas na embalagem, principalmente prazo de validade, composição e peso líquido do produto. Mais informações sobre a pesquisa podem ser obtidas pelos telefones (67) 3411-7754 e 151, ou pelo e-mail procon@dourados.ms.gov.br. Esses também são os contatos para denúncia em caso de desrespeito ao direito do consumidor.

Procon mostra que cesta básica subiu 1,7% em abril em comparação ao mês anterior (Foto: Eliel Oliveira)Procon mostra que cesta básica subiu 1,7% em abril em comparação ao mês anterior (Foto: Eliel Oliveira)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions