A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

29/08/2014 12:14

Preço do gás de cozinha pode ficar até R$ 5 mais caro dia 1º na Capital

Viviane Oliveira
O valor do gás deve aumentar entre o dia 1º a 4 de setembro. (Foto: arquivo/Campo Grande News)O valor do gás deve aumentar entre o dia 1º a 4 de setembro. (Foto: arquivo/Campo Grande News)

O sul-mato-grossense vai pagar mais caro pelo gás de cozinha a partir do dia 1º de setembro, segunda-feira, segundo previsão do Simpergasc (Sindicato dos Revendedores de Gás de Mato Grosso do Sul). O reajuste deve ficar em torno de 6,25%, o que significa um aumento de até R$ 5 no valor do produto. Atualmente, o botijão é vendido na Capital por R$ 53,25 e, com o novo aumento, deverá ficar em média em R$ 58. 

Veja Mais
Com menor preço médio do país, litro da gasolina é vendido por R$ 3,09
Bancários completam 21 dias em greve sem previsão para voltar ao trabalho

De acordo com a presidente do sindicato, Neuza de Fátima Borges, esse aumento é o resultado do dissídio coletivo dos trabalhadores dos derivados de petróleo, cujo reajuste será repassados para as distribuidoras de gás e automaticamente ao consumidor.

O aumento acontece todo ano no mês de setembro. O preço do gás vai variar de acordo com a revendedora”, explica, acrescentando que cada empresa tem um custo diferente.

Conforme Neuza, com o aumento nos preços do gás o consumidor deve ficar atento às revendas clandestinas. “Se o valor for muito abaixo do mercado, a pessoa deve questionar e identificar a orgiem do produto”, diz. A armazenagem é um dos fatores mais fáceis para se detectar a irregularidade. Além de observar se existe o certificado da ANP (Agência Nacional de Petróleo) e do Corpo de Bombeiros”.

O gás deve ser armazenado respeitando normas de segurança exigidas pela ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Estima-se que em todo Estado funcione em média 1400 revendas legalizadas e, em Campo Grande em torno de 800. De acordo com a ANP desde 2002 o gás de cozinha pode ser reajustado sem a participação do Governo Federal. Não tem tabelamento de preço.

Atualmente, segundo pesquisa da ANP realizada semanalmente, o preço médio do botijão no Estado é de R$ 51,15, mas varia entre R$ 38 e R$ 55. Na Capital, o preço médio é de R$ 53,25.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions