A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

15/10/2014 13:26

Prefeitura elabora projeto para a construção de casas nos polos industriais

Priscilla Peres
Unidades habitacionais serão construídas nos polos industrias. (Foto: Prefeitura de Campo Grande)Unidades habitacionais serão construídas nos polos industrias. (Foto: Prefeitura de Campo Grande)

Com o intuito de otimizar os espaços dos polos industriais e facilitar a moradia dos trabalhadores, a Prefeitura de Campo Grande elaborou um Plano Local para construir unidades habitacionais nos quatro polos empresariais da Capital. As primeiras serão construídas em uma área de 30 hectares no Polo Oeste.

Veja Mais
Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25
Índice sobe 6% e Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas

O Plano foi apresentado no início do mês de outubro, em reunião do CMDU (Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano), e aprovada por unanimidade entre os conselheiros, após as considerações e sugestões dos relatores. . “No plano diretor de Campo Grande está prevista a indução do crescimento por meio dos Planos Locais, por isso se propôs esta intensificação nos bairros próximos dos polos Sul, Norte, Oeste e do Terminal Intermodal", afirma a diretora-presidente da Emha, Marta Martinez.

A titular da Agência de Habitação explica que as indústrias precisam disponibilizar transporte para seus funcionários as vezes durante a madrugada. As residências próximas as indústrias é uma forma de facilitar a contratação de funcionários, que terão mais qualidade de vida ao morar perto do trabalho.

A construção das unidades é uma parceria feita entre a prefeitura e as indústrias, que terão de doar uma contrapartida na forma de doação de áreas para a Emha ou o equivalente em recursos para construção de casas, que será gerenciado pelo Fundhab (Fundo de Habitação para Interesse Social).

Eixos Estratégicos – O Plano se divide em quatro eixos estratégicos, sendo o principal a sustentabilidade ambiental, desenho voltado para áreas de fundo de vale, preservação de maciços de vegetação e áreas de proteção permanente e construção de parques lineares. Outra preocupação diz respeito ao uso residencial no entorno dos polos, para que as edificações não estejam próximas de atividades poluentes.

O terceiro eixo visa a promoção da mobilidade urbana, por meio de pavimentação e drenagem pluvial da linhas de ônibus, calçadas, ciclovias e área reservada para construção de terminal de transporte coletivo, como é preconizado no programa em âmbito federal. Por último, planejar a construção de equipamentos comunitários, como escolas, centros de educação infantil e unidades básicas de saúde.

Após duas quedas seguidas, dólar tem alta de 1,05% e fecha a R$ 3,25
Cotado a R$ 3,256 na venda, após dois dias seguidos de baixa, o dólar comercial fechou esta quinta-feira (29) com alta de 1,05%. Com isso, a moeda no...
Índice sobe 6% e Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas
Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas, sendo que 13% não terão condições de pagar suas contas. O índice medido pelo IPF/MS (Instituto de Pesqu...
MS vai receber missão técnica do Chile em frigoríficos de carne bovina
Inspeções federais de outros país no Brasil pode abrir novos mercados para exportação. Chile, Cuba e Bolívia já tem data marcada para suas missões e ...
Gol lança ofertas semanais de passagens aéreas
Para atrair novos passageiros e fidelizar seus clientes, as companhias aéreas garantem preços e condições de pagamento especiais. Cada empresa define...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions