A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 01 de Outubro de 2016

28/03/2014 17:12

Prefeitura vai anistiar construções irregulares, mas sem abrir mão de ISS

Edivaldo Bitencourt
Prefeito sancionou lei que anistia proprietários de imóveis irregulares (Foto: Cleber Gellio)Prefeito sancionou lei que anistia proprietários de imóveis irregulares (Foto: Cleber Gellio)

A Prefeitura de Campo Grande vai anistiar todos os imóveis, construídos até hoje, e que estão irregulares em relação ao Código de Obras e a Lei de Ordenamento do Uso e Ocupação do Solo. No entanto, apesar de dar a oportunidade, o município não vai abrir mão da cobrança do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza).

Veja Mais
Dólar comercial fecha a semana em alta e cotado na venda a R$ 3,25
Intenção de compra cai, mas dia das crianças pode movimentar R$ 146 mi

A anistia está prevista na Lei Complementar 226, sancionada ontem pelo prefeito Gilmar Olarte (PP) e publicada na edição de hoje do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).

Para o presidente do Secovi (Sindicato da Habitação), Marcos Augusto Neto, a medida vai contemplar, principalmente, os moradores da periferia, onde estão a maior parte dos imóveis irregulares.

Ele destaca que a medida será uma oportunidade para quem está com a casa nova ou ampliada irregular e precisa regularizar. No entanto, a lei não abre mão do ISSQN e ainda deverá refletir no valor do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

Os proprietários terão seis meses para solicitar a anistia e deverão ter um responsável técnico, que pode ser engenheiro ou arquiteto. A regularização poderá contemplar mais de um imóvel no mesmo terreno.

A edificação precisará ter condições mínimas de habitabilidade, segurança de uso e estabilidade; ter sido concluída até a data da publicação da lei; ser de alvenaria ou convencional; não estar localizada em rua ou área pública.

A Prefeitura terá 30 dias para analisar o pedido e poderá exigir obras de adequação para garantir a estabilidade, segurança, higiene,salubridade e o respeito ao direto de vizinhança. O processo será analisado pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano).

Segundo o Secovi, esta não é a primeira anistia para estes casos. “Já ocorreram várias anistias no passado”, contou Marcos Augusto.

Dólar comercial fecha a semana em alta e cotado na venda a R$ 3,25
Apesar do dólar ter fechado em queda de 0,12% no dia, e cotado a R$ 3,252 na venda, a moeda norte-americana fechou a semana com uma leve alta de 0,14...
Bandeira tarifária de outubro é verde, sem valor adicional nas contas de luz
A bandeira tarifária que será aplicada nas contas de luz em outubro será verde, sem custo para os consumidores de energia elétrica. Este é o sétimo m...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions