A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

10/04/2015 13:29

Prefeituras tem até hoje para definir quais obras vão executar em 2015

Caroline Maldonado
Prefeitos se reuniram na Assomasul com superintendente da Caixa, Paulo Antunes; deputados federais, Vander Loubet, Tereza Cristina e Dagoberto Nogueira; além de senador Valdemir Moka (Foto: Caroline Maldonado)Prefeitos se reuniram na Assomasul com superintendente da Caixa, Paulo Antunes; deputados federais, Vander Loubet, Tereza Cristina e Dagoberto Nogueira; além de senador Valdemir Moka (Foto: Caroline Maldonado)
Senador Valdemir Moka destacou o cenário econômico nacional e alertou que prefeituras sem documentação completa vão perder recursos (Foto: Caroline Maldonado)Senador Valdemir Moka destacou o cenário econômico nacional e alertou que prefeituras sem documentação completa vão perder recursos (Foto: Caroline Maldonado)

Prefeituras de Mato Grosso do Sul têm até hoje (10) para informar à Caixa Econômica quais obras vão dar conta de iniciar ainda esse ano para então conseguir a liberação do total de R$ 134 milhões de “restos a pagar” do Governo Federal. No dia 10 de junho, os prefeitos terão que enviar ao banco informações quanto ao percentual já executados das obras.

Veja Mais
Prefeituras aguardam R$ 134 milhões de restos a pagar de emendas
Dia das Crianças vai movimentar R$ 146 milhões com R$ 119 por presente

As prefeituras que não cumprirem esses prazos perderão os recursos que seriam destinados a emendas de 2013 e 2014. As datas e detalhes dos próximos passos foram informadas em assembleia geral hoje, no plenário da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.

Segundo o superintende regional da Caixa, Paulo Antunes, os recursos são para obras como pavimentação e construção de prédios e praças, orçadas em valores que não ultrapassam R$ 700 mil cada uma. Ele acredita que a maioria dos municípios não vai conseguir cumprir os prazos para captar os recursos.

“É necessário a unidade dos prefeitos para salvar essas emendas. O Governo Federal vai se manifestar até o dia 15 de junho informando os valores que serão liberados. Até 1º de julho, o que não foi desbloqueado será cancelado”, detalhou o superintende.

“A preocupação é perder esses recursos, então a Caixa está orientando que os prefeitos façam as licitações, contratem as empresas e execute uma parte da obra no prazo determinado para que possa haver pagamento. Alguns vão conseguir e outros vão ter dificuldade”, disse o presidente da Assomasul, Juvenal Neto. Ele disse que são obras de pequeno porte e não destacou alguma.

O deputado federal Vander Loubet disse que o momento é de preocupação, porque o Governo Federal está fazendo ajustes e as prefeituras precisam se preparar para isso. “Tem contratos sem documentação ou com documentação desatualizada. Os deputados não têm medido esforços para ajudar para que todos os municípios sejam incluídos nos projetos do Governo Federal”, comentou.

O senador Valdemir Moka foi ainda mais pessimista ao destacar o cenário econômico nacional. “A crise é real. Se tem uma vírgula fora do lugar vai se desculpa para o governo não dar aquele recursos”, disse em relação a documentação que os prefeitos devem repassar à Caixa e ao Governo Federal. Também participaram da assembleia, o deputado estadual Renato Câmara; os deputados federais Dagoberto Nogueira e Tereza Cristina.

Endividamento das famílias cresce e atinge 58,2%, mostra pesquisa
O endividamento das famílias brasileiras aumentou 0,2 ponto percentual de agosto para setembro deste ano, atingindo 58,2%. Apesar do ligeiro crescime...
Taxa de juros do cheque especial bate novo recorde: 321,1% ao ano
A taxa de juros do cheque especial subiu em agosto. De acordo com informações do Banco Central (BC), divulgados hoje (28), em Brasília, a taxa do che...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions