A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Setembro de 2016

28/11/2014 18:30

Procon identifica propaganda enganosa de pelo menos três empresas

Priscilla Peres
Lojas aderiram a liquidação nessa sexta-feira. (Foto: Pedro Peralta)Lojas aderiram a liquidação nessa sexta-feira. (Foto: Pedro Peralta)

Ao menos três casos de propaganda enganosa foram identificados pelo Procon/MS nessa sexta-feira (28), dia de Black Fiday. Com a mega liquidação em lojas físicas e on-line, a superintendência de defesa do consumidor passou o dia atender reclamações e orientando quem tinha dúvidas sobre o atendimento das lojas nesse dia.

Veja Mais
Paralisação dos bancários completa 20 dias sem previsão de término
Entre a novidade e a decadência, quadrilátero é retrato do comércio

De acordo com o superintendente do Procon/MS, Alexandre Rezende, as propagandas enganosas foram encontradas em tabloides e por meio de denúncias e de fiscalização feita durante todo os dia, nos estabelecimentos que aderiram a promoção. "Em um dos exemplos, a empresa colocou a propaganda de um refrigerador com todas as especificações mas omitiu a marca. Isso não pode ocorrer de maneira alguma", afirma.

Rezende destaca que aparentemente a edição 2014 do Black Friday foi mais tranquila em termos de reclamação que no ano passado, porém um balanço mais preciso dos problemas saíra na próxima semana. "Vamos continuar recebendo as reclamações e ressaltando que em casos de problemas com empresas ou produtos o Procon precisa ser procurado".

O comerciário Marcio Douglas, 24, resolveu aproveitar a liquidação de hoje e foi até o Centro da cidade comprar uma televisão. Ele achou uma promoção e levou para casa uma TV de 29 polegadas por R$ 500, porém teve problemas. "Quando cheguei em casa a televisão não funcionou e tive que voltar na loja para fazer a troca".

Ele conta que ao chegar no estabelecimento onde comprou, o gerente da unidade informou que o SAC (Serviço de atendimento ao Consumidor) não estava funcionando hoje e que não poderia fazer a troca, além disso, também não emitiu nota fiscal da compra. "Eu tive que conversar com eles de forma mais firme para ser atendido. No final, eles acabaram trocando a TV com defeito".

O superintendente do Procon lembra que nesses casos é ideal que a pessoa procure o órgão para protocolar uma denúncia. "A não emissão de nota fiscal é um crime grave, pois é ela que comprova a compra do produto e também por que é o documento que confirma que a empresa são esta sonegando imposto", diz Rezende.

Ainda de acordo com o Procon, quando a empresa decide aderir a uma promoção precisa ter condições de atender a demanda de clientes da melhor maneira possível. "Hoje foi um dia comum para o comércio, se tem liquidação então tem que conseguir atender", ressalta Rezende.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions