A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Setembro de 2016

21/10/2015 15:42

Produtos de limpeza sobem 31%, mas consumidor não abre mão de marcas

Mariana Rodrigues
Os consumidores afirmam que não trocam as marcas mais caras pelas mais em conta devido a eficácia desses produtos.(Fernando Antunes)Os consumidores afirmam que não trocam as marcas mais caras pelas mais em conta devido a eficácia desses produtos.(Fernando Antunes)

Os produtos de limpeza ficaram até 31% mais caros em outubro deste ano, se comparado ao mesmo período do ano passado. Porém, os consumidores não abrem mão de gastar um pouco a mais e adquirir marcas com valores mais altos que "garantem" a eficiência.

Veja Mais
"Atacarejo" vira opção nas compras e economia pode chegar a 46% na crise
Cesta básica tem alta de 1,87% e preço médio varia de R$ 90 a R$ 125

De acordo com levantamento do IPC/CG (Índice de Preço ao Consumidor de Campo Grande), divulgado pela Uniderp Anhanguera, neste mês o produto que mais encareceu foi o amaciante de roupas da marca Fofo de dois litros, no ano passado ele custava R$7,62 e agora R$10,06 ou seja, aumento de 31,92%. Outro item da lista é o lava roupas em pó, segundo a pesquisa, no ano passado o produto da marca Omo Progress de um quilo custava R$ 8,12 e neste ano chegou a R$ 9,81, isso representa aumento de 20,86%.

Porém, os consumidores afirmam que não trocam as marcas mais caras pelas mais em conta devido a eficácia desses produtos. É o caso da manicure Maria das Graças Sousa, prefere pagar um pouco a mais em produtos de marca reconhecidas do que comprar os mais baratos que não "funcionam". "Compensa gastar um pouco mais por um produto de qualidade", conta.

Sobre o preço ela afirma que sentiu no bolso o aumento, mas para economizar e ainda assim levar o produto que mais lhe agrada, faz suas compras onde for mais barato. "Pesquiso nos mercados até encontrar o mais barato", acrescenta.

Marcelina Centurião, 43 anos, motociclista, não abre mão das marcas que gosta. (Foto: Fernando Antunes)Marcelina Centurião, 43 anos, motociclista, não abre mão das marcas que gosta. (Foto: Fernando Antunes)

Marcelina Centurião, 43 anos, motociclista, não abre mão das marcas que gosta, independentemente do preço que eles estão custando. "Compensa pagar mais caro em produtos de limpeza pois rendem mais. Esse mês comprei na rede atacadista para economizar e dividi a conta com meu filho e meu marido", conta ela a fórmula para gastar menos.

Stephany de Souza, 27 anos e Arlete Peraccha, 50 anos, são de Maracaju, e vêm para Campo Grande fazer suas compras na rede atacadista. Quando questionada sobre os produtos de limpeza ela também afirma que percebeu que houve aumento, porém não abre mão das marcas que já usa habitualmente. "Procuro os produtos da marca que uso e estão na promoção".

Mas há aqueles que ainda preferem economizar, como é o caso da pecuarista Wanessa Mateus da Cunha, 40 anos. Ela conta que sentiu os efeitos dessa alta, principalmente nos produtos de limpeza. "Procuro por marcas mais baratas, comprar em redes atacadistas ao invés de mercados, pois oferecem preços melhores", diz.

Isso se repete com a empregada doméstica Marli da Silva, 41 anos, para ela comprar pela marca não dá. "Os preços aumentaram muito, por isso prefiro as marcas que estão mais em conta no mercado. A solução é ir atrás das promoções", acredita.

Pesquisa - Além do sabão em pó e do amaciante, a água sanitária Candura de um litro passou de R$2,04 para R$2,43, um aumento de 18,92%. O desinfetante Candura Pinho de 2 litros passou de R$3,85 para R$ 4,73, ou seja, um aumento de 23,02%.

Alguns produtos pesquisados apresentaram retração, conforme a pesquisa. O desinfetante Pinho Minuano (500ml) fico 11,15% mai barato, apresentou queda também o sabão em barra Ypê com cinco unidades, passou de R$ 6,02 para R$ 5,08 neste ano, isso representa uma retração de 15,73%.

Para Marli da Silva, 41 anos, comprar pela marca não dá. (Foto: Fernando Antunes)Para Marli da Silva, 41 anos, comprar pela marca não dá. (Foto: Fernando Antunes)
Arlete Peraccha, 50 anos e Stephany de Souza, 27 anos, e  vêm para a Capital para aproveitar as promoções. (Foto: Fernando Antunes)Arlete Peraccha, 50 anos e Stephany de Souza, 27 anos, e vêm para a Capital para aproveitar as promoções. (Foto: Fernando Antunes)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions