A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

15/12/2015 13:21

Segunda pesquisa do Procon mostra queda de preços em produtos do Natal

Após alta verificada no dia 2, principais produtos apresentaram queda de preço de até 15% na pesquisa desta semana em Dourados

Helio de Freitas, de Dourados
Produtos de Natal, como o panetone, tiveram queda de preço nas últimas duas semanas (Foto: Eliel Oliveira)Produtos de Natal, como o panetone, tiveram queda de preço nas últimas duas semanas (Foto: Eliel Oliveira)

O preço dos principais produtos consumidos do Natal recuou em comparação a duas semanas atrás, mostra pesquisa feita pelo Procon nesta segunda-feira (14) em Dourados, a 233 km de Campo Grande. A pesquisa feita no dia 30 de novembro tinha constatado alta de até 41% em produtos consumidos nas festas desta época do ano em comparação a 2014.

Veja Mais
Produtos de Natal estão até 41% mais caros, mostra pesquisa do Procon
Endividamento das famílias cresce e atinge 58,2%, mostra pesquisa

Conforme a pesquisa desta semana, feita em dez estabelecimentos comerciais da cidade, as frutas tiveram queda de 15,2% em relação ao início do mês. O preço médio do panetone teve queda de 1,2%. Já o preço das aves caiu 6,1% em relação a novembro de 2015. Nos vinhos, no entanto, ocorreu alta de 1,5%

Foram pesquisados 44 itens, entre panetones, carnes de aves, suína, bovina e peixe, frutas, enlatados e bebidas. Mais uma vez o Procon encontrou grande variação entre o menor e o maior preço. Treze produtos apresentaram diferença superior a 100%.

O filtrado doce 660 ml custa de R$ 4,35 a 18,75 – diferença de 331,03%. O panetone tradicional, caixa 500 gramas, foi encontrado de R$ 5,45 a R$ 22,90, com diferença de 320,18%.

De acordo com o Procon, o consumidor deve efetuar uma cuidadosa pesquisa de preço, avaliando sempre o custo-benefício em caso de deslocamento até estabelecimentos que tenham produtos mais baratos, mas que ficam em outras regiões da cidade. Em alguns casos o gasto para chegar ao local não compensa. Mais informações sobre a pesquisa podem ser obtidas pelos telefones 151 e (67) 3411-7754.

Endividamento das famílias cresce e atinge 58,2%, mostra pesquisa
O endividamento das famílias brasileiras aumentou 0,2 ponto percentual de agosto para setembro deste ano, atingindo 58,2%. Apesar do ligeiro crescime...
Taxa de juros do cheque especial bate novo recorde: 321,1% ao ano
A taxa de juros do cheque especial subiu em agosto. De acordo com informações do Banco Central (BC), divulgados hoje (28), em Brasília, a taxa do che...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions