A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

17/07/2014 18:58

Serviços ainda salvam, mas criação de empregos em junho é pior em 8 anos

Mariana Lopes
Proprietários de bar acreditam que movimento da Copa do Mundo ajudou na criação de novos empregos (Foto: Marcelo Calazans)Proprietários de bar acreditam que movimento da Copa do Mundo ajudou na criação de novos empregos (Foto: Marcelo Calazans)

No mês passado, Mato Grosso do Sul criou 70 novas vagas no mercado de trabalho, o que representa 95% a menos do que o número registrado em junho de 2013. O dados, divulgados hoje pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), revelam o pior índice de geração de emprego desde 2006, quando foi registrada eliminação de 485 vagas no mercado de trabalho no mês de junho.

Veja Mais
Após segunda queda consecutiva, dólar fecha cotado a R$ 3,22
Dia das Crianças vai movimentar R$ 146 milhões com R$ 119 por presente

Ainda de acordo com dados do Caged, o setor que “salvou” a geração de empregos no Estado foi o de serviços, que gerou 649 empregos em junho. O setor de agropecuária também manteve um bom índice, com 263 novas vagas no mercado.

Para o empresário Pedro Paulo Nachif, proprietário do bar Baraúna, o crescimento no setor de serviços ocorreu por causa do período da Copa do Mundo, principalmente em bares e conveniências. Em pouco mais de três meses com o estabelecimento aberto, ele teve que dobrar o número de funcionários em junho, principalmente em dias de jogo da seleção brasileira.

“A gente colocou televisores aqui no bar para os clientes assistirem aos jogos e isso aumentou o movimento, e o atendimento pracisava corresponder à demanda, e acredito que foi isso que ocorreu em quase todos os bares da cidade”, destacou Pedro.

Piores índices - Junho foi o terceiro mês consecutivo que a queda maior de geração de empregos foi registrada no setor de construção de civil. Foram 438 vagas eliminadas do mercado de trabalho em Mato Grosso do Sul. Em maio deste ano, o setor fechou 672 vagas, e em abril foram 1.627.

Outro setor que também está com os números baixos é o comércio, que em junho apresentou um déficit de 106 vagas de empregos. Na indústria, o número foi ainda maior. Foram 394 pessoas que saíram do mercado de trabalho, o que colaborou para a baixa contratação resgistrada no mês passado.

Ainda conforme o Caged, Dourados liderou o ranking de contratação em Mato Grosso do Sul, encerrando junho com o saldo de 128 empregos criados na cidade. Em segundo lugar entre os municíupios do Estado está Coxim, que gerou 91 empregos no mês passado. E em terceiro, Naviraí, com 64 novas vagas no mercado de trabalho.

Campo Grande, que estava no topo da lista por dois meses seguidos, em junho ficou em 8º lugar no ranking de geração de empregos no Estado. A Capital fechou o mês passado com o saldo de apenas 10 vagas.

Após segunda queda consecutiva, dólar fecha cotado a R$ 3,22
O dólar comercial inverteu o movimento no final da tarde, após operar em alta durante quase toda a sessão. A moeda norte-americana fechou esta quarta...
Endividamento das famílias cresce e atinge 58,2%, mostra pesquisa
O endividamento das famílias brasileiras aumentou 0,2 ponto percentual de agosto para setembro deste ano, atingindo 58,2%. Apesar do ligeiro crescime...
Taxa de juros do cheque especial bate novo recorde: 321,1% ao ano
A taxa de juros do cheque especial subiu em agosto. De acordo com informações do Banco Central (BC), divulgados hoje (28), em Brasília, a taxa do che...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions