A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

02/05/2016 09:07

Setor industrial tem o 3º maior número de trabalhadores formais em MS

Renata Volpe Haddad
Conjunto de atividades industriais fechou 174 vagas em março. (Foto: Caged)Conjunto de atividades industriais fechou 174 vagas em março. (Foto: Caged)

O conjunto das atividades industriais de Mato Grosso do Sul composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, construção civil e de serviços de utilidade pública, fechou 174 vagas de emprego em março, mas encerrou o referido mês com 125.905 trabalhadores empregados, conforme o levantamento do Radar Industrial da Fiems.

Veja Mais
Indústrias terão incentivo maior para se instalarem em cidades pequenas
Com reajuste, indústrias do Estado gastarão R$ 24,7 milhões em energia elétrica

Com esse número, a indústria voltou a apresentar o 3º maior contingente de trabalhadores formais em Mato Grosso do Sul, respondendo por 19,6% de todo o emprego formal existente, ficando atrás de serviços, que emprega 190.806 trabalhadores e tem participação equivalente a 29,7%, e da administração pública, com 130.366 trabalhadores ou 20,3%.

Sobre o fechamento de vagas, no acumulado do ano o resultado indica abertura de 407 postos formais de trabalho e nos últimos 12 meses, são 8.628 vagas fechadas.

De acordo com o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, levando em consideração todos os setores da economia estadual, em março foram abertas 187 vagas, enquanto no acumulado de janeiro a março o resultado aponta a criação de 1.495 postos de trabalho. "Entretanto, nos últimos 12 meses, a situação é completamente diferente, com o fechamento de 11.597 vagas no mercado de trabalho".

O segmento de construção de edifícios contratou em três meses 618 funcionários. (Foto: Caged)O segmento de construção de edifícios contratou em três meses 618 funcionários. (Foto: Caged)

Saldo - De janeiro a março de 2016 no Estado, ao todo 85 atividades industriais apresentaram saldo de contratação com abertura de 2.524 vagas.

O destaque é para construção de edifícios que contratou 618 funcionários, seguido da construção de rodovias e ferrovias com geração de 363 vagas, abate de reses, exceto suínos que criou 186 postos de trabalho, obras de terraplenagem com saldo de 174 vagas, preservação do pescado e fabricação de produtos do pescado com105 vagas e obras para geração e distribuição de energia elétrica e para telecomunicações com contratação de 94 funcionários.

Fechamento - Por outro lado, no mesmo período, 103 atividades industriais fecharam 2.117 vagas, com destaque para fabricação de açúcar em bruto que demitiu 316 funcionários, fabricação de álcool com fechamento de 175 vagas, fabricação de produtos de pastas celulósicas, papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado não especificados anteriormente com demissão de 148 trabalhadores, montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas que desempregou 132 pessoas e obras de engenharia civil não especificadas anteriormente, com fechamento de 124 vagas.

Três Lagoas se destaca com saldo na contratação de 446 funcionários de janeiro a março. Água Clara contratou 226 pessoas no mesmo período, Aparecida do Taboado gerou 213 vagas de trabalho, Nova Andradina contratou 114 funcionários, Juti gerou 61 postos de trabalho, Mundo Novo 58 vagas e Angélica, 51 vagas.

Ainda no mesmo período, 28 municípios registraram saldo negativo, proporcionando a fechamento de 1.311 vagas. Rio Brilhante fechou 161 postos, Maracaju demitiu 149, Bataguassu fechou 145 vagas, Ponta Porã demitiu 123 funcionários, Eldorado fechou 119 vagas, Campo Grande demitiu 101 funcionários, Costa Rica com fechamento de 82 postos, Corumbá 66, Nova Alvorada do Sul demitiu 61 pessoas, Itaquiraí fechou 58 vagas e Aquidauana, 50 vagas a menos.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions