A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

09/02/2015 15:09

Sindicato culpa energia e salários para promover reajuste maior na gasolina

Governo federal autorizou aumento de R$ 0,22 por litro, mas repasse ao consumidor chegou a R$ 0,37 em MS

Caroline Maldonado
Reajuste dos impostos sobre a gasolina é de R$ 0,22, mas o consumidor sentiu uma diferença maior no bolso e preço chega a R$ 3,499 (Foto: Alcides Neto)Reajuste dos impostos sobre a gasolina é de R$ 0,22, mas o consumidor sentiu uma diferença maior no bolso e preço chega a R$ 3,499 (Foto: Alcides Neto)

Em vigor há uma semana, o reajuste do PIS (Programa de Integração Social) e da Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) sobre a gasolina é de R$ 0,22, mas o consumidor sentiu uma diferença maior no bolso. Em alguns postos de Campo Grande, o preço do litro, que antes girava em torno de R$ 3,123, chega agora a R$ 3,499, uma diferença de R$ 0,37. 

Veja Mais
Com aumento de impostos, gasolina sobe R$ 0,33 e é 5ª mais cara do país
Transportadoras pedem socorro ao governo para não parar atividades

Antes de reclamar dos preços estipulados pelos postos, no entanto, o consumidor deve lembrar do aumento da energia, que já impactou nos custos dos estabelecimentos, segundo o Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes de Mato Grosso do Sul).

“O aumento da energia já refletiu nos postos. O custo é altíssimo e, infelizmente, acaba sempre sobrando para o último elo da cadeia, que é o consumidor”, comenta o supervisor técnico do Sinpetro, Edson Lazaroto, ao lembrar que as bandeiras tarifarias, em vigor desde janeiro, já encareceram a energia. A taxa da bandeira vermelha é de R$ 3 a cada 100 KWh consumidos e passará a R$ 5,50, a partir de 1° de março. 

Segundo Edson, outro motivo para aumento do preço do combustível é o reajuste do dissídio coletivo do setor, que deverá ficar em torno de 6% ou 7%. “Ainda não está fechado o percentual, mas para não ter diferença cobrada lá na frente, os postos já somam o valor no preço do combustível”, justifica.

O supervisor destaca ainda o quanto o encarecimento do diesel, cujo o preço médio do litro aumentou R$ 0,21, pesa no preço final da gasolina. “O diesel é utilizado para o transporte da gasolina, por isso ela fica ainda mais cara. Isso, sem falar na alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que é calculada de acordo com a média de todo o Estado”, detalha Edson.

A redução do ICMS sobre o óleo diesel é uma das reivindicações dos transportadores que fizeram protesto na terça-feira (3), com paralisação de veículos ao longo de mais de 9 quilômetros na BR-163, na saída de Campo Grande para Cuiabá. O tributo é de 17% e eles pedem que passe a ser 12%, percentual praticado nos estados vizinhos a Mato Grosso do Sul.




Desculpas não faltam. E o aumento feito no final do ano passado, que supostamente era para cobrir os aumentos de custos? A verdade é que existe um cartel. Geralmente depois de 60 dias começam promoções, e vamos ver a gasolina sendo vendida a R$2,30, podem anotar. Até lá, os donos de postos enchem as burras.
 
Ricardo Farias em 09/02/2015 16:28:45
Parabens a todos os Petistas e aos não petistas que votaram na Dilma, conforme ela havia prometido, não subiu nada, nem gasolina, nem energia eletrica, nem salário, enfim, a Dilma é porreta, uma mulher que honra a palavra e nunca desaponta seus eleitores.
 
Max em 09/02/2015 16:19:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions