A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

02/06/2016 11:21

TCE aprova contas do governo de 2015, mas com ressalvas e recomendações

Corte Fiscal apontou superávit de R$ 1.042.705.946,78

Mayara Bueno
Conselheiros do TCE votaram contas do governo, referentes a 2015. (Foto: Divulgação TCE-MS)Conselheiros do TCE votaram contas do governo, referentes a 2015. (Foto: Divulgação TCE-MS)

O TCE-MS (Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul) aprovou o parecer favorável sobre as contas do governo do Estado, referente a 2015. O relatório prévio, aceito pelos conselheiros com ressalvas, observações e elogios na quarta-feira (1º), apontou superávit do governo de R$ 1.042.705.946,78, considerando a despesa liquidada de R$ 13.649.570.902,46. 

Veja Mais
Licitação para empresa cuidar do asfalto da Capital é suspensa pelo TCE
Prefeito é condenado pelo TCE e terá que devolver R$ 53 mil aos cofres públicos

Agora, o parecer deve será analisado pelo plenário da Corte Fiscal e, depois, encaminhado à Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, que também analisará o documento. O parecer foi elaborado pelo conselheiro Iran Coelho das Neves.

Segundo o documento, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), enviou o relatório no prazo previsto por lei e, embora tenham sido feitas ressalvas e recomendações, as contas do governo estão de acordo com “as exigências constitucionais e legais e se apresentam de forma clara e objetiva, demonstrando a exatidão dos atos e fatos contáveis ocorridos no exercício de 2015”. Às contas, foram emitidas 14 recomendações.

Em 2015, a arrecadação do governo apresentou R$ 14.692.276.849,24, equivalente a 109,25% da receita inicialmente prevista na LOA (Lei Orçamentária Anual), deduzidas a favor da Fundeb (Fundo de Nacional de Desenvolvimento da Educação). Também revela que as autorizações estabelecidas na Lei Orçamentária foram observadas, restando um saldo de dotação orçamentária de R$ 2.602.275.618,00.

As contas de 2015 ainda terminaram com um superávit de R$ 544.760.395,00, já que, da receita alcançada, a despesa empenhada foi de R$ 14.147.516.454,24. Ainda segundo o relatório, analisando de outro norte houve um superávit de R$ 1.042.705.946,78, considerando a despesa liquidada de R$ 13.649.570.902,46. Também houve diminuição no saldo da dívida.

Por outro lado, o Tribunal de Contas pediu ao governo a observação na Lei de Diretrizes sobre a exigência de normas sobre o controle de custos e avaliação dos resultados dos programas financiados com recursos dos orçamentos. Também pede o envio à Assembleia Legislativa de projeto que persigam a efetividade da arrecadação das receitas inscritas em Dívida Ativa.

Outra ressalva foi em relação às políticas públicas voltadas ao desenvolvimento de ensino científico e tecnológico. Ao Executivo Estadual, a solicitação é que aplique o limite mínimo obrigatório de 0,5% da receita tributária. Pede o mesmo, mas sem estabelecer índice, para a Defensoria Pública. A Corte Fiscal ainda recomenda a aplicação dos recursos destinados a ações e serviços públicos de saúde e os transferidos pela União para a mesma finalidade.

Licitação para empresa cuidar do asfalto da Capital é suspensa pelo TCE
A sessão pública para definir a empresa que se responsabilizará pela melhoria do asfalto em Campo Grande foi suspensa pelo TCE-MS (Tribunal de Contas...
Prefeito é condenado pelo TCE e terá que devolver R$ 53 mil aos cofres públicos
O Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul considerou irregular a contratação da empresa promotora de eventos para organização e realização do 1ª Fes...
MS vai receber missão técnica do Chile em frigoríficos de carne bovina
Inspeções federais de outros país no Brasil pode abrir novos mercados para exportação. Chile, Cuba e Bolívia já tem data marcada para suas missões e ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions