A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

27/06/2014 08:28

Transporte de cargas ficou 32% mais caro com interrupção de hidrovia

Caroline Maldonado
A hidrovia movimenta por mês até 1 milhão de toneladas de soja, milho, farelo de soja e celulose (Foto: Informativos dos Portos)A hidrovia movimenta por mês até 1 milhão de toneladas de soja, milho, farelo de soja e celulose (Foto: Informativos dos Portos)

A interrupção da navegação na hidrovia Tietê-Paraná, iniciada em 6 de maio, encareceu o transporte de cargas em 32%, que agora está sendo feito apenas por rodovias. A paralisação na hidrovia ocorre desde que as usinas de Três Irmãos e Ilha Solteira passaram a gerar mais energia, reduzindo o nível dos lagos, que são interligados pelo Canal Pereira Barreto.

Veja Mais
Hidrovia à deriva
Hidrovia Tietê/Paraná pode baratear custo de transporte no Bolsão de MS

A hidrovia movimenta por mês até 1 milhão de toneladas de soja, milho, farelo de soja e celulose. Preocupado com a retomada da navegação, o diretor da Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), Adalberto Tokarski, se reuniu com o secretário executivo, Anivaldo Vale, no Ministério dos Transportes, para debater o assunto.

Em seguida, o diretor da Antaq se reuniu com representantes do Ministério dos Transportes e Agência Nacional de Águas, mas ainda não foi encontrada uma solução para o empasse. “A preocupação da Diretoria da Antaq é com o uso múltiplo das águas”, afirmou Adalberto.

Segundo Adalberto, a agência pretende se reunir com outros órgãos do Governo Federal, representantes do setor elétrico e da iniciativa privada para resolver o problema, o mais rápido possível.

Prejuízos – Em 2001 ocorreu o mesmo problema que prejudicou o transporte dos produtos que são comercializados no país e também exportados, de acordo com o consultor de agronegócio, João Pedro Cuthi Dias.

Segundo João Pedro, uma indústria de celulose com instalação em Três Lagoas, recentemente, passou a usar a hidrovia Tietê-Paraná. “É uma pena que o Mato Grosso do Sul ainda não tenha acordado para a importância das hidrovias, porque é um meio muito mais eficiente no transporte de produtos”, destaca.

Hidrovia à deriva
A epígrafe tomei a liberdade de utilizá-la do excelente editorial de O Correio do Estado, na edição de 11 de fevereiro sobre o assoreamento do leito ...
Índice sobe 6% e Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas
Campo Grande tem 177 mil pessoas endividadas, sendo que 13% não terão condições de pagar suas contas. O índice medido pelo IPF/MS (Instituto de Pesqu...
MS vai receber missão técnica do Chile em frigoríficos de carne bovina
Inspeções federais de outros país no Brasil pode abrir novos mercados para exportação. Chile, Cuba e Bolívia já tem data marcada para suas missões e ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions