A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

19/06/2011 17:08

1° Concurso de Chamamé de MS resgata tradição, mas atrai poucos participantes

Paula Vitorino

Evento pretende divulgar e aproximar a cultura da população

Nove casais participaram do concurso. (Foto: Simão Nogueira)Nove casais participaram do concurso. (Foto: Simão Nogueira)

Pés riscando o salão e a sanfona tocando o melhor das músicas raízes. Nesse ritmo, nove casais participaram nesta tarde do 1° Concurso de Chamamé de MS, em Campo Grande. Apesar da dança animada, o número de participantes decepcionou a organização do evento, que inicialmente havia recebido 20 inscritos.

“Acreditamos que as pessoas ficaram inibidas de participar. Mas nosso objetivo era trazer justamente as pessoas iniciantes, que não são profissionais da dança”, explica um dos organizadores, Marcondes Moreira de Souza, de 63 anos.

Mas a iniciativa do Centro Cultural do Chamamé, segundo Marcondes, foi o primeiro passo para aumentar a divulgação da cultura do estilo e aproximar a música e a dança da população em geral.

Marcondes frisa que o maior objetivo é despertar no sul-mato-grossense a “paixão pelo Chamamé”.

Para os candidatos Zezinho Nantes, de 44 anos, e Kenia Candido, de 39 anos, o estilo está nos pés há cerca de 30 anos e é uma forma de expressão.

“Somos casados há 11 anos, mas o Chamamé já fazia parte da vida de cada um desde antes. Agora dançamos juntos e viajamos para acompanhar festivais da música”, conta Kenia.

Zezinho é músico e leva o estilo por onde passa, ajudando a divulgar a cultura.

Os ganhadores do concurso vão viajar para o Festival de Chamamé na Argentina, com todas as despesas pagas.

Dança - A proposta do Centro Cultural do Chamamé é oferecer aulas do estilo de dança aos interessados. De acordo com o fundador Orlando Rodrigues, de 68 anos, a dança é uma das prioridades do local, mas o espaço ainda deve passar por adequações para iniciar as aulas.

A dupla de professores de dança, Ivan Sousa e Dani Barilli, adiantaram que um estudo deverá ser feito para conservar características do Chamamé tradicional, mas aperfeiçoando ao estilo mais moderno.

O professor explica que muitos jovens acabam misturando estilos ao dançar o Chamamé e deixam de lado características próprias da dança.

“Os jovens misturam muito, colocam forró e outros passos de estilos diferentes”, diz.

Chamamé nasceu na Argentina e sanfona é característica da música. Chamamé nasceu na Argentina e sanfona é característica da música.

Chamamé - “O Chamamé é um estado de espírito, que faz parte da minha vida desde que nasci”, afirma o engenheiro agrônomo Jânio Fagundes Borges, de 51 anos.

Com o objetivo de difundir essa tradição, o Centro Cultural do Chamamé nasceu em 2009, em Campo Grande. De acordo com Orlando, o local também surgiu para unir as pessoas que gostavam do estilo.

“Percebi que tinha muita gente que gostava, mas não tinha aonde ir”, explica Orlando.

O espaço desenvolve atividades para preservar e divulgar a dança, música, gastronomia, declamação de poesias típicas e a língua Guarani.

O Chamamé nasceu na província de Corrientes, na Argentina e faz parte da cultura paraguaia também, como também foi incorporado aos costumes dos estados da fronteira do Brasil, como Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

Serviço: O O Centro Cultural do Chamamé fica na Rua Alfazemo, 33 – Chácara Cachoeira.

Prazo para inscrever atrações no Festival de Inverno de Bonito termina hoje
Termina nesta quinta-feira (3) o prazo para os interessados em inscrever atrações culturais para a 15ª edição do Festival de Inverno de Bonito. O eve...
Projeto "Um Violão Entre Amigos" traz concerto de violonista para Campo Grande
Para encerrar o projeto “Um Violão Entre Amigos”, patrocinado pelo FIC (Fundo de Investimentos Culturais), nesta sexta-feira (20) acontece o recital ...
Último dia de desfile do Grupo Especial no Rio tem homenagem a Zico e a Senna
No segundo dia de desfile das escolas de samba que integram o Grupo Especial, o público terá uma festa que inclui homenagens a dois esportistas consa...



O chamamé como foi dito, é um estado de espirito e o estilo tradicional(correntino) tem que ser difundido e preservado. A dança compassada e maliciosa ao estilo original é uma maravilha.

Parabéns pela iniciativa..
 
pedro mauro regenold em 14/11/2011 09:51:19
Parab'ens ao Grupo! Isto 'e maravilhoso! e Cultura!
Estive no dia 18 de junho, no Concurso, a convite da prof. Neida Reginoldi. Sou Psicologa, trabalho com a melhor idade.Amo chamame.
Penso que precisa ser melhor divulgaddo! Nesta 19 de junho nao sabia onde era, informaram-me que nao haveria porque fariam uma reuniao, e hoje busquei encontrar na internet, peguei o endereco, no proximo dia 19 estarei la.
Quero participar mais, contem comigo!
 
Antonia Santos da Silva em 30/07/2011 03:26:00
olha espero que isso nao acabe fui uns dos participante fiquei em segundo foi muito bom
isso nao pode deixar acabar acho que falat pessoas com mais intusiasmo capacidade conhecimento sei la que tenha tempo pra divulgacao propaganda e muito mais so nao teve mais gente por falta da organisaçao mais fico feliz e que tenha a proxima vez abraço a todo
 
marcos antonio de souza candido em 20/06/2011 11:32:41
eu acho que foi bem pouco divulgado esse evento, não fiquei sabendo, e quanto ao professor Ivan os jovens sim dança com varios tipo de ritmos que é o batidão pantaneiro e não a vanera ou vaneirão que é do sul como eles conhece como a maioria dos professores de dança de salão conhece bem pouco da dança regional eles o condena maneira de dançar poucos sabem que em meados de 1992 nascia o grupo musical uirapuru e que frenquentava os bailes era a mocada jovem e dai desse momento fomos criando o nosso estilo de dançar com varios sarandeios, que era proibido dançar no ctg o vaneirão com sarandeio que só existia no xote figurado, tem como exempro o grupo tradiçao que todo mundo conhece foi o primeiro grupo musical fazer sucesso nacional como o ritmo dançante vaneirão que é do rio grande era tocado por eles, tentaro trocar o nome para habanera para termos o nosso própio ritmo aqui no estado e tem o grupo zingaro que adotou o batidão pantaneiro, e como os estilo de musicas de hoje mudaram bastante os jovens daqui do estado tambem começaram criar o seu próprio estilo como la no rio grande do sul o forte é o vaneirão, aqui em campo grande além do chamame tem o batidão pantaneiro que é dançado com mistura de ritmos e muito sarandeio.gostaria que fizesse uma matéria nos bailes de campo grande pra mostrar a maneira como o pessoal do estado dança a batidão pantaneiro pode ser no clube união do sargentos todo domingo a noite a partir de 20:00 horas o clube é lotado da mocada baileira.
 
Luciano Foster em 20/06/2011 11:23:08
Em nosso estado tem muita gente q fazem de suas casas nos fins de semana assim como eu, palcos para curtir e apreciar esse ritmo. Aos organizadores devem promover mais esses encontros, que acredito q em pouco tempo ira reunir os mais tradicionais amantes dessa cultura, Parabens.

Grande Abraços

Carlos Ronaldo Davalo


 
carlos ronaldo davalo em 20/06/2011 09:08:14
Numa caminhada o mais importante é o primeiro passo, portanto senhor Marcondes apesar de poucos participantes não pode considerar que foi decepcionante, conforme divulgado nesta edição, o evento do primeiro concurso de chamamé em Campo Grande. O que valeu mesmo foi o fato de os organizadores terem essa brilhante iniciativa em despertar a comunidade sul-mato-grossense para que não deixem que outras culturas, sobretudo de cunho comercial, venha a afixiar a nossa dança que nasceu num compasso livre, na esponteidade de um povo simples que somente veio manifestar suas emoções e sua maneira peculiar de entretenimento.
Com certeza, o próximo concurso serão ensurdecedores os gritos de supucay, e assim reafirmando aquilo que sempre foi nosso e ficará para todas as gerações.

Edvald Miranda
Sul-mato-grossense e pantaneiro da nhecolândia.
 
edvald miranda silva em 20/06/2011 09:06:33
Parabéns aos organizadores deste concurso. Só gostaria que tivesse mais divulgação pois gostaria muito de ter ido a este evento, pois gosto muito de chamamé e do nossa música sul-matogrossense. Mas valeu assim mesmo. No próximo com certeza estarei lá.
Abraços
Luis Carlos Espíndola
 
Luis Carlos Espíndola em 20/06/2011 08:03:14
espero que que continue, pois eu gostaria muito de participar do proximo adoro chamame, acredito que se tivese sido mais divulgado teria mais participantes, gostaria muito de conhecer este local.
 
vilma muniz em 20/06/2011 07:59:32
Penso que esse evento tão imortante não foi divulgado .Sou uma admiradora do Chamamé. Poderia ter prestigiado o evento uma pena .
 
Marilda Menarin de LIma em 20/06/2011 07:37:58
Parabéns aos organizadores pela iniciativa. Fico feliz em saber que Campo Grande já tem um espaço destinado aos admiradores do chamamé. Temos que incentivar e divulgar isso. Temos que ter orgulho de nossa cultura. O chamamé pode ter nascido na Argentina, se expandido no Paraguai, mas em Mato Grosso do Sul ele tem muita tradição e não é de hoje.
 
Américo Coelho de Souza em 19/06/2011 08:36:56
Olá que tal.

Sou fã do rítimo Chamamé e dos músicos e das músicas de MS.

Parabéns pelo pela Casa do Centro de Cultura do Chamamé.

Acredito que os eventos farão muito sucesso assim que cair nas graças dos sulmatogrossenses.

Boa Sorte
Toninho Silvério
 
Antônio Silvério em 19/06/2011 06:14:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions