A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

11/06/2014 13:51

Grupos de teatro se mobilizam no Paço pela implantação do Sistema de Cultura

Paula Maciulevicius

Coletivos da Cultura de Campo Grande protestaram no final da manhã desta quarta-feira (11), em frente ao Paço Municipal, pela implantação do Sistema Municipal de Cultura. Na pauta de reclamações, o grupo também falou das demandas que carregam há anos, entre elas a abertura do Teatro do Paço.

Veja Mais
Escritor João Ubaldo Ribeiro morre aos 73 anos no Rio de Janeiro
Fundação abre inscrições para atrações de MS no Festival de Bonito

Segundo o coordenador do Colégio Setorial de Teatro, Anderson Lima, a promessa de uma emenda parlamentar de R$ 500 mil feita, ainda na gestão de Nelson Trad Filho, atravessou a troca de mandatos sem resposta, assim como o programa de reforma do Teatro, fechado há mais de 20 anos. “Fizemos um pré-projeto de reforma, saiu, entrou prefeito e ninguém soube dar resposta. Tem tempo essa promessa de sentar e conversar e não dá mais para esperar”, afirmou.

Os grupos relatam que já entregaram documentos à diretora-presidente Fundac (Fundação Municipal de Cultura), Juliana Zorzo, pedindo inclusive a melhoria dos cachês para as apresentações de teatro e a assinatura do Sistema. “Até hoje ele não foi assinado. Foi um sistema criado pela sociedade civil, na época do Athayde Nery como vereador, que engloba tudo o que é de cultura. A gente tem um plano pronto para ser efetivado e não pode esperar mais uma vez”, sustenta.

Representantes dos grupos Flor e Espinho, Maracangalha, Circo do Mato, Teatral Grupo de Risco, Unicórnio, entre outros, planejam um ato poético como manifestação a ser realizado uma vez por semana no Paço até que eles sejam atendidos.

O diretor do Teatro Maracangalha, Fernando Cruz, explica que o objetivo é avançar e ir para prática. “Queremos construir essa adequação juntos. O ato principal aqui é resolver a questão de orçamento e a assinatura do sistema. Para receber recurso federal, isso tem que estar assinado”, ressalta. Conforme Fernando a verba é estimada em R$ 30 milhões para as cidades que têm o Sistema na ativa. “Seria o 1% para a Cultura mais os R$ 30 milhões. Com isso dá para reformar o Paço e ainda fazer mil coisas dentro do plano”, completa.

Os coletivos foram atendidos pelo superintendente municipal de Comunicação, Edson Godoy, que agendou uma reunião com o prefeito Gilmar Olarte (PP) para a próxima quarta-feira (18), às 17h, no gabinete.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions