A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

15/12/2010 09:31

Meia-entrada agora contempla quem estuda para vestibular e concursos

Marta Ferreira

Alteração na lei estadual de 1992 foi sancionada hoje

Foto: João GarrigóFoto: João Garrigó

Foi sancionada hoje pelo governador André Puccinelli lei aprovada em novembro pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul estendendo o direito à meia-entrada em eventos culturais e esportivos aos estudantes de cursos preparatórios para o vestibular e para concursos públicos.

A alteração da lei estadual de 1992 sobre o assunto foi proposta pelos deputados Reinaldo Azambuja (PSDB) e Júnior Mochi (PMDB).

Conforme a legislação, o direito de pagar 50% em eventos culturais e esportivos vale para estudantes da educação básica; da educação de jovens e adultos; da educação técnica profissional; de alfabetização; dos cursos preparatórios para vestibulares e concursos públicos; e dos cursos de educação superior.

Neste caso, a regra vale para cursos tecnológicos e sequenciais de graduação e pós-graduação, desde que oficialmente reconhecidos.

Em relação ao tipo de evento em que a meia-entrada é permitida, a lei cita casas de diversão, de espetáculos teatrais, musicais e circenses, em cinemas, praças esportivas e similares das áreas de esporte.

Outras leis- O Diário Oficial de hoje também trouxe a sanção do governador à lei que altera a distribuição dos recursos entre os poderes, aprovada ontem.

Também foram sancionadas leis que inclui no Calendário Cívico e Cultural do Estado a Festa do Leite, realizada no mês de agosto em Nova Alvorada do Sul, a que declara de uilidade pública estadual o Cadri (Centro de Apoio a

Dependentes em Recuperação Integrado (CADRI), de Campo Grande) e ainda a que dá o mesmo título à a Associação Desafio Jovem Operação Resgate de Aparecida do Taboado.

Prazo para inscrever atrações no Festival de Inverno de Bonito termina hoje
Termina nesta quinta-feira (3) o prazo para os interessados em inscrever atrações culturais para a 15ª edição do Festival de Inverno de Bonito. O eve...
Projeto "Um Violão Entre Amigos" traz concerto de violonista para Campo Grande
Para encerrar o projeto “Um Violão Entre Amigos”, patrocinado pelo FIC (Fundo de Investimentos Culturais), nesta sexta-feira (20) acontece o recital ...
Último dia de desfile do Grupo Especial no Rio tem homenagem a Zico e a Senna
No segundo dia de desfile das escolas de samba que integram o Grupo Especial, o público terá uma festa que inclui homenagens a dois esportistas consa...



Não concordo com essa lei, o intuito original era dar acesso a jovens sem renda ou com baixa renda a eventos culturais... levar esse benefício a adultos formados que em tese ja devem estar trabalhando é ilógico, no fim oque vamos conseguir é apenas que o preço das entradas subam, porque agora praticamente todo mundo tem direito a meia entrada.

Não trabalho no setor, mas vejo claramente que tem coisa errada com essa lei.
 
Luiz Metello Jr.; em 16/12/2010 10:52:09
Perguntar não ofende: estudante de classe média alta, que anda de carrinho zero, viaja em todas as férias, precisa de meia-entrada??? A meia-entrada deveria ser um benefício SOCIAL, prá quem realmente precisa. Tem gente que mora em casa de R$ 1 milhão, anda de carro de luxo e usa a meia-entrada! O foco do benefício se perdeu totalmente!
 
Éder Yanaguita em 16/12/2010 10:42:33
Opino que deva haver reconhecimento à isonomia entre a classe estudantil, do ensino básico ao superior. O direito à meia entrada vem desde o tempo em que bastava apresentar o antigo "boletim", porém essa benesse foi desvirtuada em detrimento à má gestão de algumas agremiações de estudantes que promoveram uma verdadeira farra com a distribuição de carteirinhas. Por outo lado, acho injusto, vexatório e constrangedor ter que apresentar o boleto atual com mensalidade paga para poder ter o direito à meia entrada. Por ter sido acadêmico de pós-graduação no DF, utilizei-me dessa benesse incontáveis vezes, e muitas delas em outros estados, porém somente no meu amado MS é que acontece essa confusão. Espero que aconteça urgente a mudança de mentalidade, tanto da classe organizadora de eventos, como também dos "espertos", que utlizam de forma ilegal e ilícita, de uma benesse que nos foi dado, para que ocorra uma melhor gestão dessa meia entrada.
 
Lincoln Cortez em 16/12/2010 09:52:52
EM MUITAS INSTITUICOES ELES SE FAZEM DE BOBOS, E FAZEM NÓS ALUNOS DE BOBOS TBEM, E O CASO DA "ANHANGUERA" QUE POR SINAL E UMA DESORGANIZACAO NINGUEM SABE E NEM EXPLICA NADA.
 
Janaína Silva em 16/12/2010 09:00:15
Nanda mais justo ne??? afinal estudante é estudante.....Acho importante essa questao da carterinha para quem estuda para vestibular e concursos faz cursos tecnico mestrado pos graduaçao concerteza diminuira a falsificaçao,se nao podemos combatelas vamus unilas... ah,mais nao adianta ficar so no papel... por mais que é lei,deve ser cumprida
 
vanessa massako em 16/12/2010 08:17:27
muito bom mesmo....mais MURILLo, pra ter algo organizado tem q mostrar sim o boleto,se não vira igual cine campo grande,estadio,tudo estragado,te q ser sim meia,mais com rigor....tambem fiquei feliz1!!!
 
maria bens de figo em 15/12/2010 12:56:00
Que tal se a carteirinha tiver um "chip" no modelo daqueles de cartão de banco?... Creio que assim, carteirinhas falsificadas praticamente deixariam de existir. Cabe aí então um estudo, quanto aos valores e etc. Agora não adianta lançar em 2011 e começarem a troca-la em 2015.
 
Marcelo Max em 15/12/2010 12:12:00
Gostaria que os nobres Deputados autores da Lei que beneficia esta avalanche de carteiras também olhasse o lado do empresário que paga todos os impostos antecipados: ISS, ECAD, SEGURANÇA, SOM, ILUMINAÇÃO ETC... Para conseguir um patrocínio em Campo Grande é praticamente impossível. Por que as carteiras de estudantes não valem nas lojas do Shopping, ou da 14 de Julho? Para comprar um calça Jeans, ou uma sandália? É preciso rever tudo isso... Não há nenhum incentivo do Poder Público aos empresários do Esporte e Cultura. É fácil fazer sombre com o chapéu dos outros.
 
Ramão Duarte Cabreira em 15/12/2010 11:30:41
Muito bom e enquanto houver essa falsificação em massa de carteirinhas, sempre haverá o papelão ridículo de ter que mostrar o boleto da faculdade para pagar meia entrada do cinema. O único Cinemark do Brasil que solicita isso.
 
Murillo Yazbek em 15/12/2010 11:09:00
E quem faz curso pra concurso? Solicita declaração para a instituição de que está cursando? Falta um decreto municipal que regulamente essa lei, aliás, se alguém souber que número é esta lei ajudaria bastante! Obrigado!
 
João Andrioli em 15/12/2010 04:09:37
Estudante é estudante, seja aquele que esta na Universidade ou o que estuda para nela entrar, foi uma decisão justa que iguala, em direitos, todos os alunos. Falsificação existe em tudo, deve-se ter rigor com isso, justamente porque o dinheiro "roubado" por quem utiliza uma carteirinha falsa, seria, ou deveria ser, investido para melhorias e ampliações nos teatros, estádios, cinemas e em tudo o que se relaciona a Lazer, direito fundamental de todos.
 
Tiago Santi Grasel em 15/12/2010 02:13:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions