A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

31/01/2011 21:11

André quer resolver juridicamente situação de shows no Laucídio Coelho

João Humberto e Danúbia Burema
Governador quer que o impasse da realização ou não de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho seja resolvido em âmbito jurídico. (Foto: João Garrigó).Governador quer que o impasse da realização ou não de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho seja resolvido em âmbito jurídico. (Foto: João Garrigó).

Presente na solenidade de posse do prefeito de Chapadão do Sul, Jocelito Krug (PMDB), à presidência da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), o governador André Puccinelli (PMDB) disse que o que puder fazer para resolver o impasse da realização ou não de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho, fará. No entanto, ele quer que a situação seja resolvida em âmbito jurídico.

Na tarde de hoje, o governador se reuniu com sete promotores de evento, além do vereador de Campo Grande, Vanderlei Cabeludo (PMDB), na governadoria, para discutir uma alternativa ao problema. Também participaram do encontro o secretário de governo Osmar Jerônymo e a vice-governadora Simone Tebet (PMDB).

Puccinelli analisará a questão jurídica de todo o imbróglio nesta terça-feira. Mesmo assim ele mantém a posição de oferecer um terreno do governo para a realização das festas.

Em reunião realizada com os promotores, André sugeriu áreas do próprio estado em Campo Grande. Revelou ainda que o mais importante é encontrar a área, em parceria com o governo e prefeitura.

Para estar dentro das condições exigidas pelo MPE (Ministério Público Estadual), quanto à poluição sonora, o novo terreno deve estar localizado nas saídas do município.

Ação - Na sexta-feira, promotores de evento garantiram que vão recorrer da decisão, com uma ação paralela, para garantir, pelo menos, a realização dos eventos já agendados.

Entre os shows já marcados no Parque de Exposições Laucídio Coelho estão a primeira etapa do CLC (Circuito de Laço Cumprido), programado para a primeira semana de fevereiro; Maria Cecília e Rodolfo, previsto para 26 de março; Fernando e Sorocaba, agendado para 19 de abril, além das atrações musicais da Expogrande, que ocorre entre os dias 14 e 24 de abril.

Problema - O TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) suspendeu, na semana passada, sob pena de multa de R$ 100 mil, a realização de shows, eventos e rodeios no Laucídio Coelho.

A Acrissul (Associação de Criadores de Mato Grosso do Sul) alega que não tem recursos para bancar uma reforma acústica no Parque de Exposições. Do outro lado, a promotoria garante que a associação não foi pega de surpresa e que vinha sendo advertida sobre a necessidade das adequações desde outubro de 2008.

Prazo para inscrever atrações no Festival de Inverno de Bonito termina hoje
Termina nesta quinta-feira (3) o prazo para os interessados em inscrever atrações culturais para a 15ª edição do Festival de Inverno de Bonito. O eve...
Projeto "Um Violão Entre Amigos" traz concerto de violonista para Campo Grande
Para encerrar o projeto “Um Violão Entre Amigos”, patrocinado pelo FIC (Fundo de Investimentos Culturais), nesta sexta-feira (20) acontece o recital ...
Último dia de desfile do Grupo Especial no Rio tem homenagem a Zico e a Senna
No segundo dia de desfile das escolas de samba que integram o Grupo Especial, o público terá uma festa que inclui homenagens a dois esportistas consa...



CAMPO GRANDE JA NÃO TEM LOCAL EM QUE VOCÊ POSSA SAIR E SE DIVERTIR, COM ESSA DETERMINAÇÃO DO MP CAMPO GRANDE SERÁ UMA CIDADE ANÔNIMA, COM PESSOAS ESTRESSADAS SEM OPÇÕES E SEM NENHUM ATRATIVO TURISTICO, POIS SOMOS,HOJE, O BERÇO DA MUSICA SERTANEJA UNIVERSITARIA . E AGORA NEM A POPULAÇÃO LOCAL E NEM OS ARTISTAS PODERÃO EXPRESSAR SUAS VONTADES E QUALIDADES CULTURAIS. SEREMOS UM ZERO A ESQUERDA.
 
KAMILA VIEIRA DA SLVA em 02/02/2011 12:32:11
Acredito que quem é contra os shows provavelmente devem se pessoas de idade ou pessoas que são infelizes porque já passaram da idade de poder festejar e querem tirar a alegria de que gosta de sair para se divertir de maneira adequada. Infelizmente aqui na cidade não há outro lugar pra realização de show se for assim tem que cancelar o MS canta Brasil e a noite da seresta que estão muito mais no centro da cidade do que o parque quem determinou essa lei quer alguns minutos de fama você acha que com o poder que os promoters e a verba que circula com esses eventos algum ministério vai conseguir barrar os shows? eu duvido...
 
fernando palácio em 01/02/2011 12:14:11
O povo não quer so comida quer diversão e arte tambem... mais o povo tambem quer sossego, durmir tranquilo depois de um dia de trabalho duro, a saude mental é o maior investimento na qualidade de vida de qualquer cidadão, o direito ao sossego ao descanso a uma boa noite de sono NÃO TEM PREÇO... se querem fazer barulho vão fazer nos arredores da cidade lugar pra isso e que não falta e gente pra isso tambem...ora bolas..a justiça não vai voltar atras e a acrissul vai ter que cumprir a decisão judicial e ponto final ... agora se os administradores do parque estão acostumados a pertubação da ordem e do sossego, ja passou da hora e vão ter que cumprir SIM as determinação legais e zefini....
 
pereira junior em 01/02/2011 11:40:03
Cada vez que as opções de lazer e diversão diminuem, são criadas alternativas que nem sempre são viávies, como a aglomeração em conveniências, postos de combustíveis e no alto da avenida Afonso Pena.
Realmente um pena acabar com os shows no parque de exposições, por conta da tradição.
 
Rodrigo Alberto em 01/02/2011 11:00:18
É importante lembrar que a Expogrande é umas das cinco maiores feiras agropecuárias do país e as outras quatro não realizam shows há alguns anos. O importante é que a cidade tenha um lugar adequado para este tipo de evento, nas saídas da cidade pode tornar o evento elitista (por causa do acesso) e perigoso (vai exigir muito policiamento na br e na ruas) o parque de exposições miniminiza os problemas por ser central, por isso deve ser mesmo o melhor lugar.
 
Renata Bresser em 01/02/2011 10:49:09
O que eu diria disso atudo ja foi muito bem dito e falado pelo Roberto Manveiler Munhoz, o qual epço licença para fazar da palavras dele, as minhas. em sua totalidade. É isso ! E a cidade continua a mesma coisa , se definhando , ... ruas desintegrando,, verdade,,,olhe em volta, e veja antes de tentar se explicar...vamos nessa ! valeu !
 
Edmundo de Hungria Cruz em 01/02/2011 10:28:40
Acho acertada a decisão judicial que suspendeu a realização de "shows" nas dependências do Parque de Exposições. Aquele recinto não é destinado a eventos que não sejam ligados às suas finalidades específicas: exposições de produtos agropecuários e negócios com equipamentos e máquinária agrícola, etc. Espaço para eventos artísticos devem ser alocados por conta do Poder Público, com a observância da legislação ambiental, a fim de se evitar trastornos aos cidadãos que moram nas imediações. Lembro, por ex., que na gestão do falecido José Tavares do Couto tais eventos foram suprimidos no Parque, atitude que foi muito elogiada na época.
 
ASCARIO NANTES em 01/02/2011 10:21:59
Lembrar que não tem nada a ver com a cultura? O Parque de Exposição pode ser feito em outro lugar e a tradição continuar como foi o caso da feira central que ninguém queria que mudasse de lugar (hoje é o point) a história e cultura da comida da feira foi mantida, eu não ia por causa dos malandros que queriam cuidar os carros e dos exploradores de estacionamento, hoje vou duas vezes por semana na feira.
Não vou a exposição e nem a shows porque é uma bagunça ali, será que um lugar estruturado não levaria mais pessoas?.
A estrutura da acrissul já está ultrapassada está na hora de vender para construir mais casa (acho que é isto que está fazendo este vukovuko), acho até que já está vendido para isto.
A cidade tem que trazer qualidade de vida aos moradores, se uma indistria que produz cheiro não pode ficar dentro de determinados bairros, porque o que produz som auto tem que estar?
 
Jorge Antônio Dias em 01/02/2011 10:11:30
Nossa há quanto tempo o parque faz atrações musicais ali? agora por causa de alguns todos tem q pagar,achu q deveria ser conversado isso c/ a população toda de campo grande,ñ achu certo, pois se fosse todo dia seria uma coisa agora tem atrações la de vez em quando uma sexta ou sabado tem vez q tem meses q ñ tem na da la. é um absurdo isso.
 
Lohaynne Paz em 01/02/2011 10:10:39
Tem que acabar com esta barulheira toda e achar um local adequado para o Parque em local afastado do centro.
 
valter antunes em 01/02/2011 10:06:30
Na verdade a emprensa ou não descobriu ou não quer falar q a verdadeira causa para a proibição de shows não é por respeito a moradores q moram ali a mais de 70 anos mas sim porque o terreno q fica na frente do parque q era p a Acrissul comprar e não teve condições vai virar um condomínio p quase mil pessoas morarem, então alguém já esta mechendo os pauzinhos p não encomodar os próximos moradores.
 
Karin Dantas em 01/02/2011 10:02:49
Tem que mudar sim de local, Campo Grande não é mais aquela cidade pacata
 
José Ferreira Rosa em 01/02/2011 09:56:56
Acabar com a cultura do estado? Qual o entendimento do que seja "cultura"? O que está ocorrendo é um favor para a sociedade. A indústria da "cultura de massa" se apossa de certos lugares (de utilidade pública, mas nas mãos de associações privadas e SEM FINS LUCRATIVOS, como DEVERIA ser a ACRISUL), lucram milhões e não repassam nenhum retorno para a sociedade que banca a maioria dos gastos. O local não está mais adequado para o uso, existem estudos sobre a péssima acústica do local, mal distribuição dos espaços para os vendedores ambulantes e outros fatores que deixam o local em péssimo estado. Devem cobrar sim um espaço adequado! A ACRISUL o os senhores promotores de eventos não conseguem bancar as adequações? Se conseguem bancar as multas não conseguem estruturar o local? Meu povo, ACORDEM! O poder público está tentando acabar com a farra desses mercenários... Só isso!
 
caciano lima em 01/02/2011 09:48:43
Eu pergunto os estilos Axé Music, Bossa Nova, Forró, Frevo, Hip Hop, M P B, Pagode Baiano, Pagode Romântico, Pop Rock, Pop Romântico, Reggae, Funk, Rock, Romantico, Samba e Sertanejo dentre tantos outros “È CULTURA”? Na minha humilde opinião SIM. TEM QUENTE QUE GOSTA E OUTRAS NÂO, não cabe a ninguém questionar uns o gosto dos outros, tem quente que gosta de jiló outros de morango. Se aplicarmos o mesmo entendimento do MPE em outros Estados vamos acabar com o carnaval da Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo, além das festas juninas existentes e a festa de Parintins.
Outro detalhe a quanto tempo existe o Parque de Exposições? A população desconhecia a existência das festas ali realizadas a décadas?
“Para pensar e refletir”, quantos estão sendo beneficiados e quantos prejudicados? Se alguém puder responder teremos uma decisão final. Que seja feita a vontade do povo para o nosso povo.
 
Paulo Sérgio em 01/02/2011 09:36:36
Ninguem é contra os shows, mas é necessário cumprir a lei ambiental e controlar a poluição sonora causada, pois o barulho causa grandes transtornos aos cidadãos que moram nas imediações do parque. Os promotores do evento tem o direito de terem lucros, mas os moradores proximos ao parque também tem direito de terem noites tranquilas, principalmente as crianças que precisam ter um sono adequado.
 
Marcelo Melo em 01/02/2011 08:53:07
Realmente é uma situação a ser bem definida...não dá para imaginar um parque de exposições agropecuária que não se pode realizar rodeios e shows!! Deve então a ACRISSUL conseguir uma linha de financiamento especial para que possa realizar suas atividades dentro da lei, respeitando o direito de todos!!! Shows são muito lucrativos, é difícel acreditar que esse investimento não dê retorno!!! Outra opção seria o governo estadual e a bancada federal buscar recursos no governo federal para viabilizar uma área para esses shows...quem sabe a reforma e adequação do "morenão" não seja uma alternativa, pois o mesmo está sendo subutilizado, poderíamos ali realizar reformas e modernização que levassem o público inclusive para os jogos de futebol. Além do mais, por se tratar da UFMS, acredito que investimentos do governo federal seriam totalmente possíveis...vamos se movimentar senhores políticos...só falta essa agora...a capital de nosso estado sem...copa...show...rodeio...atrativos culturais....
 
laercio souza em 01/02/2011 08:17:23
finalmente alguem de bom senso resolveu por um fim a bagunça generalizada que havia no parque laucidio coelho, a exposição tem que ser removida dali para um outro local mais adequado, onde não atrapalhe ninguem, oferecendo mais conforto ao frequentadores, no atual local nada disso é oferecido, a cidade cresceu e o referido local já não comporta todos os frequentadores.
 
Onivaldo Benevides Alçamendia em 01/02/2011 08:15:02
Fico indignado qd ao ler os comentários verifico a defesa da cultura em C.Grande, será q/ essas músicas pseudo- sertanejas com letras extremamente melosas e locução de rodeio podem realmente ser considerado CULTURA? Na minha opinião não passam de um atentado ao bom gosto.Será um beneficio p/a população a anulação desses shows q/ já estavam marcados. Eu acredito q/as pessoas merecem sossego.Nenhuma criatura por pior q/ seja merece a tortura de ouvir noite adentro esses showzinhos cafonas nem muito menos a voz neurótica dos locutores de rodeio. Esse tipo de festa apenas disseminam a ignorância e mediocridade popular.
 
ROMILDO FAGUNDES em 01/02/2011 05:18:57
Nossos shows feitos no parque de exposições Laucidio Coelho que fazem parte da "cultura" em grandes feiras agropecuarias, se tornaram um reduto de estultos, que não prezam a propria segurança e bem estar, acreditando que estão sendo banhados de cultura, esta cultura que enche o bolso dos promoters, muito bem então por que não pagam os ingressos e ficam em casa mesmo, afinal qual a diferença? Estão sendo chamados de tolos ao acreditar que lá se vende cultura, e volto a dizer "enchendo os bolsos de poucos" talvez um pouco de lazer esse que deverá ser bem melhor se exigirmos mais, para valorizar o suor do trabalho, para que consegamos ir uma vez ou outra a um parque de exposições assistir um show, que atualmente e lotado, sem estrutura e com uma segurança duvidosa por que dentro tudo do show tudo bem mas aos redores e cada um por si!
 
Marcos Elorza em 01/02/2011 04:49:43
As pessoas precisam entender que a cidade cresceu e precisa urgentemente se adequar a essa nova realidade.
As tradições mudam. Vejam o exemplo citado da feira central.
De outro lado, as novas tradições (conveniências, postos de combustíveis, shows dos "sertanojos", etc) precisam ser coibidos em áreas residenciais em respeito a toda a população.
O respeito pelo próximo está acabando ao argumento de que esses eventos sejam cultura.
Portanto, a cultura está acabando também.
 
ricardo rodrigues em 01/02/2011 04:20:23
Peço aos leitores que são contra a decisão que proibe os shows na Acrisul que se coloquem no lugar dos moradores da região... Moro no São Bento e sempre que tem show lá eu o ouço com excelente qualidade. Fico pensando quem mora nas proximidades... Além que ter que conviver com a sujeira que fica frente suas residências não conseguem dormir durante e depois dos shows, pois vários filhinhos e filhinhas de papai ficam badernando nas proximidades do local... Tem que proibir sim e não apenas ali, mas fechar certas conveniências que ficam abertas 24 horas em área residênciais, como no caso da BRALAR da rua Sebastião Lima, 709... De segunda a segunda só tem VAGABUNDO fazendo arruaça com som alto, cavalos de pau e gritarias em frente de residências... Um ABSURDO! Sem contar que o estabelecimento não possue nem alvará especial e as autoridades competentes (Prefeitura/DEOPS/PM/CIOPS) tem conhecimento disto e nada fazem. Pq será hein?
 
Ramiro Corrêa em 01/02/2011 04:11:01
E a população não tem que ser ouvida também?
Acabar com a cultura do nosso Estado parece o principal objetivo de certas autoridades.
O Parque de Exposições está lá faz 73 anos, será que alguém mora lá a tanto tempo assim?
Já foi proibido realizar show na ACQM... Estão acabando com os bares musicais da nossa cidade com a alegação de Poluição Sonora...
Isso é defender os interesses do povo, gerando cultura ou é guerra de poder?
Lembrem-se, o povo sempre em primeiro lugar. (Se bem que nem o nosso povo se lembra disso.)
 
Roberto Manvailer Munhoz em 01/02/2011 02:11:53
tem que fazer os shows bem longe para não atrapalhar o descanso de quem vai trabalhar no dis seguinte, arruma uma área perto lá perto do autodromo, ou proximo a Sidrolandia.
 
hilibio moreira em 01/02/2011 01:47:46
Para béns! ao Minsitério Público Estadual, o local foi apropriado para os shows milionários das bandas. Deturparam o espaço. Sim, o local é para a feira dos agricultores e pecuaristas, assuntos relativos a produção, trocas de tecnologias, negócios das atividades agropecuária, hortifrutigranjeiro, sementes, embriões, etc....Além de estar em local residencial, merece a lei do silêncio. Respeito a cidadania e a qualidade de vida é o que nós merecemos.

Humberto
 
Humberto de Alencar em 01/02/2011 01:00:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions