A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

08/02/2011 09:37

Votação na Câmara é tudo ou nada para Expogrande, dizem promotores

Galeria de Fotos

Angela Kempfer
Foto: João Garrigó.Foto: João Garrigó.

Votação na Câmara é tudo ou nada para Expogrande, dizem promotores

Grupo de 15 pessoas com camisetas da Expogrande 2011 chegou cedo à Câmara Municipal de Campo Grande na manhã de hoje. O dia será de votação de projeto que altera a Lei do Silêncio.

Diretores do Parque de Exposições Laucídio Coelho e organizadores de eventos querem inserir a feira no calendário de festas que estão imunes as regras fixadas pela lei que regula a realização de shows.

Além dos representantes da Expogrande, cerca de 20 promotores culturais também estão no plenário para acompanhar as discussões.

O projeto, do vereador Carlos Borges, o Carlão, foi apresentado na semana passada, a pedido da Acrissul. A proposta surgiu depois que a Justiça proibiu a realização de shows no Parque de exposições, por conta do barulho e transtornos para os moradores da região, que há anos reclamam do problema.

Hoje, a Lei do Silêncio já coloca como exceção as regras o Carnaval na Via Morena, a festa junina da prefeitura e o réveillon.

Os promotores e diretores da Acrissul querem que a Expogrande seja inserida nesta lista, para que os shows sejam garantidos, pelo menos, durante a feira agropecuária, que é tradição do Estado.

“Acredito na alteração porque as leis devem ir de encontro com a opinião pública. As leis são criadas sob influencia da cultura e da tradição. Deste modo, sei que a Câmara vai alterar a lei”, comenta o presidente da Acrissul, Francisco Maia. “Campo Grande não tem espaço de lazer ou os jovens a possibilidade de viajar para São Paulo para assistir shows”, acrescenta.

Cristiano Sanite, o promotor cultural Titi, também sai em defesa do projeto de lei que insere a Expogrande no calendário especial. A justificativa dele é econômica, lembrando também da renda informal gerada a dezenas de trabalhadores que vendem produtos ao público que vai á feira pelos shows. “É um opção de lazer para todas as faixas etárias”, comentou.

Valter Júnior, que já promoveu shows como de Ivete Sangalo, avalia como inviável a substituição do Parque de Exposições pelo Morenão, alternativa levantada por outros promotores. “É muito mais caro. Lá, tem todo o gasto com a estrutura para preservar o gramado. O custo é 3 vezes maior “, reclama. (Colaboração de Ítalo Milhomem)

Prazo para inscrever atrações no Festival de Inverno de Bonito termina hoje
Termina nesta quinta-feira (3) o prazo para os interessados em inscrever atrações culturais para a 15ª edição do Festival de Inverno de Bonito. O eve...
Projeto "Um Violão Entre Amigos" traz concerto de violonista para Campo Grande
Para encerrar o projeto “Um Violão Entre Amigos”, patrocinado pelo FIC (Fundo de Investimentos Culturais), nesta sexta-feira (20) acontece o recital ...
Último dia de desfile do Grupo Especial no Rio tem homenagem a Zico e a Senna
No segundo dia de desfile das escolas de samba que integram o Grupo Especial, o público terá uma festa que inclui homenagens a dois esportistas consa...



Não Silvia!
O que se faz necessário é um espaço realmente pra shows com conforto e segurança. Não um "descampado" pra colocar gente, que se chove enche de barro e quando se vai embora dele corre-se o risco de tomar um tiro ou ser assaltado por marginais.
Já parou pra ver que esse lugar é o único lugar pra se fazer shows em CG?
Porque os promotores não se mobilizam para fazer um espaço confortável e que seja humanamente digno para uma pessoa ir?
Ser rústico nem sempre significa ser relaxado...
 
Antônio Marcos Alencar em 09/02/2011 10:27:41
Acho que devemos respeitar o direito do nosso visinho, mas tb estamos acostumada com as musicas lindas que tocam naquele lugar que e tradicional......ja nao temos mais exposicoes como antigamente, e se for sem show ai sim vai acabar de vez a graca. a cada ano que se passa a sociedade quer mudar o que temos de melhor n nossa cultura, muito triste querer medir forca, de poder uma pena. que prevalessa o que for melhor para campo grande.
 
zuliney acosta em 09/02/2011 04:30:37
O mais estranho em tudo isso é que , na chuva do dia 06 de janeiro, NENHUM VEREADOR foi ver de perto os estragos que ocorreram na mesma comunidade que sofre com a bagunça gerada pelos shows no parque. Agora, quando 2 dúzias de "empresários" chiam, aí quase toda a câmara se mobiliza, inclusive buscando ajuda do governador. E tem vereador que usa o bordão de "amigo do povo". Sabemos agora de que povo é amigo: do povo do DINHEIRO! A verdade é que o parque de exposições tem que sair da área, e mudar-se para uma área no entorno de Campo Grande. A Feirona mudou, e ficou muito melhor. Campo Grande cresceu muito e, a realidade de 20 anos atrás está bem ultrapassada. Usar desculpinhas esfarrapadas para beneficiar os bolsos dos "Senhores da Noite", é no mínimo IMORAL!
 
adalberto rebelo em 08/02/2011 11:50:20
Não tenho dúvidas que, mais uma vez, vai vencer a força dos poderosos e tudo vai se ajeitar...
O sossego dos moradores que se dane!
Até quando?
 
Edson Trombine Leite em 08/02/2011 11:16:12
Quantos anos ja realizam os eventos naquele lugar? pra que mudar agora?... Os incomodados que se retirem.....
 
Silvia Suzuki em 08/02/2011 05:23:01
Gostaria de saber o nome dos vereadores desta comissão Pró-Shows que quer alterar a lei do Silêncio.
Na próxima eleição vou fazer campanha contra cada um deles.
 
Antônio Marcos Alencar em 08/02/2011 01:13:26
Parabéns pela lei do Silêncio, é uma vergonha querer dormir durante a noite e o barulho comendo solto, isso tem que seraplicado em toda a cidade, aqui onde eu moro existe um grupo de mototaxistas que todos os dias a partir das 22:00h, resolvem reunir uns amigos e ficam a noite inteira com um carro com som alto, ligamos para a policia e nada, sempre é a mesma desculpa não temos viatura, recentemente liguei para a policia e não vieram ao sair para levar meu pai no posto de saúde que passou mal com tanto barulho estavam duas viaturas passeando pelo bairro e nada de coibir a zona.

Portanto, silêncio, vamos respeitar o direito do próximo.
 
José Carlos Silva em 08/02/2011 01:12:28
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions