A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

16/11/2016 14:16

Pela natação, Gabriela abre mão de festa e viagem pela Europa

Amanda Bogo
Gabriela posa ao lado de troféus e medalhas conquistadas desde os nove anos de idade (Foto: Arquivo Pessoal)Gabriela posa ao lado de troféus e medalhas conquistadas desde os nove anos de idade (Foto: Arquivo Pessoal)

Para muitas garotas, comemorar o 15º aniversário é um símbolo de passagem, que merece uma grande festa que reuna amigos, familiares, uma valsa, um momento especial. Para Gabriela Cardoso, 15 anos, competir em um campeonato nacional e representar Mato Grosso do Sul foi mais importante.  

Veja Mais
Competindo desde os 9 anos, Gabriela coleciona 170 medalhas e recordes
Corinthians vira o jogo sobre o Flamengo e está na semifinal da Copinha

Competindo desde os nove anos de idade, a preparação para participar da etapa voltava para atletas com idade entre 15 e 17 anos dos Jogos Escolares da Juventude começou cedo, quando participou da fase de Campo Grande e venceu. Em seguida, avançou para o Estadual onde garantiu a vaga para estar em João Pessoa (PB) em novembro.

O que a adolescente não contava era que a prova seria realizada na mesma semana da comemoração do aniversário de 15 anos. “Estava vendo os detalhes da festa com meus pais, escolhendo o tema quando meu pai sugeriu que eu fizesse uma viagem de uma semana para a Europa. Em meio a indecisão descobri que o Jogos Escolares seriam na mesma semana do meu aniversário”, contou Gabriela.

Gabriela saiu com os colegas de delegação após a prova para comemorar o aniversário (Foto: Arquivo Pessoal)Gabriela saiu com os colegas de delegação após a prova para comemorar o aniversário (Foto: Arquivo Pessoal)

A data não passou em branco. Junto com os amigos da delegação de natação, Gabriela foi comemorar os quinze anos passeando por João Pessoa. “Fizeram uma surpresa para mim. Como a competição foi em uma cidade bonita, consegui aproveitar um pouco de tudo. Valeu a pena tudo. O meu presente foi a minha medalha, foi o presente que eu me dei”.

Questionada pelos pais sobre o que ela decidiu fazer, a nadadora foi enfática ao dizer que iria competir. “Meu pai perguntou se eu queria ficar e eu disse que não compensava. Não valia a pena treinar o ano inteiro e chegar no dia e não poder competir”.

Com a medalha de bronze garantida na competição, Gabriela diz não ter nenhum arrependimento de sua decisão. Ela ficou com o terceiro lugar na final dos 100 metros livre. “Fiz uma das minhas melhores provas. Como treinei muito, não estava totalmente descansada, então me surpreendi com o resultado que tive na competição”.

Treinos - A rotina de treino de Gabriela, que tem mais de 170 medalhas e coleciona recordes, começa na segunda-feira e só termina no sábado de cada semana. Ao todo, são três horas e meia por dia de treinos. “Agora estou no período de dobra três vezes por semana. Saio da escola, vou para o treino e depois almoço. De lá vou para casa estudar, e volto para o treino da noite. Saio da piscina e vou para a academia”.

Gabriela (de branco) no pódio ao lado das adversárias da final (Foto: Arquivo Pessoal)Gabriela (de branco) no pódio ao lado das adversárias da final (Foto: Arquivo Pessoal)
Corinthians vira o jogo sobre o Flamengo e está na semifinal da Copinha
Na reedição da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2016, o Corinthians se vingou do Flamengo e venceu o rival carioca por 2 a 1, de virada, na noite ...
Corumbaense e União ABC jogam pelo troféu Clévis Curvo no sábado
Corumbaense e União ABC jogam no sábado (21), às 17 horas, no estádio Arthur Marinho, em Corumbá, pelo torneio Clévis Curvo. A oportunidade é uma pre...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions