A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


29/10/2016 07:00

Passagem de ônibus não vai aumentar, mas vai subir

Waldemar Gonçalves

Não aumenta, mas sobe – Não vai aumentar, mas vai subir. É mais ou menos esta a explicação da Prefeitura em relação ao preço da tarifa do transporte coletivo. Ou seja, a passagem não terá aumento real, mas será reajustada dentro dos percentuais da inflação.

Em novembro – A confirmação vem da Agereg (Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos Delegados). O índice, no entanto, ainda não foi fechado, mas a presidente da agência, Ritva Vieira, afirma que a definição deve ocorrer até 11 de novembro.

Percentual – Atualmente, a passagem custa R$ 3,25 e poderá sofrer reajuste de até 8,78%, se for levado em conta o percentual correspondente à inflação acumulada no ano, calculado pelo IPCA-E (Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial) e divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Viagem monitorada – De tornozeleiras eletrônicas, Gilmar e Andreia Olarte devem viajar para São Paulo (SP). A defesa do casal pediu autorização à Justiça para que eles pudessem sair de Campo Grande rumo a uma reunião de trabalho.

Novos investimentos? – Ao que tudo indica, os dois estão investindo na Casa da Esteticista, loja localizada no Centro de Campo Grande. Os advogados informaram ao juiz que o casal tem um encontro com o representante de uma indústria de cosméticos.

Mudança de data – A viagem seria nesta sexta-feira (28) e estava autorizada. Mas, segundo a defesa, a reunião foi remarcada para o dia 7. Agora, falta o juiz Roberto Ferreira Fialho Filho autorizar a saída em nova data.

Denúncias na web – De 16 de agosto até esta sexta-feira (28), o TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) recebeu pelo Web Denúncia, 1.089 reclamações sobre crimes eleitorais, média de 14 por dia. Compra de voto é a principal reclamação.

Sem ‘timing’ – Mesmo com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, prometendo que revogará exigência de que casas subsidiadas pelo Minha Casa, Minha Vida sejam construídas somente em ruas já asfaltadas, a Câmara Municipal de Campo Grande vai realizar, na próxima sexta-feira (04), audiência pública para discutir a portaria com a restrição, datada de maio.

Protesto – A audiência foi marcada na terça-feira (25), quando houve protesto de profissionais da construção civil no plenário da casa. O coordenador da manifestação falou no plenário a convite do vereador Herculano Borges (SD), que não poderá estar presente na audiência.

Nobreza – Ao informar que estará ausente devido a compromissos com o partido, o presidente da casa, vereador João Rocha (PSDB), disse que Herculano agia com a “nobreza de um verdadeiro homem público”, pois poderia sugerir mudança na data do compromisso.

(com Leonardo Rocha, Richelieu de Carlo e Mayara Bueno)

Reforma do governo começa a sair do papel hoje
Mudanças - A população conhece hoje, os detalhes da reforma administrativa que será realizada pelo governo do Estado. As mudanças em incentivos fisca...
Pedem de tudo ao prefeito, até para dar recado ao vizinho
Prefeito na rua – O campo-grandense já sabe que o prefeito Marquinhos Trad (PSD) dedica parte do tempo na rua, vistoriando obras. E tem gente que and...
Tanta coisa da cidade para falar e eles discutem sobre o Lula
Harmonia? – A tão esperada harmonia entre os vereadores da Câmara Municipal teve seu primeiro abalo já na primeira sessão ordinária do ano, ontem. Ay...
'Bug no sistema' em cabide de emprego da Prefeitura
Cabides – A Prefeitura de Campo Grande está mirando em um possível cabide de empregos no Proinc, programa que dá um salário mínimo por até dois anos ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions