A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 21 de Janeiro de 2017

27/09/2014 07:35

A casa em que, a cada ano, um João-de-Barro resolve erguer morada

Paula Maciulevicius
Há uma década, o imóvel foi erguido para ser residência do casal de advogados, junto com eles, ano a ano, os passarinhos também fizeram morada.(Foto: Marcos Ermínio)Há uma década, o imóvel foi erguido para ser residência do casal de advogados, junto com eles, ano a ano, os passarinhos também fizeram morada.(Foto: Marcos Ermínio)

A casa tem lareira, piscina de biribol, academia e muito verde, mas o charme todo não está no tamanho e nem na exuberância, e sim, na escolha dos Joões-de-Barro em fazer dali um lar. Há uma década, o imóvel foi erguido para ser residência do casal de advogados Wilson Vieira Loubet e Fabíola Mangieri Pithan, junto com eles, ano a ano, os passarinhos também fizeram morada.

Em um condomínio fechado na região do Carandá Bosque, em Campo Grande, a casa segue o estilo colonial, com muita madeira, tons claros e com plantas e flores que fazem do jardim um convite para as pequenas aves. "Quando a gente casou, começamos a construir. No primeiro ano eles fizeram uma casa. Estamos indo para 11 anos aqui e eles estão construindo a 11ª", conta Wilson. 

Casa tem janelas em estilo colonial e lareira na sala. (Foto: Marcos Ermínio)Casa tem janelas em estilo colonial e lareira na sala. (Foto: Marcos Ermínio)
Mas a graça fica por conta da simplicidade do aconchego dos pássaros. (Foto: Marcos Ermínio)Mas a graça fica por conta da simplicidade do aconchego dos pássaros. (Foto: Marcos Ermínio)

Interessante aos olhos de quem mora, sinal de aconchego diante de quem vê a cena. Os Joões-de-Barro constroem suas casas nas vigas de madeira na fachada da casa. Arquitetos por natureza, cinco delas são acima, na varanda do quarto do casal e o restante está abaixo, na estrutura da garagem. "O interessante é que a cada ano eles constroem uma para o filho, o neto, o sobrinho", brinca.

A esposa tem de cabeça à época em que a construção começa a se erguer. "É sempre no Inverno, eles colocam um pouco de terra e em setembro a subir a casa, às vezes termina em outubro, novembro e chega até dezembro. Eles também fazem reforma", pontua Fabíola.

Um dos pedidos do casal para a arquiteta responsável pelo projeto era ter muito verde e a piscina de biribol. Exigências atendidas prontamente que deixaram a casa a cara dos donos e um abrigo para os visitantes. "Os passarinhos começam a vir aqui, fazer ninho. Fizemos essas casinhas para os canarinhos. De manhã cedo, a gente acorda e está cheio de sabiá".

Para os canarinhos, casal fez casinha no quintal. (Foto: Marcos Ermínio)Para os canarinhos, casal fez casinha no quintal. (Foto: Marcos Ermínio)
Pergolado, muito verde e parquinhos dão ares de família ao ambiente. (Foto: Marcos Ermínio)Pergolado, muito verde e parquinhos dão ares de família ao ambiente. (Foto: Marcos Ermínio)

Wilson fala que a ideia do estilo colonial foi dele e da esposa, mesmo sabendo dos prós e contras. "Não é muito um esilo para um clima tropical, mas a gente queria e deu certo". A lareira é o destaque da sala, em tijolinhos e mármore, compõem o cenário colonial ao lado das janelas. Este ano ela já foi ligada duas vezes, por ser prioridade aos donos.

"Quando tem um Inverno, a gente acende a lareira. Cancela tudo o que tiver na agenda, qualquer coisa, para vir para casa, acender e tomar um vinho", avisa o advogado.

A área de lazer tem churrasqueira, espaço gourmet e muitos lugares para se sentar e admirar a paisagem. A piscina de biribol recebe disputas acirradas e a sala na lateral acomoda os aparelhos de ginástica. Apesar de frequentar a academia, Wilson fez questão de montar a sua em casa. "Eu uso sempre, tem muita gente que acha que não uso, mas venho sim", garante.

O pergolado e o deck são o cenário de fundo das coloridas casinhas para os pássaros. No momento em que o Lado B visitou a morada, não encontrou os residentes, que estariam por aí a voar.

"As pessoas dizem que eles veem aqui porque tem paz. A gente tem essa preocupação de manter a serenidade, oramos muito. Mas não sei a razão. Eu espero que seja isso, que eles gostem da paz daqui", acredita Wilson.

A casa é um encanto, principalmente por ser a escolha dos Joões-de-Barro desde sempre.

Casa segue o estilo colonial, com muita madeira, tons claros e com plantas e flores que fazem do jardim um convite para as pequenas aves. (Foto: Marcos Ermínio)Casa segue o estilo colonial, com muita madeira, tons claros e com plantas e flores que fazem do jardim um convite para as pequenas aves. (Foto: Marcos Ermínio)



imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.