A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

27/08/2013 06:34

A casa sem muro da moradora que resiste na avenida será posta à venda

Paula Maciulevicius
A avenida Afonso Pena esquina com a rua Bahia é endereço da família Nachif desde setembro de 1977, sem muro, grade e nem portão. (Fotos: Marcos Ermínio)A avenida Afonso Pena esquina com a rua Bahia é endereço da família Nachif desde setembro de 1977, sem muro, grade e nem portão. (Fotos: Marcos Ermínio)

A casa dela não tem muro, não tem grade e nem portão. Tem história, lembranças e felicidade. A avenida Afonso Pena esquina com a rua Bahia é endereço da família Nachif desde setembro de 1977, construída pelas mãos do pediatra já falecido, Eduardo Nachif, hoje é o berço de memórias de uma mãe, esposa e mulher apaixonada pela Afonso Pena.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

Foi para um especial que o Lado B chegou até Celina Nachif, hoje ela diz ter 68 anos, mas creio que sejam pelos anos bem vividos que ela aparente bem menos. A história dela e daquela casa é tão encantadora que merecia um capítulo a parte e também uma certa homenagem a um lado do médico tão conhecido que muita gente desconhece.

A senhora que nos recebe de sorriso aberto aprontou a mudança às escondidas. O sonho era de todo mundo e nem ela e os cinco filhos viam a hora de se mudar da Mato Grosso para a Afonso Pena, onde boa parte dos amigos já moravam.

“Foi entre 2h da tarde e 7h da noite, eu expliquei que era o horário de trabalho do Eduardo então tinha que fazer toda a mudança até ele sair do consultório. O caminhão encostou em casa 2h e olha que era a mudança de cinco filhos”, relembra.

Encerrado o expediente do pediatra e com a casa toda em caixas, ela foi pegar o marido no consultório com a desculpa de que precisavam ir para a casa nova pra apanhar as crianças. Eduardo entrou e não pensou antes de ir ‘juntando’ os filhos. Talvez pela correria ou desatenção mesmo ele nem reparou as caixas e só soube que a mudança havia sido feita porque um dos pequenos respondeu “pai, nós não vamos. A minha mãe fez a mudança, nós vamos morar aqui hoje”.

Viúva de Eduardo Nachif, Celina conta que aprontou a mudança de surpresa. Viúva de Eduardo Nachif, Celina conta que aprontou a mudança de surpresa.

Para a surpresa de dona Celina que trabalhou a tarde toda com a ajuda da mãe, irmã, o cunhado (único homem na mudança) e duas empregadas, Eduardo saiu de casa dizendo que já voltava. “Quis fazer surpresa e eu é que fiquei surpresa, porque eu achei que fosse ser a maior glória. Eu trabalhei feito uma condenada e ele me abandona aqui?”, relata o pensamento daquela noite.

“Daqui a pouco ele volta com um buquê de flores e um champanhe que o Gabura tinha dado pra ele para quando ele mudasse pra casa nova, comemorar com aquela garrafa. Ele tinha ido pegar o champanhe”. A lembrança aí já é tomada pelas lágrimas, tanto de quem fala, como de quem escuta.

Como se a cena se repetisse naquele exato momento, Celina conta que o marido chegou e chamou todo mundo para rezar um Pai Nosso e uma Ave Maria. “Eu, ele, cinco filhos, minha mãe, irmã, cunhado e duas empregadas de mãos dadas nesta sala. Tomamos o champanhe em copos de cristal Cica e foi o melhor que já tomei”, brinca. É que como tudo estava ainda embrulhado, a família toda tomou nos copos de massa de tomate.

A casa que tem 850 metros de terreno, da Afonso Pena até a 15 de Novembro e deste tanto 120 metros destinados às plantas e árvores do médico, nunca teve muro, grade e cadeado. Mas carrega no histórico a visita indesejada de um ladrão e o casal sendo acordado pela Polícia.

Bandidos forçaram uma das portas da parte debaixo da casa e entraram na residência. Celina e Eduardo dormiam no quarto e até chegaram a ouvir o barulho, mas acreditaram que fosse um dos filhos que fazia uso de rádio amador.

“O Eduardo levantou e gritou Luciano vai dormir, vai pra casa que você tem mulher e nisso ele tomou um remédio”, relembra. Em seguida o casal foi acordado por policiais que acenderam as luzes do quarto perguntando se eles estavam de mudança porque havia uma televisão entre outros aparelhos para fora de casa. Aí a ficha caiu de que os barulhos não eram do filho e sim de ladrões.

“Fomos salvos pelo entregador do jornal Correio do Estado e por Deus. Ele percebeu quando foi deixar o jornal embaixo da porta que a casa estava aberta e chamou a Polícia”. Ela atribui à falta de muros e por ser uma casa abençoada, o fato da violência nunca ter passado por aquelas portas. “Por isso muro grande, alto, não intimida. Aqui, quem passa lá fora assiste tudo o que está acontecendo”.

A avenida Afonso Pena com a rua Bahia foi a realização de um sonho do marido e da família. A avenida Afonso Pena com a rua Bahia foi a realização de um sonho do marido e da família.

Apaixonada pela Afonso Pena, Celina e Eduardo Nachif criaram os cinco filhos e viram os netos brincar pelos mesmos gramados. A filha caçula chegou lá com 11 meses. Do início de uma avenida até a imensidão que estende hoje a Afonso Pena, dona Celina, uma das únicas resistentes nos casarões anuncia, com dor no coração e lágrimas pelo rosto, que vai vender o imóvel.

“É uma casa de grandes lembranças, grandes comemorações, onde os filhos aprontaram muito, mas eu vou sair daqui. Já comprei um apartamento e vou colocar a casa à disposição para quem quiser”.

A avenida Afonso Pena com a rua Bahia foi a realização de um sonho do marido e da família. Ainda quando vivo, Eduardo já ouvia da esposa a proposta de se mudar para um lugar menor, mas era categórico em dizer que ali seria sua última morada e da casa ele só iria para o Parque das Primaveras.

“Ele falava Cê, não adianta fazer uma mudança. Aqui a gente tem tudo o que a gente quer, não tem mais os filhos, mas traz os filhos aqui porque a casa é grande”, detalha.

A mudança não é pelo barulho, pelo tumulto trânsito ou qualquer outro desprazer que os anos trouxeram. “A gente diz que cada tijolo dessa casa é o choro de uma criança que o Eduardo atendeu. Com ele eu não sairia, essa casa é a nossa história, os melhores momentos da nossa vida foram aqui. A minha saída é pela idade e não pela modernidade. A idade me obriga para ficar mais despreocupada”.

Um apartamento na região do Parque das Nações Indígenas já foi comprado. Uma das últimas moradoras dos casarões deixará a Afonso Pena ainda este ano. Como a gente já pressupõe, a casa pode vir ao chão para dar lugar a um hotel, banco ou construção comercial. Se para a gente, que é espectador da história de uma casa sem muros, pode bater saudade dos tempos de liberdade, imagine para quem deixa ali a melhor fase da vida.

“Não sei se é a título de consolo ou se eu já sabia, mas o principal já se foi. O resto é acessório. Nesta casa eu já perdi um filho e o marido e perdi um pouco da minha vida também. Perder a casa não vai ser a pior perda, por isso venho amadurecendo, a gente aprende a desapegar dos bens materiais. Essa casa não teve herança, não teve venda de imóvel, foi erguida só pelo trabalho, pelo sacrifício do Eduardo e ele tinha orgulho de ter construído isso sozinho. Hoje, eu te conto isso por amor à Afonso Pena, à minha casa e ao Eduardo”.

O principal já se foi, perder a casa não será a pior perda. Hoje, eu te conto isso por amor à Afonso Pena, à minha casa e ao Eduardo. O principal já se foi, perder a casa não será a pior perda. "Hoje, eu te conto isso por amor à Afonso Pena, à minha casa e ao Eduardo.



Lembro-me do Dr Eduardo quando tinha 5 a 6 anos de idade seu consultório na frente do Hospital da Criança de moveis de madeira e alguns quadros coloridos... abaixadores de língua nunca faltavam em sua mesa... uma vez com febre fui atendido nesta casa, e hoje com 30 anos vejo como o tempo passa e como pessoas que nos atendem tão bem ficam guardadas na memoria para sempre mesmo quando somos apenas criança, um medico que se propõe a ter um consultório dentro de sua própria residência realmente prova seu amor pela profissão acima de tudo e disposto a atender a qualquer hora, nos dias de hoje é algo a se refletir será que o que falta hoje são apenas números em quantidade de médicos ou médicos que realmente gostam do que fazem?
 
Nilton Kazuo Aoki em 09/10/2013 16:03:34
Pois é, Celina....é a história linda de uma vida linda.
Lógico que o coração se espreme. mas você é uma pessoa tão inteira, com capacidade de aceitação, que DEUS há de lhe oportunizar belos momentos futuros com seus filhos e netos em seu novo apartamento.
O amor, o carinho, a saudade você carrega em seu coração, esteja você onde estiver.
Boa sorte!
 
Therezinha Selem em 10/09/2013 00:03:46
Como dizem "atrás de um grande homem, há sempre uma grande mulher!"
Celina, querida e admirada, a grande dama de Mato Grosso do Sul.
 
Vilma Machado em 09/09/2013 09:34:16
Muito bonita a matéria! Chorei muito enquanto lia. Para mim, essa é a casa de marshmallow do doutor Eduardo. Só ele, que colocava aquele palite de picolé nas nossas bocas, poderia morar numa casa assim! Chorei pela história da casa, pela passagem deste médico incrível, pela boas lembranças. Chorei por recordar o quanto ele ajudou minha mãe e minha tia - mulheres sozinhas que criaram suas filhas com garra e coragem - a cuidar da saúde da gente. Chorei pq a casa pode ser destruída. Como fala a dona Celina, a gente precisa se desapegar... talvez seja mais fácil se desapegar do mundo material, mas e do imaterial? Como se desapegar de lembranças tão boas?
 
Luciana Gomes em 28/08/2013 16:18:11
Não há homenagem á altura desse homem íntegro, honrado e dedicado. Que amava ferozmente sua família e sua profissão.
Trabalhou até quando a doença deixou. Meu filho pode ter sido um de seus últimos pacientes. Foi atendido em seu colo. Cena que nunca mais esquecerei. Ver aquele grande homem, frágil pela doença, atender uma criança com tanto amor.
Não por acaso meu filho (seu neto) se chama Eduardo. Em homenagem ao avô.
Muitas saudades desse ser humano, desse avô, desse pai e desse doutor.
Ficamos órfãos.
Agradacerei eternamente. Obrigada meu sogro.
Obrigada e força minha sogra querida!! Te amamos vovó Cê!
 
Daniella Almeida em 28/08/2013 10:41:57
Quem sou pra falar de Dr. Eduardo Pessoa acessível, simples e amável, que salvou minha filha de uma pneumonia e a chamava de meio quilo, uma graça de pessoa, que só deixou saudades em nossas vidas, Sergio, Luciene e Carolzinha, vamos te agradecer eternamente pela amizade e carinho.
E que por necessidade chegamos a ser atendidos nesta acolhedora residencia.
 
luciene menezes em 27/08/2013 22:17:22
REPORTAGEM LINDA DESSA SENHORA,QUE POR MUITA VEZES PASSO EM FRENTE A SUA CASA E COMO POLICIAL DE TRÂNSITO TRABALHO EM FRENTE, SEMPRE PENSEI EM UM LUGAR DE ESTRATÉGIA MILITAR DE INFORMAÇÕES, DEVIDO AS GRANDES ANTENAS E UMA CASA SEM MURO QUEM PODERIA SE ACHEGAR DELA,E NA VERDADE É UMA VIDA QUE SE PASSAVA LA DENTRO COM MUITO AMOR E CARINHO JUNTO AOS FAMILIARES,ADOREI SABER.E PEÇO A PROTEÇÃO DE NOSSA SENHORA PARA QUE A SRA ENCONTRE PAZ NA NOVA MORADA E QUE SEJA BEM VINDA A PESSOA QUE COMPRAR POIS SÓ VERÁ QUE HOUVE MUITO AMOR NESSA CASA.
 
Luiz Carlos Santos Messias em 27/08/2013 21:37:17
Só temos elogios ao Dr Eduardo.Meus três filhos sempre foram seus pacientes e era com muita segurança que os entregava em suas mãos mesmo nos momentos mais difíceis e com muita confiança em seus diagnósticos sempre precisos. Sua filha Carol Nachif, fono, também atendeu meus filhos com muita competência e seriedade.Só tenho a agradecer e homenageá-los assim como declarar minhas saudades desse médico insuperável.Parabéns pela reportagem.
 
Cleiciene Canhete em 27/08/2013 21:23:06
Querida Celina,
Ainda ontem o Beto comentava sobre amizades duradouras e mencionou o laço terno que unia o Dr. Kalil e o Eduardo, qual não foi nossa surpresa quando a Clarissa nos ligou dizendo para lermos a linda reportagem sobre você, o Eduardo, seus filhos e a casa/lar de vocês, uma das poucas e resistentes casas da Avenida Afonso Pena que manteve, com suas características originais, tantas memórias não só de seus moradores, mas também da cidade.
Que bom quando temos histórias para contar e lembrar, mesmo que sejam repletas de saudades.
Adoramos a matéria! Um beijo com muito carinho.
 
Marta Banducci Rahe em 27/08/2013 21:02:34
Eu e muitos de meus companheiros radioamadores já estivemos na "Casa sem Muros" da Avenida Afonso Pena, do Dr.Eduardo Nachif & Família! Desde os idos anos 80, vez ou outra quando o nosso colega radioamador Luciano Gasparini Nachif (indicativo de chamada da estação PT9KK) precisava de alguma ajuda para erguer torre de comunicação, colocar antenas ou simplesmente para comemorar com ele a aquisição de equipamentos, para a "Casa sem Muros" acorriam seus colegas. O Luciano, um dos grandes "dexistas" sempre frequentou à Liga de Radioamadores (LABRE) e de lá trazia centenas de radiocartões pelos contatos efetuados com a maioria dos países. Também estivemos a seu lado num dos momentos mais tristes, a perda de seu irmão, na flor da juventude. Ao Luciano, à Dna.Celina e todo o pessoal, BOA SORTE!
 
PAULO DIONEL em 27/08/2013 21:00:23
Que história comovente. Dr. Eduardo tenho muito a agradecer foi meu médico, e como minha mãe que tem 86 anos diz "salvou a minha vida". Homem generoso e dedicado. Das minhas lembranças, que guardo com carinho, recordo dele me chamando de princesinha, e também do aquário cheio de peixes que tinha o consultório. Obrigada Dr. Eduardo.
 
Marcia Mongelli em 27/08/2013 20:57:59
Uma matéria maravilhosa, tanto pela historia quanto pelo Dr. Eduardo Nachif, o qual foi medico dos meus dois filhos, sempre atencioso, cuidadoso e carinhoso com as crianças. Meu filho foi atendido uma vez em sua casa, da mesma forma que no consultório. Sempre muito dedicado e preocupado com as crianças. O choro não é só pela dor, mas bebê às vezes chora só deitar na cama para ser medicada. Parabéns a D. Celina e sua família, que Deus continue abençoando-a em seu novo lar.
 
Gladimar Caceres em 27/08/2013 20:57:11
Parabéns Sra. Celina, pela sua bela Família. Pela sua dedicação, como esposa, mãe e cidadã. Parabéns pela reportagem, bastante emocionante a história de vocês. Tive a oportunidade e satisfação de algumas vezes falar com o Dr. Eduardo Nachif, logo que aqui cheguei,(vinda lá da minha querida Amambai), eu trabalhei carregando pasta de representante de laboratório, por algum período. Fazia visitas regulares no consultório do Dr. Eduardo, levando amostra grátis - direcionado para pediatria, ele me recebia sempre com toda aquela educação e fineza que lhe era peculiar. Grande Homem, com certeza escreveu história em nossa Capital. Deus Abençoe à Senhora e toda a sua Família.
 
José Gilberto Martins Manvailer em 27/08/2013 20:56:43
Tia Celina, que linda matéria e que linda homenagem a vida!

Muitos Beijos
 
Bernardo Banducci Rahe em 27/08/2013 20:08:17
"Boom diiia Dr. Eduardo!" Era esse o cumprimento carinhoso das criancas ao querido pediatra, e Ele mesmo quando doente, pois ainda trabalhava, sorria... e os cumprimentava. Sentimos saudade.. E D. Celina, que generosidade compartilhar desses momentos com todos os que conviveram com seu esposo. Obrigada.Que Deus a ilumine. Abcos. Ana
 
Ana Canto em 27/08/2013 19:31:00
Parabéns ao jornal por esta linda e comovente reportagem, e parabéns também para esta família e na minha modesta opinião este imóvel deveria ser tombado como patrimônio cultural do município de Campo Grande.
 
juvenil marques do vale em 27/08/2013 19:25:24
Conheci o Eduardo pela amizade que minha esposa, Semiramys Mansour, tinha com Celina. Nos muitos dias que passei em Campo Grande, ele atendeu aos meus filhos. Era um grande pediatra, que formava com Celina e os filhos Marisa, Luciano, Marcelo, Leonardo e Carolina uma família maravilhosa. Também me emocionei com a reportagem. Ah meu Deus, quanta saudade!
 
Herberto Magalhães da Silveira Júnior em 27/08/2013 19:24:48
Matéria linda!!!E o consultório existente na casa, em maio 1984, quando na época meu filho(Thiago G. Santos ) com sete meses e sem condições de pagar , foi atendido pelo Dr. Eduardo Nachif de madrugada com o mesmo carinho que tinha pelos pacientes com condições financeiras. Fiquei triste por saber que não está entre nós, mas pode ter certeza está junto à DEUS, auxiliando no reino eterno, homem caridoso, carismático sempre sorridente atendendo os pacientes, por isso tenho certeza de sua morada no reino de DEUS!!! E essa casa está marcada em minha vida, pela generosidade desse profissional que não media esforços para atender seus pacientes com amor. Só tenho que agradecer por essa generosidade desse profissional. Essa casa bem que poderia ser preservada é muito bonita!!!!!
 
Ivone Gonçalves em 27/08/2013 19:20:46
Magistral seu comentário Paula Maciulevicius!
De um consciência social invejável e que me aguça a curiosidade de conhecer o ser humano por trás daquelas palavras, obrigado pelo ensinamento.
 
Marcelo Mendes em 27/08/2013 18:45:26
Sra. Celina e Filhos

Nós sentimos e acompanhamos essa linda história de amor, de vcs de exemplo de vida e profissional e família que formaram.
Que a D. Celina que essa fase nova, em uma casa nova seja repleta de lembranças mas que seja recheada de felicidade, bagunça com os netos, novos momentos.
Fica a nossa admiração a essa família linda...

Nivaldo, Auxiliadora e família.
bjos no coração
 
Cyntia Magalhães em 27/08/2013 18:43:54
Eu nasci pelas mãos do Dr Eduardo Naschif!
Minha mãe foi consultar com pela indicação do Sr Flávio Derzi que era patrão do falecido meu pai.Ela conta até que nunca houve pediatra como Dr Eduardo, que na sua profunda humanidade e vocação, ensinava as mãezinhas a não ter preguiça de fazer tudo natural para os bbês!O Dr deve estar ajudando e muito no plano espiritual..Dna Celina que Deus a abençoe!
 
Aline Amaral em 27/08/2013 18:20:16
Foi maravilhoso participar, ao longo do tempo, dessa história. Acompanhamos, não só a construção da casa, mas a construção da família. Eu era pequena quando Eduardo passava em frete a nossa casa, próxima a maternidade da Candido Mariano, indo e voltando, com seu fusca até quase furar o asfalto, para ver a Celina. Veio o namoro, noivado e casamento. Com ele, vieram os filhos e agora os netos. Eduardo representou prá mim força e segurança. Nos momentos difíceis ele dizia: "Se precisar de alguma coisa, fale comigo". Foi exemplo de dedicação à família e à profissão. Foi exemplo de honestidade e bondade. À Celina, só tenho a agradecer o imenso carinho. Sempre estivemos de mãos dadas para superar as dificuldades. Você, Ce, é minha irmã, mãe, amiga e agora será minha vizinha. Sou feliz por isso!
 
Silvana Gasparini Pereira em 27/08/2013 17:30:10
Carol se vc tem face me add qro mto poder manter contato com vc,pois mesmo se passando tanto tempo,tenho um grande carinho por vc,com vc tive minhas melhores brincadeiras e brigas tbm rsss saudades flor d vc me add Lu Soares ou lucianefssoares@hotmail.com
 
luciane soares em 27/08/2013 16:40:32
velhos amigos a gente nao esquece sao guardados para certos momentos [p. simoes] amiga parabens pela entrevista .lenise juvenal


















 
lenise e juvenal em 27/08/2013 16:36:12
Excelente lembrança... Como eu senti profundamente a perda do Dr Eduardo para o outro plano e como eu me lembro de ir nessa casa, mesmo que adoentada, quando criança, e ficava intrigada de que, como pode, o Dr Eduardo morar numa casa sem portão? rsrs....
 
Carol Alencar em 27/08/2013 16:29:48
Linda história, Dr Eduardo com certeza deixou saudades, sempre pronto a atender, o remedinho de cólica infalivel que ele receitava, até guardei o vidro, além de excelente medico uma pessoa maravilhosa........
 
Tatiane Medeiros em 27/08/2013 15:36:44
Paulinha, a mamãe Elizabeth deve ter muito orgulho da filha que hoje escreve tão lindas matérias. Já estamos aguardando o lançamento com as melhores matérias-memórias do lado B.
 
danieli bezerra em 27/08/2013 15:01:27
O melhor pediatra de Campo Grande! Com uma semana de vida da minha filha a pediatra que estava cuidando dela queria interná-la, levei a bebê no Doutor Eduardo e ele disse: ''que internar que nada, vai dar um remédinho pra ela e pronto", e foi dito e feito!!! Muito amável e atencioso!!!!
 
Charlene Mareto em 27/08/2013 15:01:17
Realmente a matéria foi fantástica, gostaria de parabenizar a equipe do Campo Grande News realmente acertaram em cheio. Guardaremos somente boas lembranças do Drº Eduardo, excelente profissional e realmente muito dedicado na sua profissão, foi o pediatra por muitos anos de toda nossa família e fica toda nossa gratidão e desejamos a sua esposa e familiares tudo de bom..
 
Cleuber Linares em 27/08/2013 14:52:20
Dr Eduardo Nachif foi meu pediatra e sempre o respeitei muito como excelente médico que foi! que história linda e que família abençoada!
 
Mariluce Muller em 27/08/2013 14:47:06
que emoçao essa materia me proporcionou. em primeiro lugar por ter sido paciente do dr Eduardo Nachif na rua barao e mais tarde ser professora da pre escola de sua filha caçula, a meiga Carolina, que eu amava. e foi nessa casa que levei meu convite de casamento em 81. sra Celina, ja a admirava e agora mais ainda. sua familia sempre foi uma preciosidade, de educaçao esmerada. um beijo no coracao de todos.
 
soraya rodrigues alfonzo em 27/08/2013 14:38:29
Obrigada Dona Celina, por partilhar conosco sua linda história, junto com o Dr. Eduardo Victor Nachif, e filhos. Ele atendeu minha filha por muitos anos. Sempre o admirei muito como Médico. Obrigada Dr. Eduardo por tudo o que fez pela gente de Campo Grande.
Que a Senhora seja muito feliz em sua nova morada. Um abraço carinhoso de uma paciente!
 
Vera Lúcia Depiné Otto em 27/08/2013 14:37:58
Parabéns pela reportagem e pelo resgate histórico e memoravel dessa familia. Parabéns D Celina, que Deus continue abençoando vc nessa proxima e nova etapa.
 
Marcos Ruiz em 27/08/2013 14:28:05
Nossa essa casa faz parte da história de Campo Grande, eu sempre soube que o Dr. Eduardo morava ali e fiquei sabendo que dali ele ía a pé para o consultório dele, saudades viu... lembro dele na minha infância,foi meu pediatra e dos meus irmãos e primos
 
Tânia Regina Jesus Rodrigues em 27/08/2013 14:26:56
Sou prima da Celina. Convivi com este lindo casal - Eduardo e Celina, e seus cinco filhos, por 45 anos de minha vida. Trago lembranças maravilhosas de convivência com toda a família. Os banhos de piscina, aniversários, os almoços, a conversa no jardim. Acompanhei a construção desta casa. Projeto do arquiteto famoso em SP - Eristal del Carlo. Móveis sendo feitos no Liceu de SP. Tudo no mais perfeita técnica. O sr. Ary Raghiant, nosso grande construtor, discutindo a planta com a equipe e o Eduardo. Saudades, muitas saudades...
 
maria augusta rahe em 27/08/2013 14:21:25
Nossa, Paulinha, que coisa linda! Matéria, casa, pessoas... Obrigada a dona Celina por repartir sua vida com a gente, Deus a acompanhe na nova morada também! Parabéns ao jornalismo humano, tão necessário ultimamente.
 
Beth Saltão em 27/08/2013 13:58:05
parabens pela materia!!!!!..... fico showwwwww
 
roberto oliveira em 27/08/2013 13:56:24
História linda,eu e meus irmãos e meu filho xará do querido doutor Eduardo fomos pacientes dele,como ele faz falta ao pequenos hoje,mas tenho certeza que Deus reservou um ótimo lugar para ele no céu.Que os caminhos de Dona Celina sejam iluminados onde ela for.
 
maristela eiko kina em 27/08/2013 13:41:54
...é só elogios a esse competente profissional da Saúde... Exemplo a ser seguido...nossa cidade Campo Grande em seus 114 anos lhe agradece os serviços prestados...Que Deus continue abençoando D. Celina nessa nova etapa de sua vida, muitas Felicidades...
 
Ester Menacho em 27/08/2013 13:32:12
Amei esta homenagem a familia do Doutor Eduardo,ele foi médico do meu filho Carlos Junior e só posso agradecer por isso,pq quantas vezes ele aliviou os sintomas do meu filho e aliviou minha dor por ver ele doente.Com certeza a abençoada casa foi construida e levantada a cada tijolo por cada choro de criança atendida...meu filho chorava muito e o Doutor Eduardo tinha a maior paciencia do mundo.Agradeci muito a ele por tantos anos de atendimento e agora quero agradecer a Dona Celina pela historia de vida maravilhosa que passou pra nos aqui.Obrigada e faça de sua nova residencia seu cantinho feliz, alegre e que tenha muita paz.Beijo no seu coração Dona Celina !!!
 
Maria Anisia Araujo em 27/08/2013 13:30:20
grandes lembranças dessa casa, já levei meus dois
filhos e vários sobrinhos nessa casa, para dr. Eduardo
consulta-los, ele foi o melhor medico pediatra de campo
grande, essa casa tem memoria, parabéns dona celina
 
airton cavalcante ricci em 27/08/2013 13:15:29
Minha família e eu gostaríamos de agradecer a todas as pessoas que se manifestaram com tanto carinho a respeito do Eduardo. O que parecia ser uma entrevista sobre uma das últimas residências na Av. Afonso Pena, transformou-se em emocionante reportagem feita pela jornalista Paula e ilustrada pelo fotógrafo Marcos. A eles e a todos que postaram comentários nosso muito obrigado. Celina Gasparini Nachif
 
Celina Gasparini Nachif em 27/08/2013 13:13:15
Essa casa é um dos meus sonhos de consumo... Bela história, parabéns Paula Maciulevicius! Espero que os novos donos tratem esta casa como a família Nachif a tratou.
 
Leandro Carloto em 27/08/2013 13:06:51
Mãe, li essa reportagem hoje pela manhã com as lágrimas caindo no computador! Gostaria que meu pai estivesse aqui para partilhar com a senhora essa nova fase de sua vida, no apartamento. Agora à tarde li todos os comentários e novamente as lágrimas vieram à tona. A saudade do meu pai é imensa! As demonstrações de carinho escritas nos comentários só faz reforçar a GRANDE admiração que tenho por ele! Seja feliz, mulher forte! Beijos da filha Carolina.
 
Carolina Gasparini Nachif em 27/08/2013 13:06:16
Nossa esta casa faz parte da História de Campo acho ela perfeita e deveria ser tombada como Patrimonio da Humanidade!Uma das poucas que resistiram as contínuas mudanças que nossa capital passa a cada dia!
 
Cristiano França em 27/08/2013 13:06:13
poxa vidaa.. até esses dias ele era o meu pediatra e da minha irmã...
era um ótimo médico.. guerreiro..e batalhador.
Desejo tudo de bom a família.. e Campo Grande News a matéria ficou show.
 
karen gonzalez em 27/08/2013 13:03:54
linda e emocionante historia........... sábado ultimo passei q admirei esta linda casa !! parabéns pela reportagem emocionante , só faltaram umas fotos desta belissima , umas fotos acalmariam nossa curiosidade q vem de criança !!
 
yolanda ortiz em 27/08/2013 12:59:30
Linda História de vida, me emocionei, que DEUS abençoe a família da dona Celina.
 
JOAO MEDINA FERNANDES em 27/08/2013 12:55:18
Parabéns pela matéria Jornalística e Histórica.
Parabéns em particular á D. Celina Nachif e família, não nasci em Campo Grande, meus filhos são Campograndenses com muito orgulho e com este mesmo orgulho esta casa é um "marco" de nossa "História Arquitetônica".
Esta casa é nova pelos "poucos anos" que foi edificada, mas Histórica pela suprema "função" e "estética" da Arquitetura, Urbanismo e Paisagísmo, tão bem retratada e descrita por D. Celina Nachif.
Carlos China - arquiteto e urbanista
UFMS
 
Carlos China em 27/08/2013 12:51:57
Dona Celina linda matéria, e como não ficar emocionado, pois esta tudo recente, mas esta memoria tenho certeza que vai ficar para o resta da vida. Parabens é uma homenagem, que Deus assim os elumina.
 
antonio gomes em 27/08/2013 12:25:26
Foi meu medico na minha infancia quando estava com um mal qua parecia não ter cura e ele deu a meu pai o diagnostico de tuberculose , que foi tratada por outro excelente medico Dr Pedro Nango Dobashi que me curou. e hoje estou aqui com meus 56 anos, mas foi graças ao Dr Nachif que nos deu a certeza do que eu tinha.Conheço a residencia e fico entristecido por essas mudança em nossa historia.

 
juarez delmondes em 27/08/2013 11:59:29
Engraçado é que esses dias ao passar na frente da casa, comentei com meu noivo que adoraria morar ali... e que mudaria pouquíssimas coisas. A casa é linda e a história emocionante.
 
Fabiana Cristine Lopes dos SAntos em 27/08/2013 11:57:20
Não podia deixar de expressar minha gratidão, mesmo postumamente, ao Dr. Eduardo Nachif... Foi meu médico em minha infância (e dos meus irmãos também) e foi o pediatra das minhas duas filhas... Recordo que numa ocasião, de madrugada, meus pais me levaram até a casa do Dr. Eduardo, ocasião em que ele atendeu como se estivesse em seu Consultório... Bênçãos do Altíssimo Deus à Dona Celina e seus familiares é o que desejo.
 
JACKSON OLIVEIRA em 27/08/2013 11:49:41
Além de uma linda história de vidas, exemplo do quanto a família é bem precioso e a dedicação do médico vocacionado cura o físico e a alma, a matéria, feita com qualidade e sensibilidade demonstra pelo número de participações o quanto a mídia pode alcançar de papel social na saúde das células sociais. Não há interesse apenas em mazelas, pequenas ou grandes desgraças, tradução do que há de mau na face humana. Como diz a história indiana dos tigres, depende também de qual dos tigres que nos habitam alimentamos. Grata à Celina e à Paula, às quais não conheço de antes, mas tive o prazer de poder conhecer um pouco agora.
 
Ivete Bueno Ferraz em 27/08/2013 11:35:18
Acordei hoje com minha filha dizendo: Mãe, sabe aquela casa sem muros, na Avenida Afonso Pena, que todas as vezes que lá passamos, você lembra de um jantar no casarão que você foi com o meu pai? E que naquela noite, no jantar, você recebeu a notícia do falecimento da minha bisavó? Pois bem, a casa está sendo vendida para que Dona Celina fique mais tranquila em um apartamento. Grandes lembranças, fiquei emocionada. Muita paz à Dona Celina e parabéns ao Campograndenews pelo resgate de tão linda história. Espero que ela não seja demolida, pois, não será a mesma coisa a minha passagem pela Afonso Pena.
 
Magali Lins em 27/08/2013 11:34:15
Quando minha mãe me dizia que íamos ao pediatra que ficava ali na Barão do Rio Branco, pra mim era uma festa. Nesse endereço era o consultório do Dr. Eduardo. Que época boa !
 
Guilherme Fonseca em 27/08/2013 11:17:41
Muito bonita a matéria,boa sorte para dona Celina em seu apartamento,que continue assim sempre bonita,e com esse coração maravilhoso.
 
Teresa Moura em 27/08/2013 10:53:00
Pelas mãos do Dr. Eduardo Deus me concedeu a graça de ser curada, aos 7 anos de uma doença pulmonar que na época era tida como fatal pois a medicina ainda não contava com os recursos necessários mas que ele, médico recém formado, já cumpria o juramento de salvar vidas.
Obrigada Dr. Eduardo Nachif! Obrigada a família que despojada da sua presença em casa fez com que ele cuidasse não só de mim mas de outras 2 gerações da minha família! Minhas sobrinhas e minha neta.
Quando em 2010 o encontrei pela ultima vez, em frente ao Fórum, identifiquei-me e lembrou-se até o nome de minha mãe que nos idos dos anos 60 me levou nos braços até seu consultório na Barão do Rio Branco e lá medicou-me com todo carinho e profissionalismo.
Obrigada Dr. Eduardo! Jesus recebeu o MÉDICO/HUMANO!
 
Ione Maria Pessoa Alves em 27/08/2013 10:50:26
Família muito querida e exemplar. Parabéns!
 
adelaide vieira em 27/08/2013 10:45:33
Fico feliz pela palavras de Dna Celina referente a sua casa e seu marido, Dr. Eduardo Victor Nachif, médico pediatra de minhas filhas e minhas irmãs mais novas. Ele era e sempre será um amigo que tenho a referendar a quem perguntar pelo melhor médico pediatra que Campo Grande já teve. Esta casa é uma referência para todos cidadãos e cidadãs de Campo Grande, pela sua soberba de nunca ter um portão, muros altos e cadeados. Muita felicidade em sua nova morada.
 
AMILTON PEREIRA DANTAS em 27/08/2013 10:29:11
Sou Policial Militar e em todos os tempos que tenho nessa instituição nunca fui tão bem recebido em uma casa como foi na casa da dona Celina. Sem cerimônias num dia de serviço normal fui até lá para atender a um chamado e fiquei surpreso com a delicadeza que essa senhora recebeu a minha equipe, estava chovendo forte, e ela nos abrigou como se fôssemos o seus filhos, o Dr. Eduardo ainda era vivo, mas já estava com a saúde bem delicada. Obrigado, dona Celina.
 
Adenilson Lopes em 27/08/2013 10:28:51
Pessoal não conheci a Família, Emocionante essa matéria...Estão de parabéns ...mas cade o botão de LIKE?? Isso tem que ser compartilhado..
 
Vinicius Pessoa em 27/08/2013 10:24:42
Muito Bonita essa matéria! parabéns ao CGnews, e a Paula Maciulevicius, por mais essa bela história publicada.
 
Ygor Romanov em 27/08/2013 10:16:25
Tambem emocionado com as revelações feitas pela Amiga Celina, eu e minha Esposa vivemos um pedaço dessa história de vida e compartilhada com os amigos.
Merecida história vivenciada e contada no dia em que Campo Grande completou 114 anos.
 
rudenir de andrade nogueira em 27/08/2013 10:08:18
Toda vez que passo em frente a essa casa fico admirando a sua arquitetura diferente do que se tem em todo lugar, mas é bom saber que os donos são apaixonados pelo lugar que vivem, parabéns.
 
Marcos Wild em 27/08/2013 09:41:48
Linda história!
Dr Eduardo Nachif foi o melhor pediatra que conheci! Um homem íntegro, correto e apaixonado pela profissão...
Pediatra da minha mãe e também da minha filha... gerações da minha família que ele ajudou, tratou e num momento muito difícil, quando minha filha de apenas 2 anos de idade apresentou uma pneumonia e não foi atendida pela sua então "pediatra", o dr Eduardo, sem duvidar, me atendeu prontamente ao saber do problema e cuidou da sua mais nova paciente - e fã - com todo amor e carinho! Sempre que tínhamos consulta marcada ela ficava toda feliz porque ia ver o Dr Dudu, apelido que ela mesma deu àquele querido e simpático senhor e que ainda hoje é lembrado com muito carinho todas as vezes que passamos em frente ao seu consultório. Obrigada dr Dudu! Sempre em nossos coraçõe
 
Vivian Pessoa em 27/08/2013 09:26:33
Conheci o Dr. Eduardo Victor Nachif que foi médico pediatra de meus filhos e uma pessoa humana atendia a qualquer hora, lembro-me que certa vez eu vivia em Rio Verde de Mato Grosso e meu filho mais velho estava com pneumonia e muito mal, trouxemos ele a Campo Grande, após termo ligado a ele no início da noite e partimos chegando em Campo Grande ligamos novamente para dizer-lhe que havíamos chegado e onde poderíamos encontrá-lo e ele prontamente nos disse em minha casa mesmo. Entramos meio surpreso em sua casa que ele foi abrindo sem cerimônia, uma cena que jamais vamos nos esquecer minha esposa e eu, e hoje esse filho me deu um neto maravilhoso graças ao Dr. Eduardo.
 
Victor Luiz Martins Currales em 27/08/2013 09:16:41
Nossa, que história linda! Se antes eu já admirava o Dr. Eduardo pelo grande profissional que sempre demonstrou ser quando atendia meus filhos, agora admiro ainda mais!
No ano passado, quando fiquei sabendo de seu falecimento através da Celina mesmo, fiquei totalmente sem chão. Senti não apenas pelo profissional, em quem confiava plenamente, mas pela pessoa que dedicou tantos anos de sua vida a salvar outras vidas.

Essa matéria só confirma que, ao lado de um grande homem, sempre existe uma grande mulher (e ambos só são grandes porque se complementam).
À Dona Celina desejo tudo de muito bom e espero que seja muito feliz!
 
Mériele Oliveira Pereira em 27/08/2013 09:12:28
Parabéns pela matéria Paulinha, muito linda a história, cheguei a me emocionar!
 
Bruna Batista em 27/08/2013 09:11:05
Querido Dr. Eduardo. Que falta o Senhor faz! Médico brilhante, pessoa amada. Eu e o Pedro Maciel carregaremos o Sr. pra sempre em nossos corações. Gratidão a toda a família que partilhava a convivência com os pacientes, inclusive nos fins de semana e a noite quando ele nos atendia em casa.
 
Kênia Maciel Lacerda em 27/08/2013 09:04:35
Tenho 54 anos e o Dr Eduardo foi meu médico na infância. Me lembro muito dele, o jeito que ele tinha de lidar com meninos danados feito eu. Um abraço grande no plano que estiver Dr Eduardo.
 
RONEY MEDEIROS FIALHO em 27/08/2013 08:52:37
Uma história linda, emocionante parabéns a Dona Celina e ao Campo Grande News.















 
Silvanna nery em 27/08/2013 08:50:37
Grande médico Dr.Eduardo Nachif......foi para os meus filhos um avô, pai.....e qdo eu chegava no consultório dele parecia q estava entregando os meus filhos nas mãos de DEUS....uma perda muito grande.....e parabéns ao campo grande news pela matéria....e seja feliz Dona Celina, na sua nova morada e que DEUS te abençoe todos os dias....
 
fernanda lemes em 27/08/2013 08:46:37
Nasci nas mãos deste excelênte médico, e quando fui ter minha filha foi a ele que procurei, tratava seus pacientes com muito carinho, um carinho de avô, jamais esquecerei. linda história
 
ana cristina regasso em 27/08/2013 08:45:36
Emocionante! ao ler essa matéria fico emocionada em relembrar boa parte da minha infância q passei nesta belíssima casa, pois minha mãe trabalhou anos com essa família abençoada, lendo essa matéria coração bate mais forte, pois são tantas recordações, tantos momentos felizes q ali passei, Dn Celina exemplo de mulher,uma pessoa boa,inteligente,meiga e simples. Dr Eduardo bondade em pessoa,isso é o que ele realmente foi,ele soube viver, família abençoada que só tenho que agradecer por ter tido o privilegio de conviver com vocês.
 
luciane soares em 27/08/2013 08:45:34
Família linda!
matéria emocionante.
 
Adriane Pereira em 27/08/2013 08:32:09
Tive o prazer de conhecer o Dr. Eduardo em agosto de 2009, quando meu filho só tinha um mês de vida, agradeço tudo que fez pelo meu filho, sempre atendia o celular quando ligava pra ele e no consultório, que não precisava marcar horário, sempre fomos muito bem atendidos e o carinho que tinha para com meu filho. Obrigada Dr. Eduardo !!!!!
 
Samira Abdonor em 27/08/2013 08:22:55
Linda vida eles tiveram, uma família inteira de amigos meus foram criados sendo atendidos pelo Drº Eduardo, espero que a casa seja vendida para uma pessoa que a revitalize.
 
Murilo Serrou Castilho em 27/08/2013 08:17:52
Que lindo, Dona Celina! Dr. Eduardo foi muito importante na vida do meu filho mais velho, já o atendeu com toda sua doçura e competência inúmeras vezes! Pena que qdo meu caçula nasceu, o Dr. já havia retornado à casa do Pai. Lembro dele e das histórias que ele nos contava com muito carinho e saudade! Que Deus te abençoe e te ilumine nessa hora de desapego de um bem tão importante na vida de vcs.
 
Priscilla Kodjaoglanian Cardoso em 27/08/2013 08:17:36
História muito linda a deles...
 
Michel Kafury em 27/08/2013 08:15:53
Realmente é uma história muito linda. Sempre passo em frente a esta casa e ficava imaginando quem morava ali. É uma pena que ela deixará a casa e espero que o comprador, preserve a casa do mesmo jeito que está. Sempre via moradores de ruas dormindo perto da janela e imaginando se alguém já tentou assaltar a casa toda aberta.
Parabéns a equipe pela reportagem. Adoro saber um pouco das coisas antigas de Campo Grande.
 
thayssa d'avila em 27/08/2013 08:14:33
O Dr Eduardo Nachif foi médico de todos os meus quatro filhos...
Um grande Homem, um Cidadão Honesto, um Combatente... detestava médicos que não cumpriam o JURAMENTO... quando conversávamos sobre política ele se irritava de tal forma que eu tinha que acalmá-lo...
 
Inocencio Amorim em 27/08/2013 08:00:57
Linda matéria, obrigado Dona Celina por partilhar um pouco de suas lembranças.
 
Cristóvão Espíndola Júnior em 27/08/2013 07:56:33
Sra. Celina,
Seu marido deixou saudade em nossos corações também, sempre atendeu nossos filhos com um sorriso no rosto e otimismo, por mais doente que ele se encontrasse. Deus recolheu um anjo que sentiremos falta por um longo tempo. Que Deus abençoe a senhora em sua nova casa. Carlos/Ana/Cássio e Fernanda Canto.
 
Carlos Canto em 27/08/2013 07:55:51
Que bela história de vida e de exemplo. Dr. Eduardo foi meu pediatra e depois meu cliente, o que sempre me deixou feliz. Infelizmente, ou felizmente, a vida segue o seu curso e a história também. O importante é o legado de trabalho, de luta e de exemplo que vocês possuem. Parabéns, e que possamos sempre lembrar daqueles que um dia viram e fizeram campo grande crescer.
 
andre luiz maluf em 27/08/2013 07:51:18
Que história linda e emocionante, Sra. Celina.
Ainda garoto me lembro de uma matéria publicada em um dos jornais de Campo Grande com o título: "Edifícios começam a tirar a privacidade das casas". Foi quando a Construmat iniciou a construção do prédio ao lado de sua casa. Parabéns ao Campo Grande News por resgatar uma histórica linda e comovente com esta.
 
Sebastião Dussel em 27/08/2013 06:56:15
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.